person_outline



search

O PREÇO DE UM MILAGRE

Dia desses escutei, numa emissora de rádio, um locutor fazer uma breve narrativa sobre uma garotinha esperta, cujo irmãozinho estava muito doente, e seus pais, que já haviam trocado o luxuoso apartamento por uma pequena casa na periferia, vendido o carro e até alguns móveis para custear as despesas com médicos e medicamentos, já não tinham mais recursos para pagar o tratamento...

Desesperado e sem saber mais o que fazer ou a quem recorrer, seu pai, num dado momento, desabafou dizendo que “só um milagre poderia salvá-lo”!

Ouvindo aquilo, ela correu para o seu quarto, juntou todas as suas moedinhas e contou. Uma, duas, três vezes. Cuidadosamente, pois precisava ser exato!

Então pegou seu pequeno tesouro, colocou no bolso, e correu até a farmácia mais próxima. Lá chegando, encontrou dois homens que conversavam animadamente e não lhe deram atenção.

Mesmo assim, ela pediu:

- Quero comprar um milagre...

Mas eles sequer notaram a sua presença! Determinada, ela insistiu! Fez barulho com os pés, tossiu, bateu com as moedinhas no vidro, até que um deles, irritado, respondeu:

- Não vendemos milagres aqui! Estou conversando com meu irmão, que acabou de chegar de Chicago...

Mas ela não se deu por vencida, e falou firmemente:

- Meu irmão está muito doente e meu pai disse que só um milagre pode salvá-lo! E eu quero comprar um!

Diante de sua insistência, eles se calaram. Então o segundo homem fixou demoradamente os seus olhos naquela garotinha decidida. Ela continuou ali, parada, estática! Ele sorriu, se aproximou, agachou-se e perguntou:

- Quanto você tem?

- Um dólar e um centavo. Pode contar... Respondeu ela. E estendeu a mão, mostrando as moedinhas...

Ele pegou as moedinhas, contou, colocou no bolso, e lhe disse:

- Está certo! Você tem exatamente o que precisa! Onde está seu irmão?

E, pegando-a pela mão, deixou que ela o conduzisse até sua casa...

Ele era um renomado neurocirurgião! A cirurgia foi um sucesso! E sem custo algum para a família da menininha...

E, com uma bela música ao fundo, o locutor encerrou a narrativa dizendo ter sido verdadeira...

 

Se aconteceu realmente, não posso afirmar. Mas é verdadeiro o fato de que, arrastadas pelo movimento da dor, pessoas vagam sem rumo ou simplesmente se rendem à apatia, deixando seus caminhos tornarem-se becos sem saída, transformando suas vidas em condomínios fechados, de acesso restrito, onde apenas a tristeza, a baixa estima, o rancor, o ódio - e tantos outros agentes erosivos que pouco a pouco vão corroendo o que há de melhor em cada ser humano – tem permissão para entrar...

E seguem assim, dia após dia, olhando pela vidraça do desencanto e assistindo o cair de uma chuva de mágoas que vai afogando seus valores e minando seus alicerces, até que tudo começa a ruir, a desmoronar, a se tornar uma inóspita paisagem, onde a porta do desespero é única passagem que seus olhos são capazes de vislumbrar.

Então, já sem forças para buscar a saída, sentam prá lamentar, e cumprem penosamente os seus dias, à espera de um milagre...

E nós? Quantas vezes passamos apressadamente e fingimos não ver, ouvir ou saber? Quantas vezes abaixamos a cabeça prá não olhar nos olhos da vida, e tentamos nos esconder da culpa na desculpa de que nada podemos fazer, ou usamos aquele velho e desgastado argumento de que uma pessoa só não pode mudar o mundo?

Então seguimos em frente fingindo não notar que é assim, cegando nossos sentidos prá não encarar o que negamos e negando o que sentimos prá não perceber o que somos, que passamos ao largo da realidade sem nos darmos conta de que um milagre custa tão pouco, e de que, num dado momento da vida, todos nós precisamos urgentemente de um...

Pare! Olhe! Perceba! Um coração é uma “tenda dos milagres”!!! Veja quantos estão “à venda”! Pegue um sorriso, um pouco de boa vontade, uma pitada de carinho e um minuto que seja do seu preciosíssimo tempo e visite um coração!

Você vai descobrir como é fácil “comprar” e doar um milagre! E que qualquer um deles, até mesmo o mais precioso, aquele capaz de salvar uma vida, custa apenas um pequeno gesto de amor!

Pin It
Atualizado em: Qui 18 Mar 2010

Comentários  

#5 AnaLettiere 11-04-2011 13:51
Texto maravilhoso,parabéns!O maior milagre que o ser humano pode promover em favor do próximo e de si mesmo é esse,vencer a desesperança e a omissão!O desfecho de seu texto certamente seria desastroso se a menina e o neurocirurgião não fossem essas almas iluminadas!
O mundo está repleto de situações como esta e precisamos estar atentos para perceber a urgência muitas vezes silenciosa e estarmos dispostos a ajudar,porque é inútil enganar a todos com a desculpa "não percebi" quando na verdade somos incapazes de mentir para nossa consciência.Tudo seria infinitamente melhor se em vez de pensar "só eu estou ajudando" na hora de tomar uma atitude,acreditar "sou mais um ajudando" e se sentir feliz com isso,por estar fazendo a imensa e boa diferença na construção do futuro.
Letras emocionantes,muitos aplausos e estrelas! :D
#4 azara 10-04-2011 15:17
Muito bom seu texto,uma realidade que todos deveriam fazer mais.Assim teriamos um mundo bem melhor.Parabens.*****
#3 Cilas_Medi 25-03-2010 07:20
Emocionante o relato. E nos chama para uma realidade. O saber doar. Parabéns, poeta!
#2 tania_martins 22-03-2010 19:59
Ótimo texto.Parabéns!
#1 rackel 18-03-2010 11:59
Visitar um coração não custa muito e engrandece quem o faz. O milagre da sobrevivência, que se constrói a cada dia, humaniza um pouco mais este mundo se agregarmos doses de compaixão. Gostei.

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222