person_outline



search

Cegos , Surdos mas não Mudos - Cap X

Capítulo XI

A Felicidade

Sentimento mais profundo d'alma quando em regozijo! Atentai Vós que sois "Eu". Estais neste plano material e físico para que a felicidade possa se expressar com toda a amplitude. Para que a felicidade se faça presente no Espírito imortal em toda sua grandeza, de todos os planos vivenciados.

Assim, sois Vós o único responsável, porém sem culpa, de deixar que a semente germine e que se transforme no milagre da felicidade. Experimentais a felicidade em doses homeopáticas. Mas a felicidade não se resume nisto. Aprendei, Ó filhos, meus filhos, que a tristeza é a ausência da felicidade por não terdes ainda compreendido que os sentimentos se nutrem dos pensamentos. Vossos pensamentos são o adubo. Vossa Fé é a rega e Vosso desejo interno de seguir o caminho são as estações do ano. Estes desejos, que flutuam na mente sem parar, deverão ser saciados não pelo EGO e sim, compreendidos em profundidade com os olhos do sábio e o total entendimento de que Vos tenho dito.

Pensamentos não vos livra. Aceitais isso? Sabeis que vossa mente produz pensamentos, propositalmente, como forma de vos sentires que sois Espírito de Luz envolto num corpo neste planeta, cônscio, para que sintais em repleto elo vivencial com Cristo? Ou somente deixais que seus pensamentos vagueiem sem rumo, numa profusão de lembranças nem sempre coerentes e alegres? Orai e Vigiai tem o sentido do verdadeiro patrulhamento de vossa mente. Não deveis deixar de observar a todo momento, não os vossos pensamentos que são inúmeros e incontáveis. Vigiai vosso sentir! Atentai para "como" estais vos sentindo. Se triste, depressivo ou amargurado, recorrei à mente e observai atentamente que tipo de pensamento vos leva à essa ilusão de que é uma realidade vivida! Compreendeis que são ilusões? Meras ilusões? Existentes somente em vossa mente e não fora dela? Não são palpáveis, Divinos por excelência, pois se assim os fossem, estarias alegre, em pleno Estado de Paz, calmo e grato pela Vida. Não chorarias, não estarias amargurado, não temerias nada. O temor vem da pouca Fé ou da fé no "Bezerro de Ouro". Da identificação com vosso corpo material que adoece como fruto mal plantado na mente e germinado em solo indevido de ilusão e de padecimentos pelos próprios pensamentos.

No vosso dia a dia, atentai quantos comandos vos são dados pelo ego, que, sorrateiramente, se chegam como se real fossem, para iludirem à vós e aos desavisados. São sentimentos corpóreos não Divinos! São sentidos pelos sentidos não pelo "Visão Divina".

O ego nada mais é que o vácuo deixado por vós ao não vos identificar com vosso Espírito que Somos. Eu e Vós, UNO e Indivisível.

O ego surgiu desde que vós nascestes e começastes a ser identificado com vosso corpo e vossos pensamentos. Essa identidade criou e ainda cria um solo fértil para que as mudas das ilusões germinem e aparentem realidade. É um fruto proibido, que ao comeres, viveis em função destes e daqueles pensados por outros personagens da história da vossa vida e do mundo que vos cerca.

Queres a felicidade? Se sim, estais disposto a abrir mão das ilusões que vós identificais como sendo propósitos vossos de vida, como se fossem planos de vida e padrões rígidos para serem seguidos e, consequentemente, sejais aceito por toda a sociedade? Pelo mundo dos homens? Pelo mundo do Ter e não do Ser?

Observai ao redor, tantos sofreres, tantos enganos, tantos atos impensados, tantos aprisionados, e tantos prisioneiros de si mesmo.

Somente ao não vos identificar com vosso ego, um espaço de grandeza incomum e invulgar se expande, trazendo brilho à vossa aura que será lida por todos que caminham a vosso lado e não os estais vendo.

São muitos os peregrinos da Fé. São muitos os pedintes da matéria e são poucos os que vivem no Milagre Divino. Vossa Terra não carece de LUZ, de Fé, e de Bondade. Vossa Terra, este Planeta ora sendo degradado, também se alimenta da LUZ, para que possais apaziguar vossas mentes e vossos corações e pisares em solo fértil e rico em Misericórdia Divina. Vosso corpo-matéria à ela volverá. Inerte. De mãos vazias. Enterradas as maledicências, o orgulho, as vossas pobrezas espirituais, a vossa não aceitação do Plano Divino em Vós.

Acordai a tempo e à hora, para presenciares a magnitude destas palavras, para que vivenciais o Divino em Vós agora, e, assim, tornares felizes vossos irmãos que pretendes ajudá-los.

A Felicidade é a ausência do medo, é a presença do Divino, é a ausência do querer bens e é a presença do querer Bem.

A Felicidade sois Vós em estado latente, até que as trevas se apaguem pela presença da Luz e se dissipem por entendimento vosso do Plano de Jesus Cristo Vivo em Vós, que tem por base a Sabedoria, a Humildade, a Fé e a Humanidade.

O dia que experimentares a Felicidade Real e Verdadeiramente Eterna, a identificarás convosco, como se Uno fossem, pois assim o São. Há tempo e há espaço ainda em vossa Vida. Não vos resignais. Não vos deixais apanhar pelo tempo ilusório, pois no Plano Divino tudo É, tudo Está, tudo É REAL. Não há ilusão, não há tristeza nem sofrimento. Não há espaço por inexistirem.

Felicidade, caminho por onde peregrinam o Espírito, a LUZ e a Fé. Por onde Deus Se deleita em todos Vós. Ser feliz verdadeiramente é somente Ser. Podereis Ter, mas não na ilusão de que sois vossas posses e vossas riquezas ,pois, aí é que se envaidece vosso ego, criando mais e mais ilusões, para que tenhais certeza de que sois os vossos bens e prazeres. A felicidade Ilusória são momentos de "recompensa do ego", que morde e sopra, dando ar para respirares e novamente teres fôlego para vos retornar a ser o seu escravo.

Vossa é a opção assim como Eu sou vossa Luz.
Pin It
Atualizado em: Qui 25 Dez 2008

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222