person_outline



search

Soneto do Descanso Eterno



A minha viagem hoje termina
E já vem aqui cair o poente
Em breve dormirei profundamente
Em breve sonharei como menina

O meu calvário hoje leva a noite
E já dentro de mim ela ilumina
Uma luz tímida de lamparina
Uma luz fraca de um sobrevivente

A minha primavera hoje finda
E na rosa túrgida a desfolhar
Está meu desejo da madrugada:

Que outono a dominar dentro de mim
Faça-me a airosa pétala a voar
Faça-me a cinza rosa do jardim.
Pin It
Atualizado em: Ter 19 Dez 2017

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222