person_outline



search

UM DIA VOCÊ APRENDE...

O menestrel que se recusou a agir como bobo da corte!
  Um dia você aprende que a religião ao invés de servir como meio de “religar o homem a deus” tem servido para dividir povos, segregar grupos, marginalizar pessoas e endeusar aos que entendem como tudo funcionam e tiram proveito disso, fazendo com que um abismo se forme entre nós, seja no conceito de ser ou não ser filho/escolhido de deus, ser ou não ser salvo/aceito por ele, ou seja no conceito de procurar/ localizar e imputar pecados a si mesmo ou aos outros.
   Tais conceitos, tem levado muitos a acreditarem que a prosperidade, pobreza, saúde e riqueza sejam entendidos como sendo um sinal de castigo/recompensa de ter ou não ter deus, e não como o resultado de uma desarmonia financeira, social, mental ou biológica, causada na maioria das vezes justamente pela tentativa de alcançar, seguir ou defender os conceitos que as religiões impõem aos seus fiéis.
  Um dia você entende que não existe religião de deus ou do diabo! Tudo é fruto da criatividade ou maldade humana para fins de controle das massas ou no intuito de terceirizarem suas responsabilidades, e que qualquer pessoa em qualquer lugar do planeta pode criar do nada um deus imaginário, depois um rito particular, que com o tempo e aceitação poderá ser difundido, desejado ou imposto à força como tem sido desde sempre e isso poderá se tornar uma religião com um número gigantesco de fiéis.
  O medo, a cobiça, a ganancia, a inveja, a luxúria, a soberba, a ignorância e a falta de controle sobre os próprio impulsos e emoções são as principais causas de homens criarem/ recorrerem as religiões bem como a se submeterem aos seus representantes.  Aquilo que as religiões juram combater é o que mais elas produzem nos indivíduos fazendo com que os tais permaneçam num círculo vicioso, sendo dependentes do sistema e incapazes de resolverem os próprios problemas, combatendo os “demônios” que eles mesmos criam e alimentam.
  Um dia, estudando você entenderá que não existe religião original, deus original, povo escolhido ou salvação com intuitos universais para todos os povos como muitos pregam! Isso tudo é uma grande bobagem para fazer com que muitos se achem especiais e alguns entre estes possam ser mais especiais do que todos os demais.
  Toda religião conhecida é o resultado da aglomeração de várias crendices populares de épocas e povos diferentes e todo deus venerado de um povo é o retrato renomeado de um deus (ou demônio) de uma outra cultura, as vezes apenas repaginado, as vezes subtraído, as vezes aditivado e as vezes apenas subjetivo (como o deus bíblico), deixando para o guia ou adorador a responsabilidade de adorná-lo como bem entender para o propósito que melhor lhe convém.
  Logo você perceberá, que os grupos, são eles mesmo que se auto denominam escolhidos! Não foi deus nenhum que falou isso, e que é comum que os membros se alegrem mais com a condenação dos “infiéis” do que com a possibilidade da própria salvação , e que essa suposta salvação não estar condicionada ao amor de deus ou algum tipo de sacrifício que ele fez ou mandou fazer, antes sim, a salvação ofertada por eles é o resultado da subserviência ao grupo seu líder e suas leis e que essa suposta salvação será “dada” ao  “cliente” que estiver disposto a contribuir com seus recursos e obedecer eternamente a tal instituição, pois mesmo se o fiel vier a deixar o grupo e manter tudo o que lá aprendeu, não será considerado salvo por que não é mais filiado ao grupo, mostrando que eles creem numa salvação mediada pelo grupo e não por deus algum, e que deus é apenas uma isca usada para atrair incautos e desesperados.   
  Você vai entender nesse ponto, que os grupos religiosos, todos eles fazem as próprias regras e criam as próprias leias pelas quais uma pessoa poderá ser salva ou condenada. Deus, jesus ou a bíblia são apenas o pano de fundo para que as pessoas se sintam seguras “no caminho da verdade”. Vai perceber também que nenhum grupo segue a bíblia ou livro sagrado algum, que eles escolhem apenas as partes que mais apoiam suas convicções e dizem estar seguindo a vontade de deus.
   Um dia você aprende que deus é apenas uma ideia que pode ser moldada, ofertada e manipulada por qualquer pessoa, de qualquer lugar, em qualquer época, para qualquer propósito de acordo com os interesses pessoais, medo, ganancia ou ignorância de quem difunde esse ideia ou de quem a aceita por “vontade própria” ou por aculturação.
  Um dia você aprende que pastores, padres, bispos, apóstolos, missionários ou seja lá qual título for que eles carreguem, não são homens de deus, nem ungidos de deus, e nem escolhidos de deus, por deus ou para deus, e nem tão pouco possuem nenhum tipo de poder especial para condenar ou salvar ninguém.
  Eles são pessoas comuns, aceitos ou escolhidos pelo grupo qual frequentam, por serem árduos defensores dos ideais locais, por serem hábeis oradores (ou manipuladores), por que se auto denominaram escolhidos ou ungidos, ou por que tiveram de “lamber muitas botas” das hierarquias superiores para chegar onde estão e serem quem são.
