person_outline



search

Delicadas

Confissões chocantes

- Amiga não posso acreditar que você esteja me falando a verdade. Você pirou?

- Não

- O que foi que você tomou hoje?

- Nada!

- Mas nosso amigo é gay!

- É , mas isso não impede que eu o ame. Não só como meu amigo. Você sabe que eu sempre o vi como uma irmã...

As duas riram

- Como poderia ser diferente?

- Não sei como , mas aconteceu e foi sem que eu quisesse . eu levei um susto, não me pede para explicar mas a verdade é que eu passei a vê-la com outros olhos. No sábado , pedi ajuda a ele com uma roupa, como ele é expert me produziu toda para a balada . foi quando  fechou os botões do meu vestido , que os dedos dele tocaram a minha pele eu...

- Pára amiga .eu não quero ficar ouvindo essas coisas .

- Sua boba! Olha eu ... não sei o que eu senti ,  ou o porque . mas só sei que fui tomada por arrepios , frio , calor, um medo tão gostoso que fiquei querendo mais.

- Eu sabia que isso não ia acabar bem.

- Do que está falando?

- Desse grude de vocês! Amiga , está demais! Amizade assim é muito estranha! Vocês dormiram juntos, vocês comem no mesmo prato , até já dividiram a mesma escova de dentes aquela vez naquele acampamento que eu vi. O que queria?

Dona candelária interrompeu a conversa , abrindo bruscamente a porta do quarto

- Aquela aberração acabou de chegar.

- Vê lá como fala do meu melhor amigo.

 Enrico , xênia como gostava de ser chamado  chegou abalando.

- E aí bonequinha? Preparada para arrasar na noite?

- Não.

- Como não?

- Eu não vou sair .

- Não acredito. Você? Em casa? Tô chocada hein!

- Pára!

Ela foi coberta de beijos e aquecida por um abraço gostoso.

- Ela está doente.

Declarou Fanny em tom de riso.

- Mona , o que você tem? O que fizeram para a minha bonequinha preferida?

- Esquece, não dê ouvidos ao que essa chata diz.

- chata! Deixa a minha amiga em paz. Não a atormente!

- O que é que você vai fazer se eu aborrecer sua amiga?

- Hum, eu te arranho hein! Olha!

Ameaçou , afetado.

Fanny caiu na gargalhada.

- Está vendo só? Vivian? Como é que eu não vou achar essa sua confissão uma piada? Você só pode ter perdido totalmente a noção. Será que tudo aquilo o que eu ouvi é mesmo verdade?

- É. Pode ter certeza de que é. Eu desabafei para você porque pensei que podia contar com o seu apoio e sua confiança para o resto da minha vida. Mas... depois dessa sua atitude já não sei se isso é possível. Não esperava que fosse agir desse jeito.

- Ah , também faça-me o favor , não é para tanto! Como você está sensível esta noite!

A recém apaixonada enxugava as lagrimas.

- Meninas! Estão brigando?

- Não!

Ela sussurrou entre soluços.

- Vim te fazer um convite especial. Não sei se vai aceitar.

- Aceita! Ela vai aceitar sim , com certeza!

- Cala a boca!

Vivian  se exaltou com a colega.

- Não estou entendendo.

Xênia colocou a mão na boca. Fazendo sinal de chocada.

- Que convite tem para me fazer?

Perguntou a dona da casa ansiosa

- Você vai convidar a Vivian para um jantar romântico? A luz de velas?

- Está louca Fanny? Olha!

             E xênia soltou um gritinho agudo.

- Fanny! Chega. Me deixa a sós com o enrico.

Ouviu Protestos.

- Enrico? Enrico não! Isso é muito macho! Você sabe que eu não sou. Então me chama de xênia , como sempre me chamou. Que negócio é esse de me chamar de enrico agora hein? Ai ai ai!

- Tudo bem desculpa! Sei que você não gosta de nada que o faça lembrar que você é um homem então, paciência xênia,vamos lá, faça o convite!

- Vem me ver dançar!

- Não!

- Ah Diva! Sabe quanto tempo somos amigos? Já fazem dois anos e você nunca assistiu um espetáculo meu. Fanny essa perua já é praticamente uma cliente da boate. Vai lá vai! Essa noite , você tem que me ver essa noite.

Apesar de toda a resistência , ela acabou se divertindo.

- Quando eu te conheci eu não poderia imaginar, nem sonhar que você possuía esse tipo de preferência. E também, não sabia que você era um artista tão completo! Adorei o seu modo de dominar o palco! Merece todos os meus aplausos.

- Então , consegui ou não te surpreender com meu show?

- Conseguiu , e muito.

Sorria abertamente.

- Que bom que você gostou, bonequinha.

Ela tinha os braços constantemente acariciados.

- Eu não sei se você consegue perceber o quanto você mexe com uma mulher , apesar desse seu lado feminino , você sabe como mexer com uma mulher. Sabe encantar, seduzir.

Era só perceber uma sutil mudança na voz da amiga , uma leve mudança no seu modo de sorrir e principalmente de segurar em sua mão que xênia não perdia uma oportunidade de tentar escapar.

