person_outline



search

ATMOSFERA DE CURA


Dedicatória

 Esta obra eu gostaria de dedicar a duas pessoas que eu amo muito,

jóias que Deus colocou em minha vida.

Kathryn Kuhlman

BENNY HINN

  1. MENSAGEN     DO     AUTOR

 

“Tudo na existência tem uma finalidade”

 

Se a cura fosse apenas para ontem, Deus teria dito: "Eu

era". Mas o onipresente Deus declara: "Eu sou".

 


“Despertar do sono profundo em que vivemos,

só através da luta contra o condicionamento em

que fomos obrigados a viver;”

A vontade de Deus é curar

Depois do meu encontro pessoal com o Espírito Santo, gastei

centenas de horas na Palavra. Durante este tempo fiquei convencido de

que milagres não são apenas possíveis, mas que é a vontade de Deus que

seu povo seja curado.

Muitas pessoas declaram: "Ele é o Salvador da minha alma", mas

falham em perceber que o Senhor também é o Salvador do nosso corpo

físico. A morte de Cristo na cruz nos proveu não somente nossa

salvação, mas também nossa cura. Em l Pedro 2.24 lemos: "Levando ele

mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que,

mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas

feridas fostes sarados."

E sua vontade que sejamos curados e permaneçamos saudáveis

todos os dias de nossa vida. Como Deus disse a Jó: "Na velhice virás à

sepultura, como se recolhe o feixe de trigo a seu tempo" (5.26).

Deus promete que ele verdadeiramente removerá de nosso meio

todas as doenças. "E servireis ao Senhor vosso Deus, e ele abençoará o

vosso pão e a vossa água; e eu tirarei do meio de ti as enfermidades" (Êx

23.25).

Sempre me pergunto por que as pessoas — incluindo cristãos —

têm uma fé tão pequena em relação a sua cura. Muitas vezes escutei

pessoas aceitarem suas enfermidades como se fossem inevitáveis e

dizerem: "O que tem de ser, será."

Para muitos destes casos, a resposta pode ser encontrada em uma

palavra: tradição. As pessoas sempre creram desse modo. Precisamos

nos lembrar do que Jesus disse aos escribas e fariseus quando afirmou

que eles estavam "invalidando assim a palavra de Deus pela vossa

tradição, que vós ordenastes" (Mc 7.13).

Nossos costumes e práticas não mudam a Palavra de Deus. É sua

vontade que vivamos sem enfermidades ou doenças. O escritor de

Provérbios afirma: "Filho meu, atenta para as minhas palavras [...]

Porque são vida para os que as acham, e saúde para o seu corpo" (4.20,

22).

Um leproso uma vez se ajoelhou diante de Jesus e disse: "Se

queres, bem podes limpar-me" (Mc 1.40). Cristo estendeu a mão, tocouo

e disse: "Quero, sé limpo" (v. 41).

Jesus disse: "Eu quero", e suas palavras ainda são verdadeiras. Se

ele quisesse curar somente aquele homem, ele teria dito: "Eu quero, mas

somente em seu caso". Desse modo, haveria condições.

As Escrituras claramente afirmam que o Senhor não mostra parcialidade.

O apóstolo Pedro declarou: "Reconheço por verdade que

Deus não faz acepção de pessoas" (At 10.34). Por que isso é importante?

Porque significa que se ele cura um, ele curará outro. E se ele cura dois,

curará dois milhões.

Continuo admirado que alguns cristãos acreditem que os milagres

terminaram com o ministério terreno de Cristo e dos apóstolos.

Certa vez alguém disse a Oral Roberts: "Não creio que a cura é

para hoje."

Oral pegou uma tesoura e disse: "Dê-me sua Bíblia".

Ele entregou a Bíblia de volta ao homem juntamente com a tesoura

e disse: "Quero que você corte todas as passagens que falem sobre

cura."

O cavalheiro respondeu: "Não posso fazer isto. Eu estaria destruindo

a Palavra."

