person_outline



search

Sobre a autoestima dos homens medíocres

Esses dias tentaram me ofender, com alguns insultos clássicos, repetidos como mantras por muitos direitistas, porém, dessa vez ficou mais claro um problema complexo e comum, uma “pseudo autoestima”, daqueles tipos clássicos de homens brancos, héteros, cis (especialmente de direita), que na maioria das vezes não são nada mais do que homens infantilizados com orgulho de coisas bestas e fúteis.
Essa “pseudo autoestima” é um modo de compensação de um altíssimo nível de insegurança e de masculinidade complexada. Homens com masculinidade frágil, que facilmente se ofendem e que não sabem o básico sobre relações sociais e mal resolvidos teriam realmente autoestima? Obviamente apenas se fossem insensíveis as suas fragilidades, mas eles não são, eles apenas se “cegam” a elas, pelo medo, pela insegurança e por se apoiarem em padrões culturais eurocêntricos, que os representam como protagonistas... Como galãs, como super-heróis, agentes secretos e todos os tipos de “machos alfa”.
Pessoas inseguras tem uma visão distorcida da realidade, e geralmente se põem em modo constante de defesa. Mas os caminhos a que isso leva são diferentes para quem se encaixa nos padrões e para quem não se encaixa. Quem não contempla uma ou mais das características anteriormente citadas (brancos, héteros, cis) é condicionado a se resguardar, pois não se encaixa no padrão “mais alto” de homem, mas pelo contrário quem contempla essas características na primeira oportunidade atende ao ditado “a melhor defesa é o ataque”, e se infla, pois está convencido de que deve se lhe ser DADO todo o “valor” que ele tem, já que desde que nasceu se enxerga na TV, nos filmes, nas novelas, como o protagonista, o herói, o inteligente, engenhoso, confiante... O dominante. Este ser, tal qual um nazista, acredita que o posto mais alto da sociedade é seu por direito (Hitler era um homem medíocre).
É por isso que vemos tantos homens “padrões” com comportamentos tão infantis, tão egocêntricos e destilando ódio contra os demais, é por isso que tantos são misóginos, antifeministas, que consideram o movimento negro vitimista e o LGBT+ execrável. Tudo que é diferente deles é inferior, por isso é tão difícil o dialogo.
Na mente deles o protagonismo está reservado a eles, pelo simples fato de serem o que são: homens, brancos, héteros e cis. Os outros são apenas seres comuns e de segunda ordem.

Pin It
Atualizado em: Qui 9 Jan 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222