   Nada de especial ou anormal eles possuem! Apenas o constructo de uma imagem a cerca deles é que os fazem parecer superiores, angelicais e intocáveis. Mas eles não o são! Eles também sentem medo, sagram, adoecem e morrem como qualquer mortal. São tão comuns quantos outros, porém pela confiança adquirida, possuem uma elevada capacidade de mentir, extorquir e manipular quando estão rodeado por pessoas iludidas e pouco inteligentes.
   Eles são falhos e tendenciosos como qualquer pessoa e nenhuma tratamento especial merecem apernas pelo título que possuem e ninguém deve temê-los por aquilo que imaginam que eles possam fazer em nome de deus ou com suas almas. Tudo o que eles acham que são, se deve apenas as ideias que as pessoas construíram a cerca deles e não o oposto. Esse constructo pode ser desfeito por meio da busca de múltiplos conhecimentos, do esclarecimento de como tudo se formou e como tudo se mantém e acima de tudo pelo respeito próprio que cada um aplica ou nega a si mesmo.
  Um diz você aprende que esses homens não podem te influenciar de forma direta, decidir seu futuro nem se meter em sua vida se você não o permitir. Se você não frequentar as igrejas que eles dominam, se não financiar o ministério deles com seus dízimos e ofertas, se não temê-los como se fossem anjos ou demônios e se não lhes for um cego subserviente, eles terão de procurar outro meio de vida para viver, terão de mudar de comportamento dentro do próprio grupo ou terão de procurar outros (bestas) para iludir. Há ovelhas sem pastor, mas não há pastor sem ovelhas. Eles precisam mais do povo do que o povo deles. Entender isso muda todas as regras do jogo!
  Um dia você aprende que uma igreja não é a casa de deus, que é apenas um local de reuniões comum como qualquer um outro, cujos membros se encontram para compartilhar certas afinidades, medos, anseios, ilusões ou intenções reais para soluções de problemas. Eles tem o livre direito de compartilharem do que quiserem, mas você também tem o livre direito de acreditar ou não, de obedecer ou não sem que para isso venha ser ameaçado ou chantageado. Que eles se submetam as regras que eles mesmo criaram e ninguém é forçado a aceita-las ou segui-las. A crença é livre, a não crença e o repúdio também! A violência é intolerável para ambos os lados.
   Você vai perceber que entre as afinidades compartilhada numa igreja, existe a crença de que há um ser superior que precisa ser louvado com frequência pelos seus súditos, senão ele os matará e os lançará no inferno eterno e que o ser humano jamais terá paz e prosperidade se não o servir e obedecer cegamente aos seus representantes terrenos.
  Um dia você percebe que as verdades que eles pregam nesses ambientes não são de fato verdades. São apenas crenças! Somente isso e nada mais! Crenças pessoais, crenças grupais, crenças locais... criadas para os membros do grupo, e que não cabem a você seguir se não  o quiser, e que você não deverá ser perseguido ou desprezado se não aceitar tais crenças ou “leis divinas”.  
   São apenas ideologias compartilhadas sob uma ótica dirigida, impostas à força sob ameaças ou pressão psicológica, com o veto do questionamento e da capacidade raciocínio ao que recebe, e que apesar de muitos deles afirmarem que suas verdades são universais, aplicáveis a todos os homens e que são sólidas como um rochedo, a maioria delas podem ser desintegradas pela mais leve brisa da lógica, da razão, da filosofia e pelo método de comprovação científica comum a todos quanto propagam verdades que possam ser constatadas.
   Com muito pesar, um dia você perceberá que a verdade, a justiça, a retidão e a honestidade não podem ser encontrados em larga escala nesses ambientes, antes sim esse é o último reduto cujas qualidades seriam encontradas com facilidade, pois onde o veto ao questionamento, ao diálogo e as livres pesquisas são impostas, a mentira e a loucura será o objeto encontrado abundancia.
  Um dia você percebe que nesses ambientes, a hipocrisia, o ódio, a ira, a ganancia, a inveja, o falso caráter e o falso moralismo são os sentimentos/ensinamentos mais estimulados ou propagados nessas casas e que quanto mais paranoico for um indivíduo nesses recintos, mais respeitado e desejável este será, e que cegos guiando cegos e tolos guiando tolos é a coisa mais comum de se ver nesses locais como se fosse um estilo de vida a ser desejado.
   Um dia, quando você entender que que ninguém precisa “ter deus”, aceitar a jesus ou frequentar uma igreja para ter bom caráter, ser justo, ter auto controle, respeitar os seus semelhantes e viver com dignidade, então liberto você será e destruído será todos os grilhões que te prendem a um local de culto, a um deus qualquer ou a um líder religioso.
   Você verá que é muito mais gostoso respeitar e amar as pessoas pelo que elas são (ou pelo que não são) do que amá-las pela fé que elas professam ou em troca de serem recompensadas por um ser superior.
   Entenderá nesse dia que o respeito as pessoas, ao meio ambiente, animais e plantas é uma questão de inteligência para sobrevivência pacífica e harmoniosa consigo mesmo e com quem te rodeia, e não um toma-lá-dá-cá com deus ou o diabo, um amor interesseiro, baseado apenas no que pode ganhar no futuro.