Oral Roberts parou por um momento e declarou: "Isto é exatamente

o que você faz quando diz que Deus não cura."

A cura não foi só para o passado, mas também é para o presente.

Deus disse a Moisés: "Se ouvires atento a voz do Senhor teu

Deus, e obrares o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os teus

ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos,

nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito;

porque eu sou o Senhor que te sara" (Êx 15.26).

Deus não falou a Moisés sobre o que havia feito no passado por

Abraão ou Noé. Deus disse a Moisés o que ele lhe faria hoje. Isto é, no

momento presente. Se a cura fosse apenas para ontem, Deus teria dito: "Eu

era". Mas o onipresente Deus declara: "Eu sou".         

BENNY HINN

A fonte dos milagres

Muitas pessoas que gostam de me rotular de "curandeiro divino"

se surpreendem freqüentemente quando vêm a nossas cruzadas e vêem

que não temos uma Unha de procedimentos para as curas. Raramente

oro por indivíduos. Em vez disso, eu creio que Deus tem, claramente,

me chamado para levar as pessoas à sua presença, onde o Espírito Santo

pode fazer sua obra. Quando dirijo uma ministração de cura, as pessoas

vêm à plataforma para louvar a Deus por um milagre que já tenha

acontecido.

Sim, nas Escrituras há exemplos de Jesus ter imposto as mãos

sobre os que estavam doentes, mas também há o caso de ele, enquanto

andava no caminho de Jerico, ter passado por um cego e simplesmente

falado a ele e a cura ter vindo a esse homem. Jesus disse: "Vê; a tua fé te

salvou" (Lc 18.42).

Lembro-me da senhora Kuhlman dizendo em suas reuniões: "Se

você crê que eu, uma pessoa, tenho algum poder para curar, você está

redondamente enganado. Não tenho qualquer poder para curar.

Tudo o

que posso fazer é mostrar-lhe o caminho — posso levar você até o

Grande Médico, e posso orar por você, mas o resto é com você e Deus."

Se eu acredito na medicina? Absolutamente. Deus usa tudo o que

está a seu dispor no processo da cura — incluindo os médicos. Como a

senhora Kuhlman dizia: "Um médico tem o poder e a habilidade de

colocar um osso no lugar, mas ele deve esperar pelo poder divino para

curar. Um cirurgião pode habilmente realizar a mais difícil das

cirurgias;

ele pode ser um gênio com o bisturi, usando cada faceta de

seu bem treinado intelecto; mas ainda assim ele deve esperar por um

poder mais alto para fazer a cura real — pois nenhum ser humano tem

o poder de curar."

Naquela tarde, logo após ter chegado de Toronto, fui para o escritório

da Fundação Kathryn Kuhlman e lá encontrei Jimmy

McDonald, o grande cantor gospel que tinha acompanhado a irmã por

muitos anos; e Maggie Hartner, sua fiel assistente.

Nunca havíamos sido apresentados formalmente. Antes desse

encontro eu tinha apenas dito um rápido olá para eles num dos cultos

de milagres realizados em Pittsburgh.

— Ouvimos falar do seu ministério e estamos bastante alegres

por você estar aqui neste dia especial —, disse Maggie.

"Como ouviu falar a meu respeito?", eu me perguntei, já que eu era

relativamente desconhecido fora da cidade de Toronto.

Eu estava admirado de eles terem me convidado para participar desse

evento. E fiquei ainda mais surpreso quando soube como seria o culto.

— Primeiro, mostraremos o filme da reunião da senhora

Kuhlman em Lãs Vegas, e, então, desejamos que você conduza uma

ministração de cura.

— Uma ministração de cura? — eu exclamei. — Vocês têm

certeza?

Eu me senti como um peixe fora d' água. Sabia que seria bastante

difícil para mim estar lá para ministrar cura depois do filme, com todas

aquelas pessoas pensando: "Quem c este desconhecido lá em cima

orando pelos enfermos?" Até podia ouvi-los dizer: "Será que ele está

pensando que vai tomar o lugar de Kathryn?"

