person_outline



search

A fé 2 O fim para história de um vampiro capítulo 12 FINAL

Capítulo 12 (Final)
     Uma velhinha termina de ler para o neto e fecha o livro: -Esta é a história de um vampiro em nossa família.
     -Você não quis ser vampira? Parece tão legal, seria incrível. Ela sorri e diz:
     -Meu pai era um vampiro bom! Cara já com idade contava das suas histórias e da família para o filho de Laischi, seu neto.
     -E lobisomens? Ela perguntou a fazendo cocegas e ouviu:
     -Deste eu tenho medo! Cara lembra-se das histórias que sua mãe contava sobre seu pai, de como ele tinha sido mordido por um vampiro e se tornado um vampiro sem querer. Dos momentos que teve com ele, de ser salva das explosões de sua casa quando tudo pegava fogo. Voltando ao neto:
     -Esta é a história de meu pai. Salvou este lugar do mal. O garoto pergunta se ela sente falta dele e ouve: -Sim, se ele estivesse ainda conosco poderíamos passear juntos, mas só pela noite. Ela sorriu e continuou: -Vampiros ainda não podem andar sobre a luz do sol, talvez algum dia possam, mas até lá.
     -Deixa a janela aberta! Pede o menino e Cara vai abri-la. Abre e olha para as estrelas pensando no pai. No momento em que se cortou num prego e teve que fugir dele, coisa que o deixou preocupado, mas tudo acabou bem, como ela tinha o dito. Disse para si mesma:
     -Pai, fui e sou feliz como você tanto lutou para que isto acontecesse. Cara tinha se casado de novo e vivia com um homem que era muito bom para ela e para família. Ele não era nem vampiro nem lobisomem, sorriu. Um humano normal a quem compartilha a vida. Como o conheceu? Não tinha sido em uma situação de perigo como conheceu o pai, e sim num momento de comemoração. Laischi estava muito bem, morava em uma casa própria um pouco longe dali, o neto tanto quanto a filha visitavam-na muito, por isso o tinha a seu lado para contar lhe tantas histórias. Para fazê-lo dormir como um vampiro fez a neta nos dias em que estiveram juntos ali.
     O vento entrou forte fazendo um friozinho. Ela agarrou-se braço a braço tentando esquentar-se. Voltou à cama do neto.
     -Você tem a quem puxar tendo medo de lobisomens! O neto sorriu dizendo:
     -Quando eles viram cachorros o medo diminui. Foi a vez de Cara sorrir. Lembrou-se da mãe, tinha fé que ela também foi feliz, e também aproveitou os últimos dias como uma grande loba.
     -Por hoje as histórias terminaram, é hora de dormir, você não é vampiro pra passar a noite acordado!
     Por fim o garoto pergunta o que aconteceu com ele e a vó responde: -Diz a lenda dos livros que se uma fada for no fim de um livro e entrar junto ao destruidor deste no portal negro, que eles vivem felizes para sempre. E a velha senhora vai novamente à janela e conclui olhando a lua cheia: - E como meu pai era vampiro ele se renderia fácil aos encantos de uma fada! Volveu para o neto: -Bom, é hora de dormir. Cara olha para o neto que finge já ter pego no sono. Então cutuca seu calcanhar:
     -Esse menino dormiu?
     -Ainda não, ainda não. Repetiu rindo com cocegas em baixo do pé onde a vó passou a fazer lhe cocegas.
     -Durma bem! O deu um beijo na testa, ajudou-o a cobrir-se.
     -Bom descanso pra você também. Cara sai e apaga a luz. Deixa a porta meio fechada, entrando um feche de luz. O neto fecha os olhos. Em seguida este tem impressão de ter duas pessoas perto dele, da cama:
     -Vó, mãe? Olha e pensou ver vulto, diz: -Ah, não é ninguém! Agarra-se ao pano e volta a dormir.
     Lá fora uma estrela cadente passa pela frente da lua cheia.
     Fim.
Este é o fim! Agradeço a leitura.
Pin It
Atualizado em: Ter 14 Ago 2018

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222