person_outline



search

ROSALINA

Quieta em seu canto ela ficava. Loira de olhos verdes que pareciam esmeraldas.

Pouca vezes via um sorriso daquele lindo rosto.

Eram muitas crianças a brincar e correr.

Pelos longos corredores e pátio, as crianças bricavam. O barulho era intenso, choros, risadas eram normais.

Rosalina às vezes pegava algum brinquedo, mas o que ela mais gostava era ficar sozinha.

Uma criança carente e arredia, mas tinha seu brinquedo pridileto como todos; uma boneca bem fofinha era apertada em seu peito.

O carinho que ela dava à boneca era especial, o que Rosalina queria ter, como se fosse ela a receber.

Andava por todo jardim conversando com sua filhinha, como ela chamava sua boneca.

O tempo passava e ela foi crescendo, e as poucas conversas eram sozinha.

Muito triste ela estava porque naquele dia ela completava 18 anos.

E sem ganhar um presente ou desejo de feliz aniversário.

Abriu o grande portão, com seus poucos pertences foi embora.

O seu futuro ninguem sabera, só o tempo.

fShare
0
Pin It
Atualizado em: Sex 20 Abr 2012
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222