- Vou até o bar pegar mais uma bebida antes da gente ir embora. Vai querer tomar o quê?

- Escolhe você.

Pediu rindo.

“ eu sei que você está fugindo. Pode fugir , no final é nos meus braços que você vai se descobrir. Ah se vai!’’

Ela prometia em silêncio. Seus sonhos a tiravam do chão. A tiravam da realidade. Realidade á qual foi puxada de volta desagradavelmente com dois sujeitos sentando-se a mesa em que estava com o amigo , dirigindo-se a ela com termos deselegantes fazendo propostas indecorosas. Eles eram tão desagradáveis que seu estômago começava a revirar. Dava voltas e mais voltas , o que sempre acontecia quando ela ficava nervosa. Eles estavam mesmo dispostos a tudo. Só percebeu que falavam mesmo sério quando um , na maior das ousadias, passou a mão calejada em suas pernas sedutoras por debaixo da mesa. Sua reação instantânea fez com que Vivian se machucasse ao tentar se levantar. Foi aí que o acompanhante do brutamontes tarado a segurou pelo braço delicado , impedindo-a de qualquer gesto de defesa. Mostrando que não adiantava protestar.

Vivian não sabia mais o que fazer. Gesticulava intempestivamente . Lutava desesperada para se livrar dos tais trogloditas que não poderia imaginar quem era o seu guardião, que Pôs para correr com dois socos e um ponta pé, os monstros tarados. Antes deles desaparecerem , ouviu uma voz soar grossa e alta como um trovão , dizendo:

- Com certeza quando se lembrarem de mim. Não vão querer atacar uma mocinha indefesa.

Tremendo, Vivian correu para os seus braços. Era Enrico.

- Que voz maravilhosa você tem! Por quê não fala sempre como homem?

- Bonequinha! O que está acontecendo com você? Hello! Você nunca foi de considerar esse tipo de coisa. Agora , não pára de fazer comparações , me contestar! Quer mostrar o tempo todo que eu sou homem, por que?

Ela tossiu , vermelha como uma pimenta.

- Eu não quero que um amigo tão especial feito você , sofra preconceitos.

- Ih! Ah é isso? Fique tranquila , pois eles sempre existiram , mas nunca me abalaram. Vamos embora?

- Agora.

- Eu não gostaria que esses bandidos tivessem estragado o nosso momento.

- Não estragaram.

Fanny estava ansiosa para saber das novidades.

- Que tal foi a noite com o nosso amigo?

- Bem. Muito bem.

 - ih! Parece que não está muito para conversa hoje , não é?

- É.

- Ainda aborrecida comigo amore?

- Não.

Dona candelária correu para atender o telefone.

- Alô!

- Dona Candelária, será que poderia chamar a sua filha para mim?

- Você nem sabe se ela está em casa!

- Nisso a senhora está certa. Mas se estivesse , eu gostaria de falar com ela.

Xênia respirou fundo três vezes.

- Olha, querer eu não queria não , mas tudo bem . Eu vou chamar.

- Muitíssimo obrigada , senhora.

- E ... Se diz muito obrigado.

Dona candelária provocou rindo interiormente.

- Que seja! Estou esperando.

- Só um minuto.

Quando ela entregou o telefone , o preconceito e o veneno estavam tão estampados em suas feições que Vivian nem precisou perguntar de quem se tratava e antes de atender , fez sinal para que ela saísse.

- Pronto xênia, pode falar.

- Oi amor , vai sair?

- Não.

- Então vou dar uma passadinha rápida aí.

- Pode vir , Estou te esperando.

- Até mais meu docinho.

- Até!

Ela desligou , soltando um suspiro profundo e muito sonhador. Apaixonada.

Fanny ria da situação.

- Que foi? Que cara é essa?

- Docinho! Ela me chamou de docinho!

- E daí?

- Ele me ama.

- Ele ou ela?

Ele. Xênia saiu de cena e entrou enrico. De boné, camiseta branca e calça jeans justíssima , fazendo com que o coração de Vivian disparasse deliciosamente. Que surpresa! Depois de abraça-la, entregou uma cesta repleta de chocolates e lotada de ursinhos.

- Para mim?

Perguntou com voz trêmula.

- Tudo para você, amor.

- O que foi que ela fez para merecer tudo isso?

 Fanny interferiu.

- Você aqui , de novo?

Enrico se afetou.

- Sim, algum problema?

- Oh! Antigamente eu não te via tanto assim por aqui ! Agora toda vez que venho, as duas estão enfiadas nesse quarto. Ai aiai hein!

- E por quê eu não posso mais ficar enfiada no quarto da minha amiga? Está com ciúmes?

- Estou. Claro. Eu não gosto de dividir a minha bonequinha com ninguém.

Fanny Corou.

- Vivian, Vivian, estou começando a achar que talvez possa ter razão. Vocês duas estão escondendo alguma coisa.

- Não estamos escondendo nada.

Apressou-se Vivian.

- Princesa , vim apenas saber como foi que passou a sua noite. Estou muito preocupada.

Ele beijava sua testa. Aquecendo-a.

- Eu estou bem. Obrigada. Não precisa se preocupar. Minha noite foi agitada, Tive pesadelos mas ... Graças A Deus... estou bem tranquila agora.

