person_outline



search

Vala

Ele era Zimi e estava usando a camiseta que era de Mila Cox que fez nela a estampa de um Mickey feio sobre uma grande mancha de shoyo e tinham partido para o rancho sem nome quando em fevereiro daquele ano os bloquinhos estavam bombando na cidade e o governo nem falava em pandemia enquanto o vírus começava a devastação e Zimi vivia a pior fase de sua crise financeira e não compartilhava da alegria da massa nas ruas porque não tinha qualquer perspectiva de melhora para a vida no país e se na cidade o vírus ainda não assustava havia o fato de a derrota para os ratos era considerada normal e então Cox o chamou para fazer novas músicas afastados da insalubridade citadina e meses depois ainda estavam lá esperando para ver o que aconteceria enquanto o governo não passava nem mesmo o número de mortos causado pela peste laica e tudo havia mudado para Zimi já que agora sua crise pessoal havia se amenizado e a crise global havia se instalado de modo que as coisas jamais seriam as mesmas e ali eles tinham paz mas não tinham muita calma porque era preciso fazer do tempo disponível algo que pelo menos para eles deixasse boas lembranças e tinham compaixão pela humanidade que os decepcionava tanto e os gênios da arte estavam mortos ou reclusos enquanto larvas popularescas tinham espaço na TV aberta machucando e entristecendo quem tem um mínimo respeito pela cultura e os crápulas da política cada vez mais onipresentes com seus dentes de mentex e sangue de amendocrem e um viés maligno nos olhos provando novamente que a mediocridade não conhece nada além do que ela própria e parecendo ignorar o fato de que vontades passam mas as consequências ficam e também que a menor ação é melhor do que a maior intenção enquanto o cidadão médio tenta desesperadamente sonhar outros sonhos enquanto varre os destroços do sonho antigo de falsa segurança e estabilidade que era sonhado à revelia de qualquer lógica e Cox aos dezenove anos agora podia pensar com mais clareza sobre o futuro já que antes isso era impossível pois de algum modo sabia que algo aconteceria antes que precisasse deixar de lado seu dom artístico para se dedicar a alguma atividade burocrática e aperfeiçoar uma linguagem musical que seja retrô sem ser pastiche e tinha como combustível a sua visão de Zimi que para alguns era um tiozinho raivoso mas para ela era alguém que nunca perdeu seu inconformismo com o mundo e que dizia que um dia faria algum trabalho musical só com o violão e a verdade depois que raspassem o tacho do experimentalismo do projeto musical Crop Circles que almejava ser uma toxina letal para qualquer conformismo juvenil.

Pin It
Atualizado em: Seg 8 Jun 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222