person_outline



search

Trecho de uma trama

cheila se aproximou do estabelecimento. Entrou, sentou e olhou em volta.
O garçon chegou perto da mesa:
— Chuva forte lá fora — comentou chateada.
— Demais — concordou o garçon, xingando mentalmente o homem do tempo.
— Três xícaras de chocolate quente, por favor — pediu Cheila com um sotaque charmoso.
— Há uma pequena chance de estarem na sua mesa em cinco minutos — comunicou o garçon se afastando depressa.
A mulher olhou em volta outra vez, reparando o quanto o café estava cheio.
Olhou o celular chocada com o atraso de ambos. As bebidas estavam à mesa e ela sabia o quanto parecia chinfrin estar sentada sozinha com duas xícaras avulsas.
— Oi cheirosa! — cumprimentou uma voz feminina que não passava de um chilrrear irônico.
— Shhh, não fale assim chuchu — ordenou o homem de mãos dadas com a recém chegada.
Eles soltaram as mãos, ocuparam os acentos e tiraram os chapéus molhados. Examinaram as bebidas cheirando discretamente.
— Preferia chimarrão — comentou a moça chorosa.
— Chá seria mais apropriado, mas tudo bem — concluiu o cavalheiro.
— Sem chilique, por favor. Vamos ao que interessa, a chanceler.
— Ela nos chantageou! — um baque soou quando a moça socou a mesa com raiva.
— O xeque que mandei não ajudou — acrescentou o homem desejando pegar seu charuto no bolso.
— Só temos uma alternativa — começou Cheila com olhar resignado: — Convidá-la para o nosso chalé.
— E depois? Jogar xadrez com ela? — perguntou a companheira chocada.
— Use seu xale de 7 mil pesos chilenos — sugeriu o homem com uma piscadela para a moça ao seu lado.
— Foco! Temos um grande problema, deixem de chorumelas e me ajudem a pensar — ordenou Cheila terminando o chocolate quente.
Chamou o garçon e pediu uma porção pequena de churros.
— Eu quero pão na chapa, moço — pediu a colega ao rapaz que anotava os pedidos.
— Um pedaço de torta de morango com chantilly — pediu o homem cisudo.
Voltaram à conversa sobre a misteriosa pessoa e o que fazer com ela, atirar em um charco? Chamuscá-la na lareira do chalé para meter medo? Chicoteá-la?
Ideias agrecivas, perigosas e que podiam levá-los ao chilindró.
Discorreram longamente sobre o que fazer com a charlatã que os ameaçava.
A comida chegou e se foi. A chuva diminuiu para chuviscos tímidos. O chefe do distinto cavalheiro ligou perguntando onde ele estava.
O chofer da moça avisou que estava esperando por ela.
Por fim, Cheila se levantou, os olhos chamejantes com a conclusão inevitável.
A derradeira decisão fora tomada, Cheila não gostava da ideia, mas teria de dizer: "bem vinda, mon cherry" e colocá-la no clube.
A integrante mais chula do grupo que lavava o dinheiro da empresa.
Pin It
Atualizado em: Seg 22 Nov 2021

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222