person_outline



search

Os Artefatos Místicos de Argurus

Diz a lenda que Karcillyus, o Deus Supremo do Apocalipse, enviou a Terra, 4 artefatos poderosos e muitos perigosas em cada um dos 4 cantos do globo. E os seus predestinados, os quem iriam se apossar de tais objetos místicos seriam beneficiados e amaldiçoados. Os objetos mudavam as pessoas, as tornavam fanáticas, poderosas e doentes por mais poder, aceitando passar por oque seja ou quem seja pra conquistar tal poder. São eles:
 
× O Amuleto de Kamandukã (Nigéria) - Lillu Durai Kamandukã (ganês e nigeriana)
 
× O Anel de Shitan (China) - Hiroziki Shitan (chinês)
 
× A Espada de Bartolomeu (Rússia) - Bartolomeu Kiezhev (russo e portuguesa)
 
× O Livro de Pedragon (EUA) - Harry Van Pedragon (inglês e holandesa)


Lillu Durai Kamandukã nasceu com refugiados de um grupo nômade que circulava pelo Norte da África, tinham grupos em Chade, Níger e Camarões, o próximo destino dos Mefféticos era a Nigéria. O exército estava sendo preparado, todas as tentativas de invasão a Nigéria tinham sido em vão, só mortes e perseguições, então os líderes dos Meffés criavam estratégias e formas de conquistar alguma parte da Nigéria e quem mais se destacava entre os soldados era um jovem de sangue ganês e camaronês, Lillu Kamandukã. Era mais forte, mais resistente, mais ágil e mais inteligente que os demais da tribo, diferente do restante não possuía marcas, tatuagens ou piercings como o restante, apenas carrega com si um amuleto que de acordo com o mesmo, foi um presente de seus pais, antes da morte de ambos após uma tentativa frustrada de invasão à Nigéria. O amuleto continha uma pedra preta no meio, envolta em prata, grifado os dizeres em africâner: "Hoeveel gevegte het soveel verlies vergoed, maar slegs die dood sal vir u vrede bring" (Quantas batalhas compensaram tantas perdas, mas só a morte te trará paz).
 
O exército dos Meffés junto ao soldado Kamandukã começou sua invasão a Nigéria, destruindo e matando tudo e todos pela frente, saqueando e raptando todo tipo de pessoa. Ocupando área em área, o exército começou a conquistar territórios e causar medo no restante da Nigéria que confrontava os radicais. Os líderes de Meffés reconheciam a bravura, a força e a coragem de Kamandukã e foi subindo sua patente, como braço direito dos líderes principais: o chefe da tribo e o chefe de exército.
 
Com Kamandukã liderando o exército de Meffés foi avassalador dominou toda Nigéria, e o jovem menino aos 21 anos, se tornava o líder do exército que finalmente depois de décadas conquistou a Nigéria.
 
Nove anos depois, os kamandukanos formaram sua civilização, a base de escravos nigerianos e sua mão de obra. Porém entre os nigerianos e nigerianas feitos de escravo, a teceadora dos líderes chamou a atenção do chefe de exército Kamandukã (ele era agora o único pois o outro havia falecido).
 
Não demorou muito para que Kamandukã e a teceadora se envolvessem amorosamente e a garota engravidar do lider.
 
Kamandukã apaixonado se declarou para ela e eles se casaram.
 
Lila e Kamandukã tiveram seu filho. Nove anos depois Kamandukã se tornaria oficialmente líder geral de sua tribo, o mais importante de todos, porém para alguns radicais Kamandukã não seria considerado digno de tal posto, pois seu relacionamento com Lila (uma nigeriana) ia contra as regras e os princípios dos Meffés. Dois anos após ganhar o título, ao anoitecer cerca de 7 radicais mefféticos invadiram a casa de Kamandukã, decapitaram seu filho e sua esposa e estrangularam o líder com seu próprio amuleto.
 
O Amuleto desapareceu nunca foi encontrado nem com os radicais mefféticos, nem com o corpo de Kamandukã
Pin It
Atualizado em: Qui 25 Mar 2021

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222