person_outline



search

ASSIM COMO UM PÁSSARO, DEIXA-ME PAIRAR NO AR

Nascemos livres, tristes e alegres. Há quem nem chora quando nasce, há que sorri quando nasce e depois de meses ri. Não sou mulher é óbvio, não me lembro como nasci, mas disseram-me se chorei ou sorri. Nunca nasceremos chorando até o fim, sempre choramos, quiça pelo susto quando sentimos o calor daquela naqual estávamos dentro dela e de tanta gente estranha, e não só, também do mundo que pela primeira vez nos deparamos. Nascemos livres, tristes e alegres...

Nascemos livres, tristes e alegres. Há quem nem chora quando nasce, há que sorri quando nasce e depois de meses ri. Não sou mulher é óbvio, não me lembro como nasci, mas disseram-me se chorei ou sorri. Nunca nasceremos chorando até o fim, sempre choramos, quiça pelo susto quando sentimos o calor daquela naqual estávamos dentro dela e de tanta gente estranha, e não só, também do mundo que pela primeira vez nos deparamos. Nascemos livres, tristes e alegres.
Com o passar do tempo toda aquela graça vai se perdendo, toda liberdade que a gente tivera no dia em que nascemos é aprisionada por aqueles que a gente viu em nossa volta quando demos o primeiro choro, o primeiro grito, o primeiro sorriso...
São eles mesmos que aprisionam todo o nosso sorriso, toda a nossa liberdade.
Contudo, porfavor, eu vos peço:
Deixem-me sorrir do tipo quando vim para este mundo, deixem-me chorar menos porque quando nasci, sorri mais do que isso. Me dêm a minha liberdade. Assim como os pássaros que pairam no ar, deixem-me livre para que eu possa voar e respirar.
Pin It
Atualizado em: Ter 31 Maio 2016

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222