- Ai que bom , bonequinha.

Algum tempo depois, eles ouviam música. Vivian esticou-se na cama e deitou a cabeça no colo dele, que passou a mexer nos seus cabelos , e trançá-los. Foi quando ela perguntou.

- O que te chama atenção em uma mulher?

- Ah , o glamour! As roupas , enfim... O cabelão! Deixa eu ver o que mais...

- Bem , não era exatamente isso o que eu queria saber.

- Se você me perguntar : Xênia , o que te chama a atenção em um homem? Aí gata , com certeza eu saberei te responder melhor.

- Não , não quero saber.

- Mas por quê?

- Me deixa curtir a letra dessa música , é nova. Acabei de baixar.

- Ah bonequinha! Eu adoro essa música! Ela me faz lembrar você!

- Sério?

- Sim ....Ai , me emociono tanto! É doce, forte e tão sexy ao mesmo tempo.

- Surpreendente.

- Fala de sonhos.

- Sonhos impossíveis.

- De sentimentos. De descobertas...paixões... ai, quanta nostalgia!

- Nostalgia?

- Do que não vivi, do que não senti, do que não tenho e gostaria de ter, do que nunca vou viver.

- Talvez viva.

- Não.

- Talvez sim, se realmente for a sua vontade.

Enrico suspirou profundamente.

- Você me faz tão bem bonequinha! Não quero que esse sentimento bom que temos um pelo outro morra, nunca. Entende?

- Não vai morrer.

- E se a gente não puder mais se ver?

- Por que diz isso?

- A dona candelária, ela me odeia!

- Desconsidera. Sabe o que eu queria agora?

- O quê?

- Ganhar de você no boliche.

- Sério? Será que consegue se lembrar da surra que te dei na pista quando jogamos pela ultima vez?

- Eu não estava nos meus melhores dias.

- Ah, é por isso? Então eu quero ver. Que tal darmos um pulinho lá no shopping?

- Eu vou adorar.

- Só preciso passar em casa, me produzir, não é gata? E dar ração para o peixe.

- Então vou tomar um banho rapidinho.

- Te espero.

O banho durou 5 minutos e foi uma delicia. Agora ela estava cheirosa, e pronta para se produzir toda só para o amigo gay que adorava ajuda-la a se trocar. Nervosa com a proximidade e erotizada com o cheiro de Xênia, Vivian se atrapalhou com o sutiã. Foi prontamente socorrida.

- Ai , obrigada . Sempre me atrapalho nessa hora.

-  Que menina glamorosa hein! Isso sim podemos chamar de uma mulher de Peito!

Referiu-se empolgado ao tamanho dos seus seios.

- Xênia! Assim você me mata de vergonha.

- Por quê? O que é bonito e gostoso é para se mostrar sua boba!            

- Como você sabe que é gostoso se nunca provou?

- Bonequinha!

- Estou falando sério. Você os acha bonitos?

- Maravilhosos! Queria os meus deste tamanho.

- Ai, faça-me o favor!

- É mesmo! Olha!

- Quer pegar?

- Está louca Vivian?

- Não.

- Bem...

Vivian percebeu que Enrico estava tentado, Por isso pegou suas mãos e a colocou em seus seios. Os dedos dele começaram a tremer.

- Não é isso o que quer?

- Bonequinha! O que você pensa que está fazendo?

- Nada! Eu não estou fazendo nada.

No começo, Constrangido, ele apenas tocava os seios de Vivian com o polegar. Quando a pele macia se arrepiou ante o toque, Enrico afastou a lingerie da amiga e passou a apalpar com vontade a comissão de frente. Conhecia a textura, a temperatura. Verdadeiramente impactado, não queria parar. Vivian Gemeu, e a Drag gemeu junto. Fechando os olhos ele se entregou àquelas sensações inesperadas. Deliciosas. De repente a língua passou a substituir as mãos que agora percorriam pelo colo feminino com pericia e sem pudor. Foi quando se assustou com as batidas do próprio coração que Enrico resolveu se afastar.

- Ah meu Deus! Desculpa Vivian! Eu não sei o que me deu na cabeça! De coração, me Perdoa!

- Não precisa ficar assim tão chocado! Se você me disser que gostou , está perdoado.

- Perdoada mona! Ai , eu estou chocada. Não sei o que aconteceu! Eu nunca agi assim! Você bem sabe.

- Ainda não me respondeu. Gostou?

 - Bonequinha, se veste se ainda quiser ir para o shopping. Antes que fique tarde... você sabe como é o transito até lá.

- Tem razão.

Fanny abria a ultima caixa de lenço para xênia. Eles jantavam juntos.

- Chega! chega de chorar! Toma mais uma taça de vinho.

- Não mona! Bixa bêbada é o oh! Quer me embebedar perigosa? Nem!

- Você não é bixa.

- O quê?

- Você não é gay.

- Pirou agora fanny? Olha! Quem está aqui é aquela sua amiga , xênia . Drag queen máster. A louca que todos amam.

- Mentira!

- Como assim Fanny? Olha! Eu que começo a perder a linha por causa da bebida e você que pára de funcionar desse jeito?

