person_outline



search
  • Terror
  • Postado em

O arbusto

Eu sou apenas mais um jovem qualquer do século 21, ou pelo menos eu era antes daquilo ter acontecido. Eu estava andando tranquilamente no caminho de casa quando eu escuto um barulho vindo de um arbusto, eu não dei muita atenção pois era tarde e eu só queria chegar em casa, na minha rua tinham muitos gatos então de inicio pensei ser só mais um gato caçando mais um rato. Cheguei em casa e apaguei como todo sábado a noite, amanhecendo tive que passar pelo mesmo caminho que fiz para voltar da padaria e me deparei novamente com o barulho dos arbustos. Estava comendo um sanduíche e joguei um pedaço na frente do arbusto na esperança de ver o gatinho que ali se escondia porem o arbusto simplesmente se silenciou, assustado sai dali o mais rápido.
De repente escutei o arbusto fazer um barulho diferente, então me tranquilizei e pensei que o gato só estava com medo de mim, o que eu encontrei a seguir me deu pesadelos mas preferiria mil vezes nunca mais ter uma noite de sono com a imagem de um gato morto, estrangulado e com sua cabeça virada do que vi depois. No próximo fim de semana foram noites bem chuvosas e eu tive que passar pelo mesmo arbusto e ele estava estranhamente quieto, ele parecia não ser real pois o vento não o afetava. Não tive muito tempo para pensar nisso ja que estava com uma chuva forte e eu só queria retornar para casa, e então que escuto uma voz roca e tremula dizer "Obrigado pelo sanduíche, os ratos são muito ruins" nesse instante subiu um arrepio na minha espinha e eu paralisei "quem disse isso? Não tem ninguém na rua nessa hora" pensei comigo mesmo. Enquanto recuperava aos poucos os movimentos tive a péssima ideia de me virar e ver quem estava ali, quando me viro vejo um ser humanoide com uma barba que o cobria até os joelhos, seus braços eram tão finos que parecia que o vento os quebraria a qualquer momento, em compensação suas pernas eram grossas quase se tornando uma só. Seu rosto velho e acabado deixando muito bem marcado seus ossos. Ele veio em minha direção dizendo "Se a comida que você come é tão boa, imagino que você seja melhor ainda!", e então suas mãos enrugadas e velhas se tornaram garras, suas pernas viraram pernas de veado e ele veio correndo em uma velocidade que não era humana. Eu não pensei duas vezes e sai correndo o mais rápido que pude, felizmente ele escorregou e me deu um tempo a mais para a fuga porém isso foi inútil ja que ele me alcançou pouco tempo depois. Quando me agarrou pude ver aqueles olhos negros sem alma, aquela boca com os dentes aterrorizantes e um bafo de morte. Agora estou no inferno escrevendo isso enquanto espero para ser torturado.
Pin It
Atualizado em: Seg 15 Mar 2021

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222