person_outline



search

Gárgulas de sangue - VIII

Capítulo 8
Não foi difícil, encontrar Selma Rios. Ela havia se mudado para França, alguns meses após o trágico assassinato de seu marido, dentro de casa por um estranho. Dona da fortuna deixada, ela desfruta dos prazeres oferecidos pelo dinheiro. Canário vasculhou toda internet, mas como não poderia deixar de ser, Selma é muito discreta. Não frequenta lugares badalados, apenas se restringe a consumir sua fortuna, sem filhos ela comprou um apartamento no centro de Paris que possui uma vista esplendorosa do Arco do Triunfo.
Sentado diante das centenas de fotos de Selma, fruto do pagamento feito ao detetive, Hermes se levanta, pega uma das fotos e olha mais atentamente. Percebe uma certa semelhança entre Selma “Stella” e Verônica.
No outro dia, vai atrás do sobrinho, craque em informática, para pedir uma ajuda. Pedrinho tinha um certo conhecimento e ouve atentamente o pedido do tio.
_ Sem problemas, Tio. Isso que você quer é até bem simples.
Ele abre a tela e começa a trabalhar uma das fotos de Selma, ele pede ao tio mais detalhes do cabelo que ele quer colocar em Selma. Hermes lhe diz, e acaba encontrando algo muito parecido.
_ Então Tio, agora sobrepomos a foto original com este penteado e temos o resultado final.
_ Ao ver, Hermes se joga numa poltrona com os olhos arregalados.
_ É ela, Stella e Verônica são a mesma pessoa.
_ Valeu Pedrinho. Tome 20 por ter me ajudado.
_ Pô, Tio, Valeu.
Hermes procura Canário e conta tudo. Ele ouve, e responde no meio de uma puxada de boca para o lado.
_ Isso está ficando cada vez melhor.
Na mesma tarde, era dia de visita, e Hermes se encaminha para a penitenciária sem saber exatamente como diria a Douglas o que acabara de descobrir. Ele sabia que Douglas, no fundo, achava que um dia receberia uma visita de Stella, e explicaria seu sumiço com uma estória de perseguição, tamanha era a paixão.
Após as saudações, e algumas lamentações de ambas as partes, Douglas pergunta a Hermes:
_ E ai? Quais as novidades?
Hermes entende, que ainda não era o momento, e omite os fatos novos.
_ Nada de concreto. Canário se empenhou encontrou o paradeiro dela.
_ E onde ela está?
_ França, Paris.
_ Poxa. Mas acho que já esperava algo assim. Você não acha que ela, de alguma forma esta escondida, evitando alguma represália.
_ Creio que não. Mas quem poderia ter a certeza, não é.
_ Sei que você não vai acreditar, mas ainda a amo.
_ Eu sei, conheço você. Eu prometo que não vou descansar até explicarmos tudo o que há nesta estória.
_ Obrigado por não me abandonar.
_ Jamais.
Pin It
Atualizado em: Qua 13 Mar 2019
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222