person_outline



search

No Horizonte do Brasil

Entre as mentiras cabeludas que pregam, tem esta tal de democracia, ou seja, "sociedade democrática"! Pois nesta sociedade em que vivemos, na verdade quem impera e predomina ditando regras, não é outro, senão o desenfreado capitalismo selvagem; que não por acaso, também é o maior responsável pelo alto índice de violência e criminalidade. Onde uma minoria é "privilegiada", recebendo um tratamento diferenciado e se colocando acima da lei.

Na realidade, este é um sistema que favorece a poucos, deixando muitos sem dignidade ou opções de vida. Criando um bando de despreparados, que por falta de oportunidade, acabam desesperados e as margens. Aumentando a população; porem, com a maior parte pobre e endividada, vivendo a míngua, na miséria e dependência.

Imensas riquezas continuam se esvaindo; as madeiras e minérios desaparecendo, e a população mais humilde sendo escravizada. E tem quem fala em acabar com a fome, no país que devia ser o paiol do mundo.

Não será demagogia?

Se for um pensamento inocente, é elogiável. Porem pode se arrecadar todo o dinheiro, e toda a alimentação do universo. Enquanto os homens não abrandarem suas ganâncias e despertarem suas consciências, a fome persistira.

Temos como exemplo, a vergonhosa indústria da seca nordestina! "Onde pomposos hipopótamos" mergulhados em piscinas olímpicas, vêm de longas datas lesando os cofres públicos, enquanto a sede assola a população carente.

Triste é saber, que existe grande quantidade de demagogos, alienados a este bando de fidalgos.

Montados em verbas públicas apreciam o luxo e a beleza. Mas com suas hipocrisias gananciosas e desenfreadas, produzem somente a miséria, e a mendicância horrorosa. E quando tem oportunidade de fazer justiça; deixa-se contaminar pela conveniência em manter o povo submisso e na ignorância. Os que entram, criticam os que saem, para em seguida se comportar igual ou pior; aumentando o circulo vicioso, e o descrédito do homem para com seu semelhante.

Enquanto isso, homens meninos ricos, deslumbrados com suas falsas riquezas, transitam presos em seus luxuosos carrões blindados. Com um medo da violência que se pelam.

Se tivessem boas vontades, abrandariam suas ganâncias e despertariam suas consciências, para a justiça social. Mas com as contas abarrotadas, em qualquer paraíso fiscal é lugar. Tanto em Nassau, como nas Ilhas Cayman, ou na Suíça... E que se dane a consciência.

Temos como exemplos às empresas que estavam com rombos, por serem cabides de empregos, e foram privatizadas. Antes, porém, pagaram suas contas com o dinheiro publico. E quem são hoje seus maiores acionistas? Não são os mesmos, que enriqueceram a população de esperanças, com polêmicas promessas?... E onde estão as vantagens pregadas antes das privatizações? O silencio e conformismo chega a causar indignação.

E já entregaram uma parte do território brasileiro, para formar uma base militar em Alcântara. Ou seja, uma baia para o cavalo de Tróia. E com bons modos e boas propostas, retiraram de lá vários moradores.
Fato é que; alguns nativos daquela região, após perderem suas terras, sobrevivem desiludidos, e abandonados à própria sorte, pintando a realidade, com as cores da ingenuidade.

E os responsáveis por este quadro, tentam convencer a população, que o desenvolvimento continua. Desenvolvimento de quem? Se o progresso vem sempre desordenado, trazendo estruturas sociais enganosas e injustas, fazendo proliferar a pobreza a miséria e violência.

E até quando uma fração desta classe conseguirá enganar, e na maior mordomia, falar em fraternidade, paz e justiça social? Se com seus engodos, frustram até os sonhos dos seus semelhantes!

Sigo notando uma profunda ligação entre dependência, e alguns meios de comunicações, nos tirando o poder de crítica, e habituando-nos à passividade.
De tempos em tempos, entram sutilmente em nosso cotidiano e nos impõem suas idéias exibicionistas, atropelando nossos direitos, e induzindo-nos a acreditar em suas promessas mirabolantes, tentando nos fazer esquecer fatos recentes, e se esquecendo que temos vontade própria.

A comédia é sempre a mesma. E a mídia, de olho no bolo chamado conveniência, entra em cena com críticos mascarados, distorcendo os fatos, e criando heróis até com o estrume do cavalo do bandido, que por ter costa quente não deve ser malhado.

Não estou defendendo afirmando ou desmentindo, mas faz parte da história. E nem sempre os heróis semideuses, criados pela mídia bajuladora, são os mocinhos. Em épocas pré-eleitorais, criam heróis para todos os gostos. Tem com o colarinho branco, o que rouba, mas faz, desviadores de verbas, traficantes, lesa pátria; larapio de merenda escolar, papa anjo... Estamos bem servidos de heróis bem intencionados. A maioria em liberdade, tentando encontrar uma solução para nossos problemas. Nenhum de olho nas atrativas mordomias, que a vida publica oferece. Antes de se elegerem, são todos Francisco de Assis. E apoiados pela mídia bajuladora e sensacionalista, pedem um voto de confiança a população carente.

A maioria daqueles que promete construir cadeias, e colocar policia na rua para acabar com a violência. Depois de eleitos, se transformam em semideuses, ou orgulhosos Mussolinianos, e com suas manias de grandeza, fazem mais o mal do que o bem. Mas para não ocuparem as mesmas cadeias por eles construídas com superfaturamento; astuciosamente se refugiam sob o manto da imunidade, deturpando a democracia, e se colocando acima da lei.

E só tempos depois de terminarem seus mandatos, é que a população oprimida percebe, que deu credito á verdadeiros larápios.
Indiscutivelmente é preciso uma revolução. Mas revolução cultural e ambiental. E o povo conta com...? Para dar o pontapé inicial.

Enquanto uns pregam, que todo país se desenvolve através de educação e tecnologia. Outros estão lambendo botas, ou pedindo benção, para conseguir vantagens pessoais, ou dinheiro emprestado.

Diga a eles seu menino, para usarem parte dos desvios e o que se gasta
erroneamente. Diga que dinheiro tem o que falta é consciência e vergonha na cara.
Aproveite para dizer, que a honra, a ética e a dignidade, que deviam servir de exemplo, por serem preceitos valiosos, estão se tornando fúteis. Ou nossos antepassados, perderam tempo nos ensinando, que da semente que plantarmos virá o fruto que colheremos?

O povo deve escolher homens públicos, através de suas ideologias. Não através de partido, raça, ou credo. Só assim conseguira fortalecer a democracia, e se aproximar da justiça social.

Pena sermos tão desunidos!... Ao invés de ir procurar melhorias de vida no exterior, deveríamos nos unir e obrigar os políticos cumprirem suas obrigações.
Um programa de governo que me parece estar vingando, é o da fome zero, pois com a visita do presidente Bush ao Brasil, o governo passou a incentivar a plantação de cana e a construção de usinas. Sinal que podemos dar adeus à reforma agrária; pois agora os grandes latifundiários vão se apossar de vez das terras dissolutas. Em compensação a população carente terá mais acesso a cachaça e rapadura!

No melhor país do mundo, onde predomina a injustiça social, já comemoramos 508 anos de saques e rapinagem.
Pin It
Atualizado em: Sex 14 Nov 2008

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222