person_outline



search

despedida

Não pense que é fácil. Não ouse pensar assim. Depois de cinco anos e algumas brigas nada mais é fácil. Então, por favor, não pense que eu estou bem. Você deve estar se perguntando: se é assim tão difícil, porque terminar então? Ah, quem dera se fosse tudo so easy. Mas não é e você sabe muito bem. Dói. Dói demais dizer/pensar/imaginar que não somos mais um casal. Dói perceber que há a possibilidade de termos sonhado tanto juntos, mas de não chegarmos a realizar nada. Dói. Sufoca. Mas nos sacode e faz com que a gente olhe para a vida de uma forma menos conformada. Pelo menos é o que eu espero. A revolução pelo amor. E como vivo dizendo: o amor se transforma. É isso que eu quero. Não estou buscando desesperadamente me livrar da tua memória. Não sou assim. Prefiro guardar as coisas boas, mas preciso cair fora antes que os problemas dissolvam as alegrias que tivemos juntos. Talvez sim, talvez esse seja, sim, um jeito imaturo de olhar para as coisas. Ou talvez seja apenas esse meu jeito de tentar ser feliz. E para ser feliz preciso me desvincular do que me machuca. Por isso estamos separados. Por isso não podemos ir além.

Não buscava um homem perfeito, não sou tola de acreditar nessa utopia. Mas sou incrivelmente ingênua em acreditar que a felicidade pode existir sim, e deve ser palpável e por que não palatável? Eu sei que esse amor que eu preciso para viver existe. Existe certamente e nós já o vivemos juntos. Não me esqueceria disso por nada. Mas agora somos apenas eu e você nos encarando, sem dó, sem máscaras, sem luvas. Um contato direto, mas não profundo como deveria ser. Um contato de quem se acostumou.

Eu precisava escrever. Sei que já te disse tudo, mas é escrevendo que eu me confronto. E eu preciso me olhar de frente pra seguir. Preciso me resolver para acordar mais leve e com aquele sabor de amor bem vivido. É preciso parar por aqui. É preciso salvar o que nos resta. É preciso nos salvar.

Escrever era necessário. As palavras são perigosas, meu bem. Esguias, elas fogem da racionalidade e insistem em dizer algo além do nosso desejo. E terminar é tão pesado. Quem começou com essa história de terminar, como se fosse necessário dar um fim, acabar, eliminar, matar qualquer forma de amor, qualquer contato? Não, se é assim, nós não terminamos. Na sua linguagem eu diria que "migramos de plano". É, é bem assim. Eu não deixei e não vou deixar de te amar. Tampouco você o fará. Mas nossas limitações e fraquezas exigem uma "reconfiguração" da nossa forma de amar.

Se eu quero você por perto? É claro que sim! Você é meu melhor amigo. Meu companheiro. Meu discípulo mais fiel e desleixado. Meu primeiro. Meu. Pra sempre e pra sempre mais. E a forma mais sensata de ficarmos felizes é sermos agora, mais do que nunca, um para o outro aquilo que precisamos. E eu preciso de você e você de mim. Então trate de se fortalecer sem mim que eu farei o mesmo no meu cantinho, que, assumo, é bem mais sem graça sem você.
Pin It
Atualizado em: Ter 10 Mar 2009

Comentários  

#4 jackiebarra 22-07-2010 08:02
Que lindo!!!!! Nunca desista de amar, o amor nos fortalece e caso ainda não tenha chegado seu momento,saiba que ha alguém em algum lugar que lhe dará o amor que tanto almeja.Bjus na paz,estrelado e favoritado!!!! :love:
#3 jackiebarra 22-07-2010 08:02
Que lindo!!!!! Nunca desista de amar, o amor nos fortalece e caso ainda não tenha chegado seu momento,saiba que ha alguém em algum lugar que lhe dará o amor que tanto almeja.Bjus na paz,estrelado e favoritado!!!! :love:
#2 thacipereira 13-04-2010 14:35
que liiiiindo :love: adorei, nunca desista do amor. Cinco estrelas para você :D
#1 thacipereira 13-04-2010 14:35
que liiiiindo :love: adorei, nunca desista do amor. Cinco estrelas para você :D

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222