— Maggie — eu disse —, sinto-me extremamente desconfortável

com a idéia de orar pelos enfermos num culto memorial. Não seria bem

melhor se eu simplesmente dissesse como o ministério da senhora

Kuhlman influenciou minha vida?

Jimmy McDonald, que é agora um dos solistas de nossas cruzadas,

concordou. — Talvez ele esteja certo. Será que deveríamos ter

realmente uma ministração de cura?

Uma muito determinada Maggie insistiu: — Isso é o que eu

quero e isso é o que vai acontecer. E pediu a Jimmy que me

apresentasse.

Naquele momento, aproveitando a vantagem de estar atrás das

cortinas, meus olhos percorriam nervosamente o local, enquanto via a

multidão encher aquele lugar — um dos mais belos auditórios dos

Estados Unidos, com ornamentos de esculturas em ouro e belos camarotes.

E continuei me perguntando: "Por que eu?", enquanto procurava

um lugar para que pudesse assistir ao filme.

As luzes se apagaram, um silêncio caiu sobre a multidão e o filme

começou. Foi maravilhoso! Aquele filme foi feito num culto realizado

num lotado Centro de Convenções Lãs Vegas, em maio de 1975 —

 A  única vez em que a senhora Kuhlman permitiu que uma de suas

reuniões fosse filmada. Aquele culto de cinco horas tinha sido

condensado em dinâmicos noventa minutos.

Eu tinha visto o filme previamente, e meu estômago dava voltas.

"Como poderei dar continuidade a isso?", eu perguntava. Então, alguns

minutos antes da conclusão do filme, Jimmy me levou para trás da

plataforma com ele.

Permanecendo na escuridão, ele me disse: "Quando acenderem

as luzes, entrarei, anunciarei você e começarei a cantar: 'Jesus, Jesus,

Jesus, existe algo a respeito deste nome.'" Quando todos cantassem

juntos aquele hino, eu deveria me juntar a ele na plataforma.

Em sua apresentação, Jimmy disse coisas que eu não sabia —

como o fato de que antes de a senhora Kuhlman morrer, ela havia dito

ao seu grupo de apoio que tinha ouvido sobre o meu ministério e pediulhes

que me ajudassem como pudessem.

Quanto mais Jimmy falava a meu respeito, mais nervoso eu ficava.

Quando ele começou a cantar, olhei por detrás das cortinas petrificado.

E lembrei que havia apenas dois anos, então com vinte e dois

anos, havia pregado meu primeiro sermão. Tudo fora tão rápido. Eu

estava tão assustado, que literalmente não podia me mover. Jimmy

McDonald cantou o estribilho do hino pela segunda vez — e pela

terceira. Finalmente, dando-me uma última dica, ele disse ao auditório:

"Vamos cantar o hino pela última vez enquanto Benny Hinn vem para a

plataforma."

Um introdutor, percebendo a situação, deu-me um empurrão, e

eu, timidamente, caminhei para a plataforma — totalmente pálido e

tremendo. Jimmy me deu um olhar aliviado que dizia: "Por que você

demorou tanto?"

Ele me levou até o microfone e me deixou ali, sozinho. Pude

sentir que cada olhar na multidão fitava para mim.

Os músicos mudaram a canção e estavam tocando suavemente

ao fundo, mas minha mente era um branco total. A única coisa que

pude dizer foi: "Vamos cantar aquela canção novamente".

Bem, eu tentei, mas porque eles tinham mudado o tom, eu não

podia encontrar a nota exata e comecei a cantar aquele estribilho

sozinho num tom muito alto. Minha voz, saiu esganiçada, e fiquei completamente

embaraçado.

Poucos momentos depois eu comecei u chorar. Eu olhei para o

alto e disse: "Senhor, não posso fazer isto."

Naquele mesmo instante o Senhor falou comigo e respondeu-me:

"Estou feliz que você não possa, porque eu o farei."

