person_outline



search

Carta nº 4 - Manifesto de um Psicólogo desatualizado e desempregado

Brigite:

Boa noite,

Estava eu, em meu computador como rotina de um desempregado e de todas as noites, lendo, pesquisando sites, cursos, workshops, pós-graduações, etc, quando deparei-me com algumas incógnitas que, inclusive, assombram minha mente há algum tempo e resolvi pedir sua ajuda para esclarecê-las.

A começar pelo lado financeiro: as instituições não hesitam em "meter a faca", cobrar valores absurdos ás vezes por cursos de 4 ou 5 dias - os ditos "workshops". Ou mensalidades bem salgadas para o bolso de um rélis mortal. Além disso, os dias e horários são os mais interessantes: "encontros uma vez por semana, ás quintas-feiras, das 13:00 às 17:00hs". Oras, e quem trabalha? Não pode fazer o curso na instituição que escolhe porque precisa trabalhar? Então, só resta concluir o seguinte: psicólogo bom é psicólogo com dinheiro, tempo, carro; psicólogo bom pode sair do emprego a hora que quer, fazer o curso que bem entender em qualquer lugar, que o gestor não vai sentir falta, vai dizer "tudo bem, vai em frente, não se preocupe". Psicólogo bom tem mestrado, doutorado, pós-doutorado ou e/ou o tal do MBA. Psicólogo bom já publicou dezenas, centenas, talvez milhares de artigos nas mais respeitadas e diversificadas revistas. Psicólogo bom teve tempo de participar de congressos, mesas-redondas, programas de tv, escrever e publicar livros. Será que plantaram árvores e tiveram filhos também, completando o ciclo de realização do ser humano? Psicólogo bom é assim, então eu estou na categoria dos ruins, pois estou desempregado, não tenho "bala na agulha" pra investir e ser um profissional altamente qualificado. O mercado lá fora exige experiência, conhecimento, prática, e ninguém dá a oportunidade de começarmos, logo não tenho como ter dinheiro para investir e me aperfeiçoar. Será que com outros profissionais é assim?

Fica a pergunta no ar, e eu continuo aqui, sonhando, idealizando, planejando. Quem sabe um dia, eu atinja o Olimpo dos Psicólogos-Deuses, e deixe de ser um rélis psicólogo recém-formado mortal.

Abraços e obrigado pela sua atenção!

Psicólogo revoltado

______________________________________________________________________________________

Querido Psico-magoado:

Uau! Seu manifesto realmente é bem complexo e profundo. Tenho muitos amigos e garanto a você que não é só na Psicologia essa crise. Administradores, jornalistas, economistas e tantos outros profissionais passam pelos mesmos questionamentos, têm o mesmos sentimentos que o seu e compartilham das mazelas. Diz o ditado "ossos do ofício".

O mundo corporativo como um todo está assim, o mundo como um todo está assim. Instituições de ensino também estão em crise, sendo compradas, declarando falência, tentando acordos com locais menores. O mercado de trabalho ainda está se recuperando da crise mundial que abalou suas estruturas. Já questionei diversas vezes as razões da minha escolha profissional, também tive momentos de desespero, pessimismo,  de não saber qual caminho seguir e qual direção. Tranquei diversos cursos de especialização, até que resolvi mudar minha tática: resolvi não ficar sentada, reclamando, tomando sorvete e comendo chocolate como se fosse o fim do mundo. Comecei a colocar no papel minhas vontades, meus planos, tudo que eu pensava e sentia - sim, é bom escrever nesses momentos para aliviar o baixo astral -, e fui à luta. Quando menos se espera e quando mais nos dedicamos a um objetivo, mais parece que as coisas fluem naturalmente. É questão de acreditar em você, pensar positivo e acreditar que encontrará suas respostas, o local certo para estudar, o trabalho certo.

Não se preocupe, seus questionamentos são naturais. Apenas não se deixe dominar pelas respostas negativas como "não presto, não sou nada, não sirvo", etc. Quando elas aparecerem, reveja e reprograme para pensar o oposto. Não é uma tarefa simples, eu sei, mas só assim as névoas das dúvidas e incertezas e os sentimentos negativos e pessimistas irão se transformar em energia para lutar e vencer!

Mande-me notícias contando os resultados, faça esse exercício como uma experiência apenas.

Seja feliz, sucesso sempre e lembre-se: você não é o único vivendo os mesmos dilemas, mas o que você fizer com eles fará a diferença!

Pin It
Atualizado em: Sex 30 Out 2009

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222