person_outline



search

Montanha-russa mental

Os parques de diversões tem como atração principal a montanha-russa. O que é um brinquedo bem metafórico, eu acho isso pelo menos, pois pode representar sua vida amorosa, sua vida social ou até mesmo mental. Mas tem uma contradição, na montanha-russa, a subida demora e a queda é curta, mas não é assim na vida real. Na vida real a subida dura pouco e a queda normalmente prevalece e se torna emocionante para alguns.
 Eu gasto todos meus "hormônios da alegria" com drogas, por exemplo, o que eu normalmente faço, me fazendo ter uma queda que seria composta com dores de cabeça, cansaço e uma incrível vontade de não estar viva, nada fora do comum nessa última, sinto isso sem estar doidona. Minha montanha-russa não é uma atração comum, pois ela teria curvas, além de decidas longas e duradoura. Fazendo ficar até chato e irritante, mas mesmo assim ela se torna emocinante ao se ouvir nos comerciais. Claro que eu não considero minha vida emocionante se não eu engoliria toda manhã alguns "ursinhos da alegria" para aguentar minha própria mente em um dia-dia comum, por isso sempre tenho um estoque escondido dentro da minha mochila escolar ou atrás do meu armário.
Claro que essa “alegria” que eu tomo de manhã não faz bem para uma garota menor de idade e blah blah blah... Mas isso não afeta diretamente minhas notas ou minha vida social (sexual), e se afetasse eu não me importaria, e afinal mulheres como eu só servem para se reproduzirem ou serem feitos como troféus. E possívelmente posso me tornar esposa de um traficante e ter meu cabelo raspado, mas ai só o futuro ira me dizer, ia ser interessante viver perto da morte todos os dias.
Eu tinha tudo para subir na montanha-russa, meus pais me ajudam na parte financeira, tinha web-namorado, inocência e amigos, mas com o tempo fui me desinteranssando de tudo. Comecei a engordar, a ter dores de cabeça, raiva de tudo ao meu redor, dormi nas aulas, deixar de fazer as lições, a afastar as pessoas, assim me fazendo perder tudo. Minha queda foi enorme e está durando até agora e se alguém tenta me ajudar eu ferro com essa pessoa, ninguém aguenta me ouvir meu narcisismo ou sobre minha vida, o que me faz guardar para mim mesma cada dia mais um pouco.
Eu me odeio por ser do jeito que sou, odeio as pessoas que vivem me abandonando, odeio meus pais por não me entenderem como pessoa e odeio minha mente por fazer tudo que eu vivo parecer pior, eu odeio tudo e eu queria acabar logo essa queda e começar a subir de novo e conseguir tocar no céu e ficar lá, onde o oxigênio é menor e meu medo é maior de que a qualquer momento cair e não chegar no topo de novo. Eu só quero ficar bem, ter amigos que estejam comigo, ser mais bonita, estar sem dores físicas e mentais, mas já que o destino quer me ver caindo, eu em algum momento vou cair no décimo quarto andar do meu prédio para ter certeza que não vou fazer mais peso nenhum na minha montanha-russa, para nunca mais sentir a dor de cair, de ter que me depender dos ursinhos da alegria para aguentar um dia na escola ou de normal. Eu só queria ser mais eu, mais feliz, ser mais agradecida e mais corajosa para aguentar essas recaídas.
Eu preciso subir, mas se eu não subir em muito tempo eu vou cair...
Para nunca mais levantar de novo.
Pin It
Atualizado em: Sáb 25 Abr 2020

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222