Falei brevemente sobre o dramático impacto que Kathryn

Kuhlman causou em minha vida. Pouco antes do Natal de 1973, viajei

em um ônibus fretado de Toronto para assistir a uma de suas reuniões

de sexta de manhã na Primeira Igreja Presbiteriana de Pittsburgh.

  1. Ali    houve testemunhos de curas de tumores, de artrite, de dores de cabeça e

de outros males. Mas eu nunca ouvira alguém falar sobre o Espírito

Santo como ela. Com os olhos avermelhados, ela começou a chorar

pedindo: "Por favor." Ela falava demoradamente: "Pooooor favor, não

entristeça o Espírito Santo!"

Então, relatei-lhes o que aquela evangelista de cabelos ruivos

havia dito: "Vocês não compreendem? Ele é tudo o que tenho. Ele é o

meu mais próximo, pessoal, íntimo e amado Amigo."

Compartilhei sobre como voltei para casa aquela noite e deitei na

cama desesperado por entender o que aquela mulher de longas e

flutuantes vestes brancas tinha dito. Eu pensei: "Quero o que Kathryn

Kuhlman tem." Naquela mesma noite, o Espírito Santo veio até o meu

quarto e, pela primeira vez, entrei num relacionamento pessoal com

essa Pessoa que transformou minha vida.

Depois de ter contado aquela história, comecei a ministrar na ala

dos músicos e, de repente, o poder de Deus desceu. Milagres começaram

a acontecer.

As pessoas estavam estáticas, e, é claro, ninguém

estava mais maravilhado do que eu.

A senhora Kuhlman tinha a melhor equipe do mundo. Quando

Maggie, Ruth Fisher e outros sentiram a unção do Espírito, eles se

dirigiram para os corredores e falaram com as pessoas que haviam sido

curadas. Logo a plataforma estava cheia de gente que desejava

compartilhar seus extraordinários testemunhos.

Kathryn Kuhlman não estava mais conosco, mas o Espírito de

Deus ainda estava bastante presente.

Por um convite da Fundação Kathryn Kuhlman, que me deixou

honrado, retornei no mês seguinte ao auditório do Memorial do

Soldado e do Marinheiro e mantive cultos mensais em Pittsburgh nos

quatro anos que se seguiram. Eu também fiquei muito lisonjeado por

freqüentemente ser convidado para apresentar seu programa de rádio e

para viajar para as maiores cidades dos Estados Unidos e Canadá, onde

mostrávamos o filme e conduzíamos ministrações de cura que tocavam

a vida de milhares.

Recentemente escutei mais uma vez a uma das fitas da senhora

Kuhlman intitulada "Os Dons do Espírito". Minha mente continua a

voltar atrás, aos dias no início da década de 1970, quando, noite após

noite no meu quarto em Toronto, eu escutava sua calma e cativante voz

pela WWVA, uma estação de rádio muito potente com 50.000 watts, em

Wheeling, West Virgínia. Então, sempre que possível, viajava até

Pittsburgh para estar naqueles inesquecíveis cultos de sexta de manhã

que ela dirigia até pouco antes de partir.

Ouvi suas fitas muitas vezes nos últimos vinte anos, e parece-me

que suas mensagens foram pregadas ainda ontem. Tenho visto Deus

fazer as mesmas coisas em nossas cruzadas. Muitas vezes, pego-me

dizendo: "Sim. Sim. O Espírito de Deus ainda está-se movendo! O

Senhor ainda está curando!"

 

Quando  vivemos  a  vontade de Deus, servimos  para  um  fim  ainda  maior, e somos  levados  a sermos  os  serviçais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando  vivemos  a  vontade de Deus, ele  nos  ensina, que  não somos os primeiros  e sim  os últimos  e  somos  para  o  bem  dos  outros.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando  vivemos   a  vontade  de  Deus, todo  nosso  eu  morre, para  nascer  uma  nova  criatura.

Quando  vivemos   a  vontade de Deus......

Já  não  vivemos  mais  na  carne......

Mas  vivemos   na pessoa do  Espírito.......

