person_outline



search

Desconfianças

É vergonhoso o nosso verdadeiro pensar quando nos deparamos com um político dos dias de hoje. Ser político tornou-se, popularmente falando, sinônimo de desonestidade. É humilhante para um cidadão honesto tentar escolher entre milhares, um que se possa dizer: nesse eu confio!
Há um “fio” de esperança, pois entre mil ainda se tira um. A dificuldade para tanto, é assustadora! Mas a “luz no fim do túnel,” existe! O país está tentando mudanças, mas a impunidade ainda é o “carro chefe” dessa ‘vergonha Nacional’ em que vivemos.
É verdade que todo país tem problema, mas o brasileiro que conhece alguns países do chamado “primeiro mundo” sabe que o Brasil ainda tem de subir, entre dez degraus, no mínimo, nove.
Nem sei se alguém sonha com isso, mas o certo é que esperamos uma nação aonde se possa dormir sossegado, onde o operário tenha a certeza do seu emprego e hospitais nos recebendo e nos atendendo como um daqueles que possibilitaram a construção do mesmo.
Queremos um país cuja educação seja efetivamente, a certeza de uma vida melhor, pois os estudantes de hoje, serão certamente os governantes do amanhã. Que governabilidade terão os nossos descendentes? Se os futuros Presidentes da República e Governadores dos nossos Estados tal e qual os Prefeitos dos nossos Municípios, não forem preparados com uma educação consciente, completa e geral?
Ainda quero ter o prazer de encontrar alguém pela rua e feliz da vida me dizendo: que alegria poder votar em ‘fulano’ por ser honesto, sério, exemplar e verdadeiramente preocupado com o seu semelhante e com o seu país. Deus há de me deixar vivo até o dia em que algo assim possa ser uma realidade.
Os letrados, todavia, nem podem condenar aqueles sem leitura, sem cultura e sem dignidade, dizendo: “eles vedem seus votos por um saco de cimento, por um par de sandálias!” quando os “letrados” são justamente aqueles que não deram a oportunidade destes serem devidamente educados ou quando não possibilitaram um emprego digno ou coisa parecida.
Quando há cultura, educação, consciência, é mais difícil manipular o cidadão. Talvez essa seja a questão, não quero me mostrar pessimista, mas penso que a classe política (hoje) prefere o cidadão fácil de manipulação, por isso o abandonam à própria sorte. Tipo: “o pobre de mais, eu compro” então que permaneça podre de mais... “o analfabeto, eu enrolo, engano” então o deixe analfabeto mesmo...
Quero que Deus tire da minha mente o pensamento vergonhoso de viver num país assim. Amo o meu Brasil! Amo o povo brasileiro! Mas tenho vergonha dos nossos governantes.
Pin It
Atualizado em: Ter 21 Ago 2018
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222