- Não parei de funcionar coisíssima nenhuma. Muito pelo contrário. Agora as coisas estão começando a ficar muito claras na minha cabeça, porque se fosse gay , você não teria ficado nesse estado só porque não resistiu ao pedido da nossa bonequinha. Você ficou desesperado porque gostou. É isso!

- Não! Realiza mulher! Ficou louca?

- É só parar e pensar direitinho para ver se eu estou certa ou errada.

- Ai poderosa , me ajuda!

- O que posso fazer por você querido?

- Querido não! Olha olha! Mais respeito com essa biba!

- Por que você faz tanta questão de mostrar que é gay?

- Monissima! Tenha misericórdia dessa sua amiga. A vivian não pode saber de uma virgula do que dissemos aqui. Não fala nada!

- Vocês vão se ver ainda hoje?

-Não! Eu não tenho a menor estrutura. Nós passamos uma tarde deliciosa juntas! Ela ganhou de mim no boliche acredita? Abalamos naquele shopping mas....

- Entendo. Bem , se você já está melhor eu vou embora. Tchauzinho, muito obrigada pelo convite, o jantar estava delicioso. Adorei tudo.

- Espera aí musa! Onde pensa que vai?

- Para a minha casa oras!

- Não ! Não senhora. Vai passar a noite aqui comigo.

- Você só pode estar louco de pensar que eu vou deixar o meu namorado , para dormir com um...

- Olha! Muito cuidado com suas palavras meu docinho! Fanny! Você é assim tão sem coração para deixar uma amiga sozinha? Neste estado?

- Ai meu Deus que Drama!

- Olha , a gente faz brigadeiro! Se for intimo demais para você dormir aqui, podemos também colocar os colchonetes ali na sala e passar a noite em frente a lareira o que você acha?

- Assim não dá para resistir. Olha , é só porque eu te amo muito e estou vendo que você não está bem.

- Você fica?

- Fico!

- Ai fanny glamurosa! Obrigada monissima! Você não vai se arrepender.

- É bom que você me ajuda a tirar essa maquiagem.

- Pode deixar comigo.

A noite transcorria uma maravilha. Compartilhavam uma comédia romântica enquanto devoravam o brigadeiro com o qual xênia lambuzava o nariz de Fanny . Acabavam de entrar em uma guerra de travesseiros.

Eles riam até perderem o fôlego. Se abraçaram.

- Eu não sei se eu já te disse...

- Sim?

Ela lambia o dedo achocolatado para limpar.

- Você é muito diferente quando não está montado. Faz isso muito bem porque parece que Xênia e enrico são pessoas distintas.

- Fala sério monissima?

- E você é lindo! É um homem muito atraente , tem braços fortes ... e ....

- Fanny , louca! Por acaso está tentando me seduzir?

- Claro que não.  É apenas um elogio.

- Ah bom!

- Você tá sozinho?

- Sozinha! Sem nenhum bofe a vista , por enquanto. Por quê?

- Por nada! Sempre é bom ter alguém, estar apaixonado...

- É verdade.

- Xênia, o que você me diz da nossa bonequinha?

- A vivian? É necessária! Ela me entende, consegue me aturar em meus piores dias , as vezes até acho que advinha meus pensamentos. Não me canso nunca da presença dela.  Quando a gente está junto, posso ser quem eu sou. Não preciso me esconder. Não uso máscaras. A minha condição não atrapalha em nada nossa amizade.

Fanny tossiu constrangida.

- Amizade.

- Sim. Oras!

- Vamos dormir Xênia?

- Vamos!

Eles travavam outra guerra diferente da de travesseiros.

- Eu durmo para cima. E você para o lado de baixo.

               Determinou fanny.

- Não. Quero dormir do mesmo lado.

- Se meu namorado souber que eu dormi na mesma cama com outro homem , capaz de ele me matar.

- Ah , cresce mona! Por acaso está com medo de um ataque? Meu? Céus! Monissima , eu sou uma santa! Comigo não corre perigo nenhum.

- Eu bem sei o quanto é santa.

Ele venceu.

- Boa noite.

Desejou ao apagar a luz.

- Boa noite.

No dia seguinte os três andavam de Patins.

Fanny e Vivian de mãos dadas e Enrico travestido de xênia que estava cor de rosa da cabeça aos pés. Vestia um corselete Pink todo trabalhado no strass. Calça de napa também da mesma cor. E o patins com motivos da Barbie adesivados.

As meninas sentaram-se em um banco para descansar. Xênia preferiu usar um daqueles aparelhos de ginástica agora disponíveis pelas praças da cidade.

Procurando se acalmar , Vivian suspirou.

- Amiga, por que ele faz isso?

Questionou desolada.

- Vivian pelo amor de Deus! Você sempre soube que ele era assim.

- É verdade mas... agora eu estou apaixonada.

- Ai amiga! Sai dessa bonequinha! Eu não gosto de ver você assim.

- E o que é que eu vou fazer para tirar esse cara da minha cabeça?

- Não sei , a gente tem que dar um jeito! Mas sabe... pensando bem , nem tudo está perdido.

- Como assim?

- Ele está sozinho. Não tem ninguém e também não está apaixonado.