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando  vivemos   somos   mortos, mas  quando  morremos  para nós  mesmos,  encontramos   a  nossa  real  existência.

 

 

Quando  entendermos  que  temos  que  servir  para  viver, encontraremos  Deus, o Pai, o Filho e o Espírito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Já  não  sou  mais  eu  quem  vivo.

 

 

Cristo  vive  em  mim.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A  vontade  de  Deus  pode  fazé-lo  chorar,  mas   a  mesma   vontade  plantará  em  você  uma  vida  plena   e  feliz.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A  vontade  de  Deus  é  fazer  você  ficar  parecido   com   ele.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Os homens que perdem a saúde para juntar dinheiro
e depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde.
Por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem o presente,
de tal forma que acabam por nem viver no presente nem no futuro.
Vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se nunca tivessem vivido."

 

  1. Autor   desconhecido

 

 

 

 

 

 

 

 

“A vida é uma oportunidade de ousar."

 

Um velho índio descreveu certa vez em seus conflitos internos: "Dentro de mim existem dois cachorros, um deles é cruel e mau, o outro é muito bom e dócil. Os dois estão sempre brigando..." Quando então lhe perguntaram qual dos cachorros ganharia a briga, o sábio índio parou, refletiu e respondeu: "Aquele que eu alimentar"

"Nenhum pássaro voa alto demais se voar com suas próprias asas"

"Dai-nos forças, Senhor, para aceitar com serenidade tudo o que não possa ser mudado. Dai-nos coragem para mudar o que pode e deve ser mudado. E dai-nos sabedoria para distinguir uma coisa da outra."

"Se choras por não ver o Sol, as tuas lágrimas impedir-te-ão de ver as estrelas"

– Tagore

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Muitas pessoas perdem as pequenas alegrias enquanto aguardam a grande felicidade."

“Ao dizer alguma coisa, cuide para que suas palavras não sejam piores que o seu silêncio.”

"O Senhor é bom para todos, e as suas misericórdias estão sobre todas as suas criaturas." 

 

- Salmos 145:9 

 

"Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível."

 

 

 

 

 

 

 

 

“Mas, por onde eu devia começar? O mundo é tão vasto, começarei com meu país, que é o que conheço melhor. Meu país, porém, é tão grande. Seria melhor começar com minha cidade. Mas minha cidade também é grande. Seria melhor eu começar com minha rua. Não: minha casa. Não: minha família. Não importa, começarei comigo mesmo.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando  vivemos  a  vontade de Deus, servimos  para  um  fim  ainda  maior, e somos  levados  a sermos  os  serviçais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando  vivemos   a  vontade  de  Deus, sabemos   valorizar as  plantas, flores e os  animais,  mas  quando  perdemos   a  sua  direção  pensamos  somente  em nós  mesmos.

 

 

Não compreendo os Teus caminhos
Mas Te darei a minha canção
Doces palavras Te darei
Me sustentas em minha dor
E isso me leva mais perto de Ti
Mais perto dos Teus caminhos
E ao redor de cada esquina, em cima de cada montanha
Eu não procuro por coroas, ou pelas águas das fontes
Desesperado eu Te busco
Frenético acredito
Que a visão da Tua face
É tudo o que eu preciso, eu Te direi
Que vai valer a pena
Vai valer a pena


Vai valer a pena, mesmo
Não compreendo os teus caminhos
Mas te darei a minha canção
Doces palavras te darei, te darei, te darei
Me sustentas em minha dor
E isso me leva mais perto de Ti
Mais perto dos Teus caminhos
E ao redor de cada esquina
Em cima de cada montanha
Eu não procuro por coroas
Ou pelas águas das fontes
Desesperado eu te busco
Frenético acredito


Que a visão da tua face
É tudo, tudo, tudo o que eu preciso
E o grande dia haverá de chegar
Quando eu e você, nos encontraremos com Ele, naquele dia
E eu e você, cantaremos em uma só voz a Ele.

