person_outline



search

Divertido Bronzeado

Sua luz me cegou. Eu não vi como ou quando chegou, foi como um vírus que bem de fininho fazia um estrago, sim um estrago, porque só não é um estrago quando é recíproco. De repente senti ciúmes daquela sua paquera que eu mesma ajudava a conquistar, comecei a sonhar com você e ver imagens de nós dois, quando eu acordava tirava sarro de cada uma delas, achando tudo muito estranho, sim, com certeza estava enlouquecendo de vez. Eu me apaixonar por você era algo tão sem sentido como alguém assoprando um sorvete, eu não te achava atraente, a não ser seu sorriso, e seus olhos...sua boca... Okay achava um pouquinho, mas nunca fui de olhar mais para a aparência do que a personalidade, e cá entre nós nunca foi uma das melhores, você era e é (ou finge ser como diz meu sexto sentido ) o típico ''pegador'', que não liga pra nada e sempre está de bem com tudo e escuta as bandas mais famosas e faz coisas ''prejudiciais a saúde'' por assim dizer, só para ser aceito na sociedade , que cada vez mais é igualitárias nessas mesmas características, não há nada que bate para tamanha confusão, ainda mais vindo de mim, que sempre fui a ‘’fria’’ e difícil de se conquistar , eu gostava de você por conseguir ver um coração bem grande onde ninguém via, e por ser aquele tipo de pessoa que se pode falar de tudo, e nunca pensei que poderia ser algo mais que isso. E quando pensei em te falar na esperança de ouvir uma gargalhada e receber um remédio para aquela loucura eu dava um passo para trás, a verdade é que, a palavra ''Talvez'' não parava de ecoar , talvez você já tivesse sentido aquilo por mim, talvez você sente, talvez possamos ficar juntos, talvez você pararia com esse vício , talvez me faria feliz e eu conseguiria afastar um pouco os problemas da sua família de você. Fiquei com medo dessas possibilidades, uma série de perguntas e emoções no coração de uma tola menina não iria fazer tudo ficar azul, e eu que sempre ansiava por certezas fui arremessada para um oceano de dúvidas, adivinha, eu não sei nadar. Como sempre eu me calei, de forma nenhuma iria fazer você acreditar em algo que nem eu acreditava, ignorei aquilo que estava crescendo anonimamente, mas sem perceber eu dava sinais, e acho que isso te encorajou moreno, você também percebeu, mas como todo labirinto eu era confusa, demonstrava e outra hora nem ligava, essas horas eram as melhores, porque me faziam acreditar que eu não sentia e era só coisa de momento, um desejo qualquer, só que dessa vez doeu quando eu te disse não. Vou te dar uma dica: Não impeça o sol de te dar um bronzeado, pode se tornar sua cor favorita.
~ Você era minha divertida confusão
Pin It
Atualizado em: Dom 11 Set 2016

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222