- Como sabe?

- Ele me falou. Ai Vivian, essa história de vocês me deixa muito confusa.

- Realmente. Já percebi que você não quer que a gente fique junto.

- Eu só não quero ver você sofrendo ! Será que não percebe? Não consigo ver um futuro para vocês. O enrico nunca vai gostar de mulher.

- Pára!

- Você acha que sim?

- Acho.

- Quer investir?           

- Sim.

Fanny suspirou profundamente.

- Boa sorte amiga.

 A conversa foi interrompida. Xênia sentou-se ao lado delas para calçar novamente os patins.

- Ai meu Deus! O que minhas duas princesas tanto confabulam afinal?

- Nada! Imagina!

- Vamos embora?

- Só se me levar para casa.

Propôs imediatamente a apaixonada.

- Você vem conosco Fanny?

Havia um tom de esperança no olhar e na voz de enrico que não queria ficar sozinho com Vivian.

- Não.

- Mas por que glamorosa?

- Marquei com meu namorado. Não posso furar com ele xênia. Você sabe.

- Ah! Tudo bem querida! Vai amar, eu levo a minha bonequinha.

- Ligo para vocês mais tarde.

- Vamos ficar esperando.

- Tchau tchau. Adorei o passeio.

 Alivio e Decepção foi o misto constrangedor que xênia sentiu ao ver que dona candelária não se encontrava em casa. Esperava que vivian não percebesse seu estado para não a ofender. Ele não queria ficar sozinho com ela e ao mesmo tempo dava graças a Deus pela senhora não estar. Só assim poderia ter mais liberdade com a bonequinha. Liberdade essa que ele adorava e da qual Vivian pretendia tirar o máximo de proveito.

- Nossa xênia , como você está suada!

- Viu bonequinha? Nada melhor do que queimar calorias. Adoro!

- Não quer se Trocar? Vamos até o meu quarto,podemos ver se alguma coisa minha cabe em você.

- Amore, por favor! Olha o meu tamanho! Mesmo assim valeu a intenção.

- Desculpe. As vezes esqueço. Você não é uma menina.

- Eu sou sim uma menina. Uma borboletinha, presa nesse corpo horrendo de macho.

- Ah , não sse preocupe. Eu sei de uma coisa que vai servir bem em você. Vem comigo que eu te mostro.

- Ai o que seria hein bonequinha?

- Vem.Vamos no meu quarto.

- Ah não! No seu quarto não.

Sua voz denotou medo. Mas medo maior ele sentiu foi com o estranho ritmo que ganhou seu coração. Deu uma risada para tentar ocultar aquele som inconveniente que o preocupava e o deixava louco. Ele não queria ouvir.

- Algum problema? Meu cantinho por acaso te faz lembrar algo que não queira?

- Lógico que não. O que eu teria para não querer recordar bonequinha? Sempre nos divertimos muito ali.

- Isso lá é verdade.

- Então... Só não quero abusar demais. Nem invadir a sua privacidade.

Ele tentava disfarçar. Entrar no quarto de Vivian? Foi ali que pela primeira vez ele se viu dominado por instintos masculinos deliciosos, perturbadores, excitantes... os quais não gostaria de reviver. Estava ciente de sua opção sexual. Ela era clara e não pretendia mudar. Não tinha como mudar. E não era uma questão de escolha, mas...

Seus pensamentos foram interrompidos quando ele foi puxado pelo braço.

Inseguro. Sim , estava inseguro. Por isso buscou xênia com todo o seu fervor lá do fundo. Bem do fundo. Onde naquele momento assustadoramente ela queria ficar escondida. Xenia queria sumir.

O suspiro profundo que emitiu era uma tentativa desesperada para evitar que uma lagrima que teimava em turvar sua visão , escorresse por seu rosto.

Vivian suspirou também.

- O que foi?

          Perguntou apaixonada.

- Nada bonequinha.

- Não está curiosa para saber o que eu tenho para te dar?

- Estou sim. Com certeza.

- Então me segura.

Descontraida ela pediu a sua ajuda para alcançar uma caixa que estava em cima do guarda roupas. Subiu em seu ombro. Mais uma prova para enrico.

O ângulo em que ela se encontrava fazia com que a calça realçasse ainda mais as curvas das pernas femininas. E por que um de seus seios ficou parcialmente exposto pela queda de uma das alças da fina camiseta? Tudo parecia a xênia tão sensual que uma vertigem fez com que ambos se desequilibrassem. Só devia ter tomado muito sol naquele passeio, pois não se sentia nada bem . Por muito pouco ela não machuca a bonequinha.

- Desculpa.

Apenas sussurrou.

- Imagina! Eu é quem peço desculpas. Não sabia que estava assim tão gorda , eu...

- Gorda? Você ? não! Eu...

Ambos arfavam.

- Deixa para lá. Tá aqui o seu presente.

- Um presente? Para mim? Mas por que bonequinha?

- Porque gosto de você. Porque você é a minha Xênia e... Vai, abre! O que está esperando?

- Vou abrir agora mesmo.

- Bem , Sei como você gosta de peças personalizadas. Essa foi feita especialmente para você. Mais uma para sua coleção. Espero que goste.