  Nesse dia você verá que ninguém é ou se torna bom só por frequentar uma igreja ou afirmar que tem deus na vida, antes sim irás notar que é bem mais fácil cometer o mal “escondido em deus” do que “fora dele”.
  Você perceberá que independente do lugar onde as pessoas estejam, ter bom ou mau caráter é uma questão de escolha pessoal, de dignidade e não uma questão de estar ou não sendo supervisionado por deus ou pelo grupo, e que malandro existe em todo lugar, mas que na casa de deus eles podem terceirizar tudo o que fazem e “continuar de boa”, por que deus os perdoará, sem que eles mesmos tenham corrigido os danos que causaram a outros.
    Você deverá perceber por conta própria que dar dinheiro para deus ou para sua obra é uma das coisas mais burras que alguém pode fazer na vida! Deve perceber que isso não existe! Ninguém dá dinheiro para deus ou para sua obra. Tudo será para o líder ou para a organização como um todo! Esta é quem decidirá o que é ou não é a obra de deus.
  Alguns líderes consideram construir hospitais e ajudar necessitados como sendo a obra de deus. Outros consideram organizar cruzadas para matar os infiéis e reconquistar os “territórios sagrados” como sendo a real obra de deus. Outros consideram expandir suas filiais como se fossem franquias de multinacionais para enriquecimento próprio...qualquer um interpreta como quiser a obra de deus e sua vontade, e você contribuinte, será o responsável pelo bem ou mal que eles fizerem com a vossa contribuição. A obra de deus não existe! Tudo é fruto do trabalho ou do acordo humano para oprimir ou cuidar de outros humanos.
   Dar dinheiro ao seu líder religioso como se fosse para deus, só o fortalecerá ainda mais para oprimir a ti mesmo e a todos quanto esse tipo de “evangelho” puder alcançar, e que quanto mais pobre e ignorante for um grupo, mais forte será o sistema de arrecadação e mais poderoso será o líder nesse grupo, podendo inclusive sua influência ir para além do grupo, afetando as tomadas de decisões nas políticas locais, estaduais ou nacionais. Um mau que tem chegado ema países africanos, custeado por crentes brasileiros, que achando que estão dando dinheiro para deus, estão apenas pagando para seus líderes locais expandirem seus territórios de exploração de riquezas e opressões diversas.
   Você deve entender por conta própria que se deus fosse o que dizem ser, ele não precisaria de dinheiro de ninguém e se ele quisesse fazer alguma coisa por alguém ele mesmo o faria pois poder e recursos não lhe faltam segundo a caricatura que dele fazem. Se ele não o faz é por que não o quer, e não é o seu dinheiro quem vai fazê-lo mudar de ideia!
   Um dia você entenderá que por mais fiel que tu possas ter sido “ a deus”, a um grupo, ou ao seu líder religioso, no dia em que você discordar de uma única vírgula, você será demonizado, insultado, caluniado e terá a sua reputação destruída e que não importa o quanto tu tenhas trabalhado para esse “deus”, sistema ou líder, tu serás amaldiçoado, todo o grupo (sem cérebro) ficará contra você, principalmente os que você mais ajudou ou socorreu e que enquanto não te humilhares e pedires perdão ao teu líder carrasco e opressor e enquanto não declarar para este e diante do grupo uma subserviência ainda maior, tu não serás perdoado, o céu lhe será vetado e para os quintos dos infernos tu serás recomendado justamente por aqueles que se diziam ser seus irmãos, filhos de um mesmo pai e um mesmo deus! Nunca se esqueçam disso!
   Um dia você vai perceber que na “casa de deus” as pessoas geralmente não constroem vínculos de amizades, elas constroem vínculos de cumplicidade, cujos laços são tecidos pelo que acreditam, pelo medos não manifesto, pelos segredos comprometedores compartilhados, ou pelos infiéis que que podem verbalmente condenar ao inferno e quando alguém sai do grupo percebe quão “sadias” eram suas “amizades”. Vai perceber despois disto que quando não receber a visita de inquisidores para acusa-lo depois de excomungado, receberá a visita de outros escravos pedindo para que tu retornes ao cativeiro pois sentem-se invejosos com a liberdade alheia e não conseguem admitir.
   No dia em que entenderes que deus e suas diferentes formas de culto é apenas um conto infantil para pessoas adultas e que toda liberdade tem um preço, nesse dia, as escamas cairão dos seus olhos, deixarás de ser cego, mudo, surdo e aleijado e poderás mais uma vez fazer uso suas faculdades mentais e desse modo poderás experimentar em teu interior um pouquinho do potencial que possui o ser humano.
    Que um dia se abra os seus olhos e que o menestrel que tu és deixe de agir como um bobo da corte...
  Lembra-te que não precisas fingir nada ou crença alguma para agradar alguém ou ser aceito em algum grupo, mas se aprenderes a apreciar vossa própria companhia todas as demais farão por merecer a vossa e não o contrário!
Pin It
Atualizado em: Seg 16 Dez 2019

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222