person_outline



search

Sonhos (que Shakespeare não me "leia"!) de uma "noite" de verão - introdução

Numa noite fervente de verão, numa cidadezinha litorânea dessas com cara de roça, mas na beira da praia, Maria Lúcia tomou uma decisão: sairia no dia seguinte, seu dia de folga e iria à praia, mas desta vez seria diferente...
Ela, uma mulher de lindo rosto, gordinha sensual, dessas bem resolvidas com sua auto imagem, tem hoje 46 anos. É solteira e odeia a solidão. Já pensou em ter um cachorro ou um gato em casa, mas desistiu de ter, porque supõe que ter um bichinho de estimação suprirá de tal forma sua carência de sentir-se amada, que abriria mão do sonho de ter um homem ali no seu espaço sagrado de intimidade, afinal, às vezes a vida faz parecer que o amor de um animal seria maior ganho que o pseudo amor de qualquer humano (quase sempre desumano!).
Definitivamente, Maria Lúcia é uma mulher marcante, não por qualquer beleza estética, mas porque ela é dessas que chega e se impõe, trás registros e marcas de verdade, de transparência, de franqueza e sinceridade, associados à doçura e ao bom humor que a sabedoria de vida lhe confere e que só ela tem, pois nada nem ninguém poderia ver a vida com seus olhos, traduzir a realidade com suas palavras, interpretar os fatos com seu olhar. Uma mulher que tem “olhos de ver e ouvidos de ouvir”, que com sua perspicácia, compreende e resignifica a vida e o ato de viver, com uma forma ímpar. Avêssa às ilusões, ela é feita de verdades incovenientes e até em silêncio, observando, ela diz o que tem que ser dito!
Seu olhar e sua atitude traduzem quem ela é e ela não precisa mostrar nem dizer que é, ela sabe que precisa apenas ser. E sabe que seu ser interessa, ela só não sabe a quem...
Feita de cansaços (e de algumas desistências!), de muitas tentativas (alguns acertos, muitos erros!), de inúmeras lutas (alguns fracassos, que bom! De muitas vitórias!), de insuportáveis renascimentos das próprias cinzas, ela, uma quase fênix, ainda acorda todos os dias, veste seu melhor humor, lava-se na sua melhor disposição, arruma-se no seu melhor comprometimento em viver e segue, todos os dias, vivendo.
Agora, nessa noite quente e pingante, de silêncios e uma cama vazia (coração também...), ela  decide que chegou o dia do basta! Ela não vai mais esperar, porque a vida toda foi feita de esperas... o tempo bíblico nunca fez sentido e agora mais que nunca, não faz sentido mesmo!!!
Não existe tempo de esperas, existe tempo de tomar vergonha na cara e fazer. Ela resolveu que fará!
Tomou um banho, escovou os dentes se olhando nos olhos através do espelho, vestiu seu pijama mais confortável, deitou-se atravessada em diagonal na cama de casal vazia e adormeceu pensando que logo logo aquela cama estaria apertada, porque seria ocupada por dois e dois de bons ânimos!!! Antes de dormir, riu muito sozinha com tal pensamento, escolheu não satisfazer seu desejo físico naquela noite, virou-se de bruços e programou o celular para despertar às 7h, pois precisava organizar tudo para o passeio na praia.
O dia seguinte nasceu ensolarado e febril, propício para o banho de mar e sua novas observações...
Sete horas da manhã, sol batendo na cama através da janela, Maria Lúcia levantou cheia de disposição, tomou banho, escovou os dentes, colocou o biquíni azul (aquela cor fica linda no contraste da sua pele branca!), vestiu a saída de praia por cima, preparou a mochila com todos os apetrechos que toda “mulherzinha” geralmente leva para a praia, pegou o dinheiro, trancou tudo e saiu. Ela não tem carro e não dirige. Sempre pensou que se tem dinheiro bastante para pagar pelo serviço de motorista, prefere o conforto de ter alguém que a leve para onde ela quiser. Foi caminhando até o ponto de táxi, combinou o preço com o motorista (seu conhecido de muitas corridas...) e foi para a praia mais linda que considera de toda a região onde mora. Uma praia de linda paisagem natural, água cristalina e gelada, numa região considerada nobre. Tudo o que ela queria naquele dia encalorado.
Chegando no melhor ponto da praia desembarcou do táxi, pagou a corrida, se despediu do Sr. Timóteo e já deixou combinada a hora do retorno: - venha me buscar por volta das 16h por favor. Agradeceu e despediu-se.
Ali, começava sua nova aventura! Naquele dia, tudo seria diferente...
Pin It
Atualizado em: Sex 11 Jan 2019
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222