person_outline



search

A vida passa, meu amigo!

Sempre me empolguei com relatos parecidos com o que vou escrever aqui. Mesmo cobiçando a atitude e me identificