person_outline



search

O permanente e o provisório

Seu moletom foi devolvido com a gola arrombada pela grande cabeça do vizinho que tinha um celular com a tela rachada numa tarde em que pensava em como se afastou do cristianismo quando ainda era criança ao ver como as ideias atribuídas a Jesus não eram praticadas pelos cristãos da sua comunidade e depois constatou que esse fenômeno não se restringia apenas àquele pequeno círculo enquanto na esfera política brasileira não sabia o que era pior entre a direita e a esquerda acrescentando a isso o desprezo que tinha por representantes remunerados no poder que historicamente desencadearam o desequilíbrio esmagador entre classes e a essa altura já tinha consciência que sucumbir ao senso comum nada tem a ver com superação e que o fim da escravidão oficial apenas fez com que mais de noventa por cento da população assumisse uma condição de escravidão informal e assalariada que não entende que geração de empregos por parte de empresários milionários em nada se assemelha com caridade e sim com investimento baixo visando retorno desproporcional e que gestões governamentais ecocidas destruirão a vida na Terra enquanto gastam muito pesquisando sobre a vida em outros planetas e quando o vizinho partiu pensou apenas que é impossível contar dinheiro suficiente para qualquer coisa se prendermos a respiração e não soube responder a si mesmo se queria ou não estar vivo quando tudo ruir para a humanidade e que logicamente isso não representa de forma alguma o fim do mundo mas apenas a retomada natural de algo maior que existia antes dos humanos como os conhecemos e que continuará sem eles.

Pin It
Atualizado em: Qui 5 Dez 2019

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222