person_outline



search

Thoth capitulo 1

Em algum lugar de Bornholm um jovem pastor de ovelhas é encontrado vadiando por um lago, impressionado com algumas servas se banhando naquele lago, o jovem pastor se perde de suas ovelhas para ''expressar sua adolescência''.
De repente um grito vem das garotas que saem correndo do lago, o garoto se impressiona, porém apenas acha apenas que foi descoberto e percebe sua idiotice ao se perder de seu rebanho, as consequências começam a pesar pela sua cabeça.
_. Por todos os deuses meu pai vai me matar, tenho que começar a procurar agora. - Exclama o garoto preocupado
O garoto sagaz acostumado a andar por aquelas colinas vai achando as ovelhas, acha uma depois outra e depois outra, aos poucos vai encontrando todas as ovelhas. Conta todas as ovelhas e da falta de uma, sua preferida entra todas as do pasto Siggy a ovelhas negra.
O garoto passa o dia a procurando e quando a noite se aproxima ele vê de relance a ovelha de pelugem negra adentrando a uma caverna, o garoto corre em direção a ela cegamente somente com seu cajado meio curto e fino, ele no meio do caminho vê um lobo indo em direção a ovelha o garoto chama a atenção do lobo em uma atitude desesperada, talvez pelo gosto que ele tinha por Siggy ou pela consequência que perder a ovelha negra rara e cara de seu pai, ele ataca o lobo com seu cajado, o lobo cai desacordado, o garoto por um momento comemora até perceber que lobo não estava sozinho.
Três outros lobos se aproximam do garoto e ignoram a ovelha que ignora os lobos e entra na caverna.
_Heeeeeey Siggy não entre aí. - Grita o garoto para a ovelha como se ela pudesse entende-lo perfeitamente.
Os riscos para o garoto aumentam, não é, mas uma surra que está em jogo, o perigo para sua vida ativa a adrenalina e o garoto se dá conta que ele é um adolescente contra 3 lobos raivosos e percebe suas diminutas chances de vitória, o garoto em mais uma atitude impulsiva corre em direção a caverna, desviando de alguma forma dos lobos que correm atrás dele.
De repente em meio ao céu limpo um relâmpago cai entra o garoto e os lobos, o jovem já na porta da caverna se assusta com a situação e cai dentro da caverna, sai rolando até encontrar um chão, tudo é escuro, apenas uma luz azul e fluorescente ilumina a caverna a frente.
O garoto segue a luz por duas horas inteiras, sem chegar a canto algum, começa a sentir sede já que só beberia depois de trazer as ovelhas de volta e fome já que só comeria se trouxesse todas as ovelhas vivas e bem, o garoto desmaia.
Acorda um dia depois em frente a um lago, Siggy dorme ao seu lado. Ao olhar para a frente o garoto se impressiona com o que vê, em meio ao lago uma espada negra presa a uma pedra emite uma luz azul tão brilhante que quase cega o garoto.
O jovem pastor meio entontecido pela luz segue para a espada, como se fosse atraído para aquilo anda pelas águas sem afundar, como se uma ponte invisível estivesse entre ele e a espada.
Em meio a rocha uma espada de lâmina negra, em meio ao seu punhal uma caveira prata com safiras em seus olhos, safiras estas que brilham a luz que ilumina toda a caverna, o garoto controlado pelo poder da espada coloca a mão em seu cabo. Uma voz grossa como um urro vem da espada, de seu punhal sai uma fumaça negra que se transforma na figura de algo parecido com uma Harpia de asas negras.
A forma põe sua mão sobre a mão do fazendeiro e pergunta.
_Jovem qual é seu nome?
_Froki o pastor- Responde o garoto acuado e amedrontado.
_O pastor é seu sobrenome? Responde de forma irônica a estranha forma
_. Eu não tenho sobrenome, meu senhor, sou apenas um servo.
_posso sentir sua ganância, é muito que um servo, ou pelo menos almeja ser.- Indaga o pássaro estranho
_. Eu não posso ter ganância, meu senhor, ela não me serve de nada, se meu pai é um servo eu serei um servo meu filho será um servo, assim funcionam as coisas. Responde o garoto como se tivesse uma resposta pronta.
_Não me trate feito estupido eu sei como a servidão funciona, nada que me digas vai acabar com o cheiro de ganância que vem de você, posso sentir a mensagem que quer passar ao mundo, e eu Thoth o deus mensageiro posso ajudar a passa-la.
_Você não me parece Ratatosk, aquele passa as mensagens dos deuses.- Responde o garoto um pouco mais tranquilo.
Ao ouvir isso um silêncio momentâneo se espalha pela caverna, a forma meio-ave meio homem se mostra confusa.
_. Não tenho a mínima ideia do que está falando meu garoto, pertenço a outro lugar, permaneceria dormindo se não tivesse sentido o cheiro da sua mensagem, tão pura e simples, alguém que almeja ser mais do que pode, isso é tão antigo meu garoto, o sentimento de querer ser mais forte, mais ágil, ter mais poder do que lhe é possível, isso antecede a vida e se estica até a morte. Discursa o nobre pássaro.