      Finalmente o embrulho foi aberto.

- Vivian! Que máximo!

Um conjunto de calcinha e sutiã vermelho com branco. Que remetia a tempos passados.

- É do seu tamanho.

- E vintage! Ai bonequinha, arrasou!

- Você acha?

- Claro!

- Quem vai arrasar é você quando vestir.

- Ai , e quero que você seja a primeira a ver. A fanny vai ficar boba , aquela louca! Posso te dar um abraço bonequinha? Estou tão emocionada com meu presente!

- Claro. Agora.

- Bonequinha linda!

Para Vivian , o tempo parava ali , naquele abraço longo e cheio de carinho. Mas não. O tempo passou, muita coisa mudou. Inclusive Vivian. Essa sofreu uma mudança tão radical que custou sua amizade com Fanny. Ela acabou se afastando. No começo, Fanny até aceitou ajudar a bonequinha a conquistar o amor do amigo travesti. Enquanto o projeto não a afetara.

- Não dá para continuar Vivian. Está me fazendo mal ver você se agredindo desse jeito. Nem te conheço mais. Quero a minha amiga vivian. Quero a minha bonequinha de volta.

- Mas sou eu Fanny! Deixa de ser dramática.

- Se olha no espelho e vê se estou sendo dramática. Olha o que você fez consigo mesma. Não conversa comigo enquanto tiver com essa loucura na cabeça. Não me procura mais. Nós duas agora querida, somos páginas viradas. Quando Se arrepender. Me liga.

Vivian não se arrependeu.

Xênia virou uma obsessão. Obsessão essa que a levara a fazer coisas inimagináveis.

Fanny Tinha razão. Em seu interior , continuava sendo Vivian. Mas a aparência...

Cortara os cabelos que tanto amava, aderiu o uso de boné, baniu a maquiagem de sua vida. Vivian passou também a praticar boxe e frequentar academia para ganhar músculos. Como não obtvera o resultado desejado apelou para as substancias proibidas , fazendo aplicações de anabolizantes.Principalmente no abdômen e nos braços.

Vivian estava completamente masculina. Enxugou as lagrimas. E o resultado?

            5 meses depois.

- Se eu dissesse que te queria? Qual seria a minha chance de te ter?

- Nenhuma moninha.

- O quê? Como?

- Eu venho sacando que me ama , oh! A muito tempo. Mas só que você está se desgastando , porque eu preciso ser sincera contigo. Não vai adiantar nada se mascarar desse jeito para me conquistar , porque por trás desse machinho no qual você se transformou nesses últimos meses, vai continuar existindo uma menina e com meninas eu não levo jeito! E não adianta! Meu negócio é homem mesmo!

  Ela enxugou as lágrimas e declarou.

- Era.

- Como?

Ele perguntou.

- Você vai ser meu a partir de agora. Pode estar ciente de que eu vou fazer de tudo para que fique perdido de amor por mim , assim como estou por você. Seu tempo de mulher agora acabou , minha filha.

- Olha que eu te coloco no hospício hein!

- Ah! E tem mais! A partir de hoje eu não te empresto um brinco meu e nem te dou lingerie de presente.

- Amor ! não pira ! assim você cai no meu conceito! Eu não estou brincando!

- Eu também não! Eu te quero como um homem!

- Isso é impossível. Vivian , Nasci para ser gay.

- Não. Você vai ver que não. Com o tempo...

- Nada de Tempo bonequinha , sinto muito. Esquece! Eu não vou me apaixonar por você.

As atitudes de Vivian mudaram em muito a relação dos três. Não tinha mais o apoio de Fanny , que se afastara a meses e agora acabou ficando sem a presença da Drag queen.

Mas xênia ao contrário de Fanny não conseguiu ficar tanto tempo longe. A bonequinha conseguiu deixar sua marca.  E de um modo ou de outro a conversa que tiveram mexeu com o travesti . Tanto que ele resolveu tirar xênia de circulação. Ao lado dela não se vestia assim. Nada de feminilidade. Deixou crescer a barba, coisa que ele mais detestava e mais trabalho dava na hora de virar menina outra vez. Aborrecido ele suspirou.  Até de um novo amor o performance abriu mão. Tudo para não magoar sua bonequinha. Mas será? Na quinta feira , de manhã bem cedinho ele chegou na casa dela , levando uma cesta personalizada para tomarem café. E depois dessa ceia, Xênia decretou:

- olha se me aceitar assim , quem sabe até pode rolar alguma coisa. Podemos conversar, mas não me pede para mudar mais nada porque já abri mão de muita coisa por você!

- Por acaso está sugerindo que eu te namore assim? Uma mulher?

- Sim , eu sou mulher!

- Não! Você é homem!

- Por favor bonequinha. Eu nasci um. Mas não me sinto um!

- Quer saber? Já não aguento discutir mais. Isso cansou!

- Para mim também já deu.

- Então que tal? Vamos fazer assim,Eu fecho os olhos e você me dá um beijo.

- Beijo, beijo? Daqueles ?

- Beijão!

- Não! Imagina! Ficou louca bonequinha?

