person_outline



search

Zelizeu (primeira parte)

Filho de Josué Bonsucesso Bem-Aventurado, mecânico falido de aeronaves marítimas, e da pobre, ingênua e póstuma Josefina Beatrice Eldervina Arnalda, nasce, em um hospital semiprivado em uma tenebrosa tarde tipicamente invernal de verão, o nosso objeto contemplativo Zelizeu.
Mas, meu caríssimo, devo deixar claro de antemão que não há romances ou surpresas na história de Zelizeu, então, por obséquio, não espere com esperança descabida tais eventos.
Zelizeu, órfão de mãe já de parto, foi criado somente pelo seu pai, e desde pequeno sempre demostrou aptidões para a metalurgia, coisa que rapidamente foi notado pelo seu progenitor que não tardou em arranjá-lo um oficio no bairro industrial da cidade. Assim Zelizeu, aos nove anos de existência, já era uma pequena peça de minimíssima importância dentro da indústria metalúrgica, coisa que não muda nos dezenove anos posteriores.
Claro que agora você deve estar pensando: “Mas então quer dizer que a verdadeira história (aquela que realmente importa ser contada, aquela que ficará guardada em nossos corações e mentes, como algo verdadeiramente extraordinário) só se inicia com seus vinte e oito anos?”
Não, meu caríssimo...
Acontece que Zelizeu, aos seus vinte e oito anos, quatro meses e um dia de existência, torna-se sozinho no mundo triste em que nasceu, pois seu pai sofre um mal súbito e falece enquanto fazia devotadamente suas necessidades fisiológicas matutinas diárias. Com tal acontecimento e saboreando de uma epifania inigualável Zelizeu sente-se livre para largar o oficio determinado pelo seu, agora finado, progenitor  e seguir o seu verdadeiro sonho; ser auxiliar de cozinha em um uma empresa multinacional de fast food, todavia tamanha sensação momentânea termina tão subitamente quanto iniciou-se e ele não se encoraja o suficiente para pedir demissão, assim continua sendo apenas mais uma peça de insignificante importância dentro da indústria metalúrgica do bairro industrial da cidade. Não que eu queira dizer que ele teria mais significância vital atuando como auxiliar de cozinha ou qualquer outro honrado trabalho, a existência de Zelizeu já estava fardada em apenas ser uma minúscula quase insignificante peça nessa colossal engrenagem cósmica em que habitamos.
Pin It
Atualizado em: Qui 22 Nov 2018

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222