person_outline



search
  • Contos
  • Postado em

RENDIÇÃO - capítulo II - Beth

II - Beth
Com o passar do tempo, a fama como um câncer toma conta de um corpo sadio, foi se apropriando de sua alma. Ela, no caso de Arthur, trouxe muito dinheiro, e este trouxe poder sobre muitas pessoas que trabalhavam em torno de seu nome, e Arthur, com seu ego inflado e seu caráter oscilante, começou a tomar gosto por esmagar os “menores”. Tudo tinha que transcorrer de maneira perfeita, caso não acontecesse, alguma cabeça rolava, e como não poderia deixar de ser, foi acumulando pragas de seus desafetos. Dono de atos implacáveis, não sentia pena, remorso ou qualquer sentimento de compaixão por nada, nem ninguém. O dinheiro faz com que você fique cercado de pessoas, e não apenas por interesseiros, mas pessoas que precisam trabalhar para ganhar a vida. Algumas mulheres, que antes era fãs, das belas canções de amor compostas por ele, não entendiam, como alguém podia falar muito sobre sentimentos, mas nada sentir.
Um dia, no auge de seus 45 anos dono de uma fortuna, em uma de suas turnês, ele conheceu Beth, 22 anos, linda, uma flor desabrochada exalando seu perfume, implorando por ser colhida. Como era de costume, em virtude de sua fama, belas mulheres estavam sempre dispostas a se entregarem a ele, pois nada é mais sedutor, que uma bela voz, numa bela canção de um belo homem. E neste caso não foi diferente, Ele a cortejou e levou-a para sua suíte, onde passaram a noite toda. Quando acordou pela manhã, diferente de outras vezes, ele não queria sair daquele momento, ele a queria, e admitiu em pensamentos estar apaixonado.
Beth acordou, levantou-se formalmente, apanhou suas roupas e começou a vesti-las, e ele desconcertado, pois não era de seu feitio tentar agradar ninguém, havia perdido o jeito, e começou a fazer perguntas sobre a vida dela. Ela respondeu de maneira formal, que era prostituta desde os 18, quando resolveu fazer faculdade, mas gostava de uma vida mais desregrada, e quando seus pais perceberam que as notas não eram condizentes com o valor pago, deixaram-na por conta própria e a mesma, não se importando e dona de uma beleza exuberante, começou a ganhar a vida, alugando seu corpo e carinhos por uma quantia razoável. Como tudo tem um preço, ele começou a negociar a exclusividade dela, e ela entendendo ter fisgado o mesmo, tratou de lhe fazer um preço pouco acessível.
Pin It
Atualizado em: Qua 30 Maio 2018
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222