- Você é que está se fingindo de louco, tentando adiar ainda mais esse momento. Vamos enrico. Porque não me beija logo e acaba de vez com essa espera que tanto está me matando?

- Ai menina , eu não te entendo! Porque se humilhar desse jeito? Uma garota tão linda! Tão...

- Eu me humilho. Me humilho e faço o que for necessário para ter você e sabe por quê? Por que eu te amo! E eu vou conseguir fazer com que você enxergue. Mais cedo ou mais tarde você vai enxergar , passe o tempo que passar não me interessa. Eu não desisto. Você ainda vai ver que eu! Eu xênia , sou a mulher de sua vida.

- Bonequinha!

Agora era xênia que chorava.

- Eu te amo enrico.

Declarou para si, pois seu amor já estava longe. Muito distante, não tinha a menor condição de continuar com a conversa, não tinha a menor condição de continuar ali.

Xênia seguia chorando sozinha e Vivian foi procurar um ombro querido para chorar.

- Vivian!

Foi a Recepção de Fanny.

- Você ainda é minha amiga?

- Claro! Vou ser para sempre bonequinha! O que aconteceu?

Perguntou abraçando a recém chegada.

- Você tem razão, você sempre teve razão. É inútil. Ele nunca , nunca vai me amar!

- Vivian , eu tanto que te avisei! Se tivesse me ouvido , não estaria sofrendo desse jeito!

- Por favor Fanny! Agora não é hora para broncas. Preciso muito do seu apoio.

E Fanny enxugava as lagrimas dela com carinho.

- Eu sei bonequinha! Me desculpa! Mas...

- Agora sim tenho que desistir dele. É muito estranho amiga! Não tem ideia de quanto estou confusa nesse momento.

- Eu imagino!

- Enrico disse que se eu quisesse aceitar a xênia , a gente até podia tentar alguma coisa mas ele não ia abrir mão de mais nada por minha causa. Isso foi muito agressivo. Eu sou hétero! Como é que eu vou namorar uma mulher?

- Você está mesmo confusa. Se você está se referindo a Xênia , não se esqueça! Ela é uma personagem.

- Uma personagem que se o enrico pudesse viveria vinte e quatro horas. Ela tem muita força! Já prestou atenção? Ele é muito feminino. Não tem quase nada de homem.

- Olha amiga , andei conversando muito com ela no tempo em que eu e você estivemos separadas e eu te garanto que  xênia está passando pelo mesmo dilema que você. Eu falei com enrico. Ele não é gay . Enrico é Bi. E acho que ele está apaixonado por você.

1 semana depois.

“ sua bruxinha , que feitiço lançou sobre mim para fazer com que eu não consiga te tirar da minha cabeça um só minuto? Ai meu Deus , será que estou virando homem?

Pensou apavorado , deixou transbordar o café expresso de uma turista e já errara dois pedidos dos clientes , por se deliciar lembrando de momentos peculiares que passara com vivian. De sentir saudades das risadas, por querer sentir o cheiro do perfume, De raiva e ciúmes de fanny, De medo da interferência e do preconceito de dona candelária. Derramou café expresso mais uma vez. Levou uma chamada tão grande do gerente do cyber que teve que pedir para ir embora mais cedo. Não tinha condições nenhuma de trabalhar naquele estado. Foi procurar Fanny , que duramente sentenciou:

- Ela me procurou , e disse que desistiu de você.

- Não!

- Escuta cara, o que você queria? A vivian é apaixonada por você. Finalmente nossa bonequinha viu as consequências de alimentar essa ilusão.

- ilusão? Não não é ilusão!

- É sim.

- Glamourosa me ajuda!

- Não , eu não posso fazer nada.

- Tente entender , não quero que me veja como um carrasco. Não era a minha intenção machucar a bonequinha.

- Mas machucou. Todo mundo sabe que mulher não é a sua onda então a sua obrigação seria cair fora assim que se tocou de que a bonequinha estava apaixonada por você. Mas fez questão de fazer tudo ao contrário, ficou lá mimando ela , queria ficar cada vez mais perto dela , dando carinho e etc , só que não era esse o tipo de carinho que ela queria. Não era o carinho de um travesti que ela queria , quem por sinal poderia ser seu tio , seu irmão , seu avô... ela queria seu amor de homem. O que você nunca vai ser.

Desabafava fanny.

- ai glamorosa , é que eu fiquei confuso.

- Pois é, estou sabendo. Você acabou com a coitadinha.

- Por favor , não fale assim.

- É a verdade.

- Ainda estou confuso.

- Em relação a quê?

- Em relação aos meus sentimentos pela Vivian. Fanny estou me sentindo a criatura mais estranha do mundo. Eu nunca senti isso, não sei como lidar com o que eu estou sentindo. Também não sei como me expressar.

- Sinto muito. Agora não há mais espaços para Duvidas. Não é de uma drag Queen insegura que a Vivian precisa. Ela precisa do amor do homem de sua vida. O enrico.

- Fanny, eu posso estar amando a bonequinha.

- Como ?

- Isso mesmo que você ouviu.

- Fica difícil acreditar , desculpa. Eu não vou deixar você se aproximar dela , só para fazê- la sofrer novamente. Vivian já chorou demais.

