person_outline



search
  • Drama
  • Postado em

Minha Passagem

Olá meu nome é Ruth, estou aqui para contar um pouco da minha história. Se der tempo. Claro.

 Sempre fui muito maltratada pelos meus pais, pela minha mãe principalmente  e isso piorou depois que apresentei meu namorado e depois que ele passou a frequentar lá em casa. Na época não entendia a resistência que eles tinham em relação a José. Preferiam dar de comida ao pior inimigo a abrir a porta quando ele tocava a campainha. Isso me magoava muito pois eu amava José. Esse amor fez com que eu confiasse nele, confiasse cegamente e nada do que as pessoas dissessem me faria abrir os olhos em relação a quem era aquele sujeito de verdade. Foi quando aos seis meses o relacionamento começou a desgastar , me obriguei a parar para refletir. Tinha alguma coisa errada.  Resumindo,  com o fim do relacionamento , minha saúde passou  dar preocupantes sinais de que algo não ia bem.  Com um pouco de medo fiz todos os exames e o resultado deles fez com que meu mundo desabasse . Fui diagnosticada hiv positivo. Peguei  AIDS do José.

Eu, uma mulher apaixonada , dividi a minha cama com um homem que dormia com várias mulheres, acreditava mesmo que ele me amava. Fui burra, não importo de assumir, mas me arrependo de ter me entregado totalmente a um sujeito sem caráter que contaminou minha vida de rotina simples, mas que não tinha problemas. Me contaminou com aquela sua promiscuidade , agora eu era uma aidética. Um termo forte , eu não gosto , mas fazer o quê? O fato é que tentei esconder isso dos meus pais por algum tempo , até que não teve mais jeito.  Com muita tosse  seca , mal estar e dor de garganta , eles até confundiram com uma gripe que estava sendo difícil de ser curada , mas quando soube por qual doença eu tinha sido acometida na verdade , minha mãe passou a cuspir na minha cara. Perdi dez quilos em um mês , sem dieta. Lá em casa , não queriam passar onde eu estava , se pensassem em encostar em alguma coisa que eu pegava então... não tomavam  água no mesmo copo que eu pois juravam que pegariam a doença e a contaminação não ocorre assim.

Não perdi só peso , perdi  as esperanças também.  Achei que morreria logo. Pois  a doença se manifestou apenas um mês após a confirmação de que eu tinha o vírus.

Depois de muito desespero, resolvi procurar o tratamento. Um coquetel de medicamentos que é tomado para combater o vírus e fortalecer o sistema imunológico.

No caminho uma surpresa. Reencontrei o amor. Ou melhor , encontrei o amor. Esse sim o verdadeiro. Adriano , meu médico. Ele me ajudou em tudo , agora estou mais tranquila , não tenho mais medo da morte ,  Quando  chegar a hora...

Gente , esperem. Esperem só um minuto , não aguento escrever mais... Estou pressentindo...

Sinto que é hoje .  Gostaria que se sensibilizassem com o que eu contei.  E para as mulheres eu sugiro , não supervalorizem seus homens , colocando-os como prioridades acima do amor aos filhos e á dignidade própria.

Estou muito cansada. Vou deitar , Esperar a minha passagem. Quem sabe morrer de olhos fechados.

Ass... A...S...s... Ru ...             ( ela tentou assinar o escrito) Não deu tempo.

Pin It
Atualizado em: Ter 14 Ago 2012

Comentários  

#5 PauloJose 09-03-2013 12:00
é preciso nos policiar.
abraços.
+1 #4 xxx 26-09-2012 19:43
Cautela deve se ter, sempre!
Gostei de ler.
#3 wicos 06-09-2012 22:19
sou suspeito mais vamos ,pelo literário parabés my niece wicos
#2 Marlende 06-09-2012 07:22
Excelente..., uma forma de abrirmos os olhos para essa realidade e principalmente a do amor próprio acima de tudo...Paarabéns Escritora !
#1 Mitya2 29-08-2012 11:05
Muito bom seu conto e uma forma de alertar as mulheres e em geral a todos que se entregam ao amor de olhos fechados e acabam contraindo o virus.
Gostei muito, um desfecho triste mas condizente com a realidade desta dificil doença.
Parabéns.

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222