louvor

  1. AUTOR    MAX   E.  SALGADO  M.
  1. 055   27   88823254
  2. Brazil  
  3. EMAIL   :

elainebenny24@gmail.com

smaxemiliano@yahoo.com

  1. NOVO     SITE   :

http://www.wix.com/elainebenny24/escritormaxsalgado

http://www.wix.com/elainebenny24/escritor-max-elaine

 http://www.lulu.com/content/paperback-book/a-fonte/12168536

 http://www.lulu.com/content/paperback-book/colet%c3%82nea-obras-que-curam/12173000

http://www.bubok.pt/livros/4778/O--TRATADO--DA--GRACA

http://www.bubok.pt/livros/4632/A-INTIMIDADE-DE-DEUS

  COLEÇÃO   VIDA  PLENA

  EL  LEGADU  DEL  ESP.SANTO

A  INTIMIDADE  DE  DEUS

COLLECTION  PHILOSOPHY  AND  THEOLOGY

  1.             O   Céu   na   Terra

 

 

  1.      Temos   algo  da  parte   de Deus, temos   uma  vida   que  o  seu  maior  propósito   é   viver  plenamente   junto  a  fonte,  temos   uma  missão  que  vai  além,  temos   uma   chamada.

          O  céu  na terra  é   Deus  visitando   o  seu  povo  eleito,  é   a  aproximação   com  o  divino.

           Já  não   vivo  mais   eu,  não   mais.....não  mais......

  1.          Ele   Reina,  Deus   Reina   eternamente,  ele   vive  e   vive  eternamente.

Os profetas

que falaram às suas gerações, em Dome de Deus, não agradaram os

ouvintes nem a eles se amoldaram; causaram irritação e fizeram

oposição.

A filosofia da Bíblia sobre o homem na história tem início em

Deus, o Criador do universo. A Bíblia apresenta o homem em rebelião

contra Deus. Isso começou quando, em ato evidente da vontade própria,

nossos primeiros pais se rebelaram contra a lei de Deus. Ao fazer isso, o

homem arruinou sua imagem divina, alheou-se de Deus e iniciou uma

 A IGREJA PRIMITIVA

E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir

do pão, e nas orações. E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e

sinais se faziam pelos apóstolos. E todos os que criam estavam juntos, e

tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam

com todos, segundo cada um havia de mister. E, perseverando unânimes

todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria

e singeleza de coração,louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E

todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de

salvar.” (Atos 2:42-47)

Nós os cristãos estamos unidos não só por nosso compromisso com Jesus Cristo, como

também por nosso compromisso com a igreja de Jesus Cristo. Precisamos ter a mesma

perspectiva da igreja que Jesus tinha, e redescobrir a visão de uma igreja viva, renovada

pelo Espírito Santo, tal como foi nos seus primeiros tempos. O propósito de Deus não é

salvar indivíduos e perpetuar seu isolamento. Deus se propôs edificar a igreja, uma

comunidade nova e redimida. Planejou-a na eternidade passada, a está levando a cabo no

processo histórico do presente, e será aperfeiçoada na eternidade que virá.

A igreja esta no centro do plano de salvação. Cristo morreu não só para nos redimir

de toda iniqüidade, mas também para reunir e purificar para si mesmo um povo

entusiasmado pelas boas obras. Assim diz a Palavra:

“O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e

purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras

Poderíamos dizer que, no dia de Pentecostes, o Espírito Santo abriu uma escada

para a igreja. Os mestres da escola eram os apóstolos, a quem Jesus tinha escolhido e

treinado: e havia três mil estudantes... na realidade, meninos do jardim de infância. Estes

recém nascidos para a fé, convertidos e cheios do Espírito Santo, não estavam dedicados a

desfrutar de uma experiência mística que os fizera se esquecer ou de arrazoar sobre o que

criam. Pelo comentário, perseveravam na doutrina dos apóstolos e queriam aprender tudo o

que fosse possível. Tinham fome da verdade e queriam sentar-se aos pés dos apóstolos e

absorver seus ensinamentos.

