person_outline



search

BRUMADINHO CAMINHO DA LAMA

Montanhas dos minerais
Lugar que a natureza procurou proteção 
Para desenvolver,
Multiplicar -se entre as pedras
Com sentido de tornar resistente
Como pedra!
Preservar a vida.
 
Lugar distante, remoto, longe do convívio
Natural do homem.
Compreendendo tão falta de consciência
Dos seres humanos
Quanta sensibilidade da natureza.

Tanto esforço para manter as fontes da vida.
Oferecem suas nascentes, águas cristalinas
Que jorram com abundância:
Promove a vida, irriga a terra, fertiliza o solo
Facilita produção de alimentos.
Que mata a fome do mundo
Alimenta as pessoas que a destroem.

As montanhas de BRUMADINHO choram!
Não entende tanta ganância
De homens de imenso poder: político, econômico...
Que buscam dominar tudo, até as montanhas
Descobriu minhas MINAS, meu maior tesouro.

Destruíram minhas nascentes, utilizaram minhas
Águas para lavar minha fonte de vida, minha
Proteção! Meu minério.
Deixando apenas barragem de rejeitos
Lugar que o acumulo de insumos no decorrer
Dos Tempos, foi desrespeito, rejeitos demais.

Rejeitos frutos de muita destruição.
Tornando minhas montanhas
“POÇOS DE LAMA”, lugar sem vida.
Onde não consigo respirar.

Sei que as pessoas que me exploram, buscam
Seu alimento, sua sobrevivência!
Mais preciso respirar.

Oi Minas Gerais
Saudades, lembranças dos tempos
Tempos que o homem pouco me conhecia.
A vida era simples: plantas, pássaros viviam
Em perfeita harmonia, as flores tornavam um
Lugar de extrema beleza.

Minhas águas tinham liberdade de correr livre
Entre pedras, chegar ao leito dos rios
Contribuir com a vida.
Tanto me maltratam, sinto incapaz!
Preciso recomeçar.

Reconheço que onde preciso passar
Existem tantas casas, seres vivos no caminho
Mais preciso passar.
Sei que tornei pesado demais
Não vou conseguir parar, quando
Começar a caminhada.
Perdoe-me!

Mais preciso passar.
Preciso de um caminho para seguir meu
Curso proposto pela vida.
Tanto sufoco, falta de respeito
Não tenho a intenção de ceifar vidas.
Desculpem!

Mais preciso passar.
Não posso oferecer minhas águas cristalinas
Hoje tenho apenas “LAMA”
Produzida através de anos de devastação.

Fruto da ganância, onde pessoas só pensaram
Em dinheiro, poder financeiro
Esqueceram da importância da vida.
Ajude-me recuperar.
Pin It
Atualizado em: Sáb 2 Jul 2022

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222