person_outline



search

Você, meu amor!

24 anos, esse foi o tempo que esperei para amar alguém.
Não é que eu não tenha amado antes, sim, eu já havia experimentado o amor em outras formas e medidas. E também a perda.
Perdi pessoas que jurava que estariam aqui para sempre. Ganhei outras que achava que não iriam permanecer, mas permaneceram.
E amei muito.
Amei Deus, amei minha família, amei amigos, amei livros, filmes, músicas, momentos e lugares, mas não havia amado ainda AQUELA PESSOA.
Não é que eu não tenha tido a oportunidade de amar alguém, porque eu tive. Mas sei lá, os outros pareciam apenas algo passageiro, apenas beijos de uma noite só e não o abraço seguro e reconfortante que me acompanharia para a vida.
Não procurei ninguém por uma época, procurei encontrar alguém em outra e tudo foi apenas tempo perdido nesse quesito. Aí eu simplesmente deixei pra lá, resolvi esquecer essa história, tinha em mente que um dia o que fosse para acontecer aconteceria.
E então, aconteceu. Você aconteceu. Como aquela estrela cadente que vemos quando estamos tão distraídos que ao aparecer no céu mal temos tempo de fazer um pedido. Às vezes nem sabemos se aquilo foi realmente verdadeiro, achamos que estamos sonhando.
Mas quando você apareceu eu sabia que todo o amor que eu havia guardado por 24 anos seria seu.
E como eu sabia que era amor? Ah... a gente sempre sabe. A gente simplesmente sabe.
Mas te amar não aconteceu da noite para o dia, foi como plantar: primeiro colocamos aquela sementinha na terra, regamos, esperamos ela crescer e só então ela floresce nos revelando sua magnitude e verdadeira beleza.
Sim, sabia que aquele amor seria seu, mas você o foi conquistando aos poucos e eu fui te amando cada vez mais.
Não foi fácil. Quando se trata de sentimentos nada nunca é. É preciso confiança, é preciso expulsar o medo, é preciso que seja a pessoa certa.
Você me irritava às vezes, confesso. E provavelmente eu fazia o mesmo. Mas isso sempre foi tão pequeno perto do amor que havia florescido.
Quando eu ficava brava você me fazia sorrir. E quando eu ficava brava de verdade isso nunca durava muito tempo, a gente sempre dava um jeito de fazer as pazes.
Me despedir de ti era sempre horrível, mesmo que fosse até o dia seguinte ou a próxima hora. Te soltar sempre foi a coisa mais difícil pra mim. Acho que sempre tive medo que de algum modo isso se tornasse permanente e eu te perdesse e junto perdesse uma parte de mim.
Nós sempre fomos perfeitos um para o outro. Combinávamos até em nossas diferenças. E não havia se quer uma pessoa que dissesse o contrário.
Nós sempre fomos tão lindos juntos! Te amar foi sempre tão extraordinário!
Mas sabe qual a pior parte do amor? A hora da partida, porque um dia a despedida se torna um adeus e não mais um até logo.
O outro vai embora e todos dizem que vai ficar tudo bem e talvez fique, um dia.
Mas ninguém avisa o amor que quando a pessoa amada se vai ele deveria partir também, porque ele fica, te assombra, te acalenta, te traz lembranças, numa mistura de emoções conflitantes.
A pior parte é que você se foi. E todo aquele amor ficou aqui. E eu não tenho o que fazer com algo que era exatamente da tua medida.
Pin It
Atualizado em: Qua 3 Abr 2019

Comentários  

#2 SC_Souza 03-04-2019 17:40
Fico feliz!
Dá uma olhadinha no meu perfil, tem mais textinhos lá :D
#1 sanntw 29-03-2019 01:08
O primeiro texto em que gostei tanto que senti a vontade de comentar, espero ver mais obras suas.

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222