_O que quer dizer com isso, você vem de que lugar? eu não te entendo, o que quer de mim?- Froki confuso  muito com a  sua situação, e curioso como é indaga sobre a vida de Thoth e acaba por insultar o antigo deus.
_Ora desconfias de mim, te dei motivos para tal? ; sou de um reino a sudeste daqui muito a sudeste, um reino de antes verdes colinas, agora de amarelas dunas, cheguei até aqui através de um enterro pomposo pelo mar, onde os nobres de minha corte inconsequentemente me mataram e me jogaram ao oceano, ou pelo menos minha forma humana, agora sem poder se comunicar com os deuses suas colheitas antes fartas agora se encontram mortas, consequência do ato impulsivo daqueles que queriam ser mais, por isso sua mensagem me cativou.- Tentando se mostrar poderoso Thoth se abre para o garoto, conta sua história espera mais respeito da criatura franzina em sua frente.
_Ora Thoth, achas que sou como aqueles que te traíram? Então porque queres passar minha mensagem? isso não faz o mínimo sentido- Responde o garoto confuso, se impondo um pouco mais agora que sabe que esse deus a sua frente, já é um deus morto.
_. Ora meu jovem, tens um pouco de personalidade em suas palavras, interessante..., não tenho raiva daqueles que me traíram o desejo deles me cativava, até por que os traidores tiveram o que mereciam.
_. Me desculpa pela minha imprudência, mas qual é o sentido desse falatório, a situação está muito estranha, você me atraiu até aqui? E se fez isso por quê? - Curioso o garoto indaga a forma estranha na sua frente.
_Orá você veio aqui sozinho, foi inconsequente e isso te atraiu até a mim, estou tão confuso quanto você, essa situação para mim é tão estranha quanto é para você, a última coisa que eu me lembro é de ter dormido nessa caverna depois de muito tempo no mar, agora estou aqui conversando com um franzino pastor de ovelhas de uma época distante da minha. - Mas uma vez Thoth se abre para o garoto, como se confiasse nele.
_olha eu te garanto que não é não, mas serio você se abre assim para cada pessoa que profana seu tumulo? Você é bem estranho, não basta ser um corvo feio em uma caverna brilhante, ainda diz ser um antigo deus mensageiro de um lugar morto, a situação para mim não podia ser mais estranha.
_Está bem esse não um concurso para saber quem está estranhando mais a situação eu só estou dizendo que estamos em pé de igualdade aqui, mesmo com a minha forma estranha sendo tão diferente da sua agora, eu já fui como você de carne e osso, agora sou apenas um espírito preso a está espada, um reflexo do que eu costumava ser antes, mesmo fraco, ainda tenho muito poder comigo e se quiseres posso te ceder esse poder para alcançar seus objetivos em vida.
_. Está me propondo um pacto?
_Sim eu estou, um pacto de cavalheiros que tal, a proposta é: você ora a mim todas as noites e se possível repassa minha antiga religião para aqueles mais chegados, para me dar poder, e com esse poder você chega até onde quer chegar, não precisa abrir mão de sua reza para seus deuses, eu só preciso de fiéis para me manter vivo e poderoso, um fiel só me basta porém quanto mais, mais poder eu vou ter, e vou usar esse poder para te manter no topo você e seus possíveis descendentes, você só tem a ganhar meu jovem, e então o que achas de minha proposta?
Ao ouvir a proposta de Thoth, Froki se põe a pensar, pela primeira vez em sua vida Froki vê a chance de ser mais do que ele já é, ser mais do que um ninguém, ser mais um pastor de ovelhas qualquer. Froki tinha muitos irmãos e irmãs, dentre eles todos se destacavam em alguma coisa dando orgulho ao seu pai, alguns guerreiros fortes, outras costureiras prendadas ou cozinheiras exemplares, ele tinha até uma irmã que usava o arco e flecha como ninguém, enfim, todos menos Froki tinham um talento algo pelo que se destacavam, por isso, diferente de Froki seus irmãos não almejavam ser mais do que já eram, e talvez por isso quase todos os outros o tratassem com o desprezo de só quem não entende o que outro sente pode tratar. Thoth naquele momento dava a Froki uma chance de se destacar acima de todos seus irmãos, acima até de seu pai, acima até de quem sabe o próprio rei daquele condado, talvez por isso Froki tenha dado uma resposta tão rápida sem pensar nas consequências ou em sua religião.
_sim, eu aceito- Responde rapidamente o garoto. _ O que eu tenho que fazer para selar esse contrato, eu faço o que quiser Thoth.
_. Ora meu garoto apenas puxe a espada da pedra, e terá o meu poder.
O garoto sem pensar duas vezes puxa espada da pedra e...
Pin It
Atualizado em: Seg 29 Abr 2019

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222