    Xênia não conseguiu convencer Fanny. Ela acreditava em sua total homossexualidade e não o queria como affair de sua melhor amiga. Uma irmã que ela sempre sonhou ter e não teve.

Xênia resolveu lutar sozinha. Provaria para glamorosa que era perfeitamente capaz de fazer a amiga delas feliz.

O que Fanny dissera era verdade. Vivian não queria ver o performer nem pintado de ouro.

Sem saber como agir, a única coisa que ele fez foi devorar 5 caixas de chocolate. Não satisfeito atacou a geladeira, mas não foi muito longe, pois lá não encontrou nada de interessante.

Depois de muito chorar , ele dormiu pensando: as mulheres eram muito complicadas.

Isso se confirmou ainda mais na noite seguinte quando Vivian apareceu na casa de espetáculos em que se apresentava. Só que ela o encontrou sentado á mesa. Em um canto , muito solitário. Vivian sentou-se sem convite com dois copos de bebida na mão. Entregou o dele e por um momento os dois apenas sorriram.

- Não me diga que cheguei tarde.

- Não. Hoje eu não dancei. Que surpresa Bonequinha!

- Pois é.

Havia certo constrangimento entre ambos.

- Você está gatissima essa noite.

- Você também está muito bem.

- Obrigada. Ai bonequinha. Já estava morrendo de saudades suas .malvada! Por que não atendeu nenhum de meus telefonemas?

- ah, não quero falar disso.

- Tudo bem, melhor não falar nada mesmo.

O silêncio de Vivian era emocionado. Ela fechou os olhos. Se assustou quando sentiu que de repente, dois dedos finos e muito gelados acariciavam seus lábios , esses passaram a tremer sutilmente. Xênia pediu que a amiga relaxasse e foi isso o que ela tentou fazer , se entregando ao carinho inocente e sensual ao mesmo tempo. Sorrindo internamente então , ela deslizou sua língua entre eles. Que foram retirados.

Vivian abriu os olhos e para sua surpresa viu que xênia os lambia.

Ela ria.

- Pára.

Pediu constrangida.

- Desculpe. Eu me excedi.

- Se você não parar a gente vai se beijar.

Ao ouvir isso a outra aproveitou . Suas mãos brincavam com os seios fartos , enquanto a boca explorava com gana o pescoço sensual.

- Eu bem que te avisei.

Sussurrou ela que mordia de leve os lábios que tanto amava para depois trocarem um beijo extremamente voraz e muito longo.

- Era exatamente isso o que eu queria.

Declarou o performer.

- você é louca!

- Louca por você.

- Tá falando Sério?olha que eu sempre sonhei em ouvir isso.

- É verdade.

- Te amo Xênia.

- Te amo bonequinha. Que bom que não desistiu de mim. Fanny vai ficar bege com a novidade. Ai eu acho que a glamorosa vai mesmo é desmaiar.

Eles riram divertidos.

- Me belisca.

- Eu? E machucar minha bonequinha? Nunca! Prefiro mais é te beijar!

- Sem sombra de Dúvidas , isso é mesmo bem melhor.

- E afinal de contas , eu bem que estava te devendo.

Xênia e Vivian causavam na danceteria. Os colegas de trabalho do travesti não conseguiam acreditar em seus próprios olhos. A cena romântica provocou um frisson nos presentes.

- Oh meu Deus! É o fim do mundo!

 Dramatizou uma Drag, se abanando com o seu leque fashion.

- Ah , o amor!

Poetizava outra.

- O que foi que aconteceu com o nosso enrico?

- Ele mudou de time.

- Meu Deus! Ah estou passando mal!

- Essa mina deve ser mesmo muito poderosa para converter nossa biba.

Incomodados com a intromissão eles interromperam o beijo. Xênia logo declarou:

- Não estou convertida meninas!

Vivian ficou de boca aberta.

- Ah não amor! Como assim?

- Não se preocupe bonequinha. Xênia nenhuma no mundo vai roubar o lugar que você ocupa no meu coração.

Ela sorria emocionada.

- Assim espero.

- Assim será querida. Agora , meninas por favor. Me deixe a sós com minha namorada.

O coração da apaixonada acelerou ante a frase.

- Namorada? Eu sou sua namorada?

Repetiu assim que ficaram sozinhos.

- Sim. Sim e sim bonequinha. O que pensou?

- Que a gente estava ficando.

- A gente está namorando. A não ser que você não queira.

- Claro que quero.

Não era a intenção de Enrico Vivian ser mais do que sua melhor amiga. Agora ela era namorada.

Vivian abriu mão dos seus conceitos por amor, chocando a sociedade que não aceitava aquele tipo de relacionamento.

Por onde quer que passassem eram alvos de comentários e perguntas constrangedoras que tiravam o transformista do sério.

Vivian estava apaixonada por xênia que na verdade era Enrico, Enrico era um Homossexual Transformista que se apaixonara por sua amiga Hétero, agora havia virado bi e ainda estava chocado com a descoberta .

Delicadas , Xênia e Vivian Seguiam Curtindo o que de melhor lhes rendesse aquela relação.

Fim!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Pin It
Atualizado em: Dom 19 Maio 2013

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222