A plenitude do Espírito Santo é incompatível com o antiintelectualismo. O Espírito de

Deus é Espírito de verdade. Esse foi um dos títulos que Jesus mesmo o deu ao Espírito. Se

quisermos estar cheios do Espírito, sua verdade será importante para nós.

Aqueles crentes primitivos não pensaram que bastava para eles a presença do

Espírito Santo em seu interior para conhecer a verdade. Não deram por certo que, por haver

recebido a plenitude do Espírito Santo, este era o mestre que precisavam, e que poderiam

prescindir dos mestres humanos. Não foi assim na igreja primitiva. Os novos crentes sabiam

que Jesus havia nomeado aos apóstolos para que fossem mestres da igreja, e procuravam

aprender todo o possível e perseveravam na sua doutrina.

Como se aplica isto à igreja de hoje? O que significa para nós perseverar na doutrina

dos apóstolos, ser fiel em conservar seus ensinamentos? Entendemos que já não há

apóstolos na igreja. Pode haver ministérios apostólicos, como os que realizam missões, os

plantadores de igreja, os líderes. Estas pessoas exercem ministério apostólico mas não

podemos os chamar apóstolos. Ninguém na igreja atual tem uma autoridade comparada a

de Paulo, Pedro ou qualquer dos apóstolos de Jesus Cristo. Eles tinham uma autoridade

única para ensinar em nome de Jesus e ninguém tem essa autoridade hoje.

Então, se não  há apóstolos na igreja contemporânea, como nós podemos nos submeter aos ensinamentos

dos apóstolos? Seus ensinamentos chegaram até nós pela Bíblia. O Novo Testamento é

precisamente isso: os ensinamentos dos apóstolos. Esta é a única classe de sucessão

apostólica em que cremos, a continuidade da doutrina apostólica por meio do Novo

Testamento.

Adoração prazerosa e reverencia

Os primeiros cristãos não eram só fieis em conservar os ensinamentos dos apóstolos na

comunhão uns com os outros. Também se reuniam uns com os outros. Também se reuniam

e participavam juntos “no partir do pão, e nas orações” (Atos 2:42).

“E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa,

comiam juntos com alegria e singeleza de coração” (Atos 2:46)

O partir o pão se refere, sem dúvida, a Ceia do Senhor. Provavelmente, além dos símbolos

do corpo e do sangue de Cristo na igreja primitiva havia também uma ceia compartilhada,

um ágape. As orações que se mencionam aqui não são as orações privadas mas sim as

reuniões de oração.

Existem dois aspectos da vida de adoração da igreja primitiva que são desejáveis em

uma igreja renovada. Aqueles cristãos mostravam equilíbrio nos dois sentidos.

Por um lado a adoração era formal e informal. Isso deduzimos do versículo 46, onde

nos é dito que adoravam nas casas e no templo. É interessante que os primeiros cristãos

continuaram adorando no templo. Não abandonaram de imediato a igreja institucional;

queriam reforma-la de acordo com o evangelho. Seguramente não participavam dos

sacrifícios do templo, porque entendiam que os sacrifícios já haviam sido cumpridos

definitivamente com a morte e ressurreição de Cristo. No entanto, continuaram participando

das reuniões de oração no templo. Estas reuniões tinham certa formalidade, mas os cristãos

as suplementavam com reuniões mais informais e espontâneas nos lares.

Creio que aqui há uma lição importante para a igreja contemporânea.

Algumas igrejas

são demasiadas conservadoras. Resistem a mudanças, parecem feitas de cimento; seu

lema parece ser a expressão litúrgica, ‘para sempre, pelos séculos dos séculos, amém...’

Nesse tipo de congregação os adultos precisam escutar os jovens, e estes deveriam estar

representados na direção da igreja. Não é necessário que estejamos sempre de acordo com

eles, porém devemos escutar-los com respeito. Os jovens, por sua vez, entenderam que a

maneira com que Deus transforma a igreja institucional é mais pela reforma paciente do que

pela revolução violenta.

Pin It
Atualizado em: Qui 15 Mar 2012

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222