person_outline



search

Armas Químicas

Há três maneiras de fazer napalm: primeiro, misturando partes iguais de gasolina e suco de laranja concentrado e congelado. Segundo, dissolvendo areia granulada para gatos em gasolina, até formar uma pasta. Terceira, misturando gasolina e isopor. Isso cria uma substancia pegajosa e altamente inflamável.
Loan era um líder dos guerrilheiros vietnamita, agia nas matas tropicais e chuvosas de seu país, era comandante eu um grupo de homens composto de 25 integrantes. Agora ele e seu grupo se escondiam num vilarejo, no Vietnã do Norte, estavam prontos para emboscar uma tropa terrestre Americana, os civis da área emprestaram a eles um deposito de grãos na área central da cidade para se esconder.
- Vamos acabar com eles, vamos fazer esses vermes voltarem rastejando para seu país – disse Loan provocando seus homens antes batalha, os homens confirmaram em um rugido. 
O plano era simples, as tropas parariam para abastecer os veículos e pegar mantimentos, um morador iria guiar a tropa até o deposito, ali ele e seus homens pegariam o inimigo de surpresa, matando os que pudessem e recuando depois do atentado, essas eram as únicas vantagens sobre o inimigo o conhecimento da selva tropical, do terreno e o apoio de civis, porém eles tinham Napalm, a mais mortífera arma química.
Loan ouviu o barulho das turbinas dos aviões sobre a cidade alguma coisa está errada pensou-  em poucos minutos, o calor tomou conta do ambiente, saindo do deposito viu um inferno ardente que se estendia pela cidade, as chamas se espalhavam pelas casas, as pessoas corriam pelas ruas gritando. A fumaça começou a invadir seus pulmões, se sentia sufocado, naquele caos gritou para seus homens saírem da cidade.
Sua cabeça latejava se sentia confuso. Confusão pensou ele esse era o sintoma que o dióxido de carbono causava, o sintoma já é bem conhecido, pois foi o gás utilizado nos campos de concentração...
Enquanto corria pelas ruas, se deparou com uma trouxa de panos ao lado de uma mulher caída. Loan se ajoelhou sobre a mulher, não sentia sua respiração. Na trouxa afastou os panos, entre eles se via um bebe, a mãe dessa criança está morta, e a culpa é minha - pensou. A criança chorou e com sua mãozinha minúscula tentou agarrar sua camiseta. A fumaça os envolviam, seus olhos ardiam, ele cobriu a criança com os panos para que não respirasse aquela fumaça.
As labaredas do fogo se projetava sugando toda a vida que aquele lugar tinha, o oxigênio desaparecia, sufocavam, corriam, centenas de pessoas se agarravam a vida da melhor forma que podiam, Loan estava perto o suficiente para ver a destruição, via algumas pessoas pegando fogo, com as roupas aderindo a pele, algumas rolavam no chão na tentativa de apagar as chamas, outras estavam nuas gritando, corpos se espalhava pelo chão de asfalto, viu um idoso sufocando com o próprio vomito, crianças das mais diversas idades choravam. Loan ignorou todos e seguiu, agarrando a esperança de salvar aquela pequena criança. Enquanto as chamas cobriam tudo ao seu redor.
Quero salvar, pelo menos essa criança pensava Loan, enquanto corri entre aquele caos. Eu trouxe destruição a esse lugar se culpava. Saindo da cidade, entrou na floresta indo o mais longe possível. Porém o ar que respirava fazia ele sufocar cada vez mais
O calor e o cansaço faziam o corpo de Loan pesar e a cada respiração uma fumaça toxica preenchia os pulmões, sem forças suas pernas cederam e seu corpo veio ao chão, caindo de joelhos. Olhou para a criança percebeu que era um menino, agarrou a criança e chorou.
Fadigado Loan caiu no chão coberto pela vegetação, e adormeceu ao lado do menino morto...
Obs: Baseado em fatos reais, relata de forma fictícia o uso de Napalm pelos EUA na guerra do Vietnã entre 1959 e 1975.
Pin It
Atualizado em: Seg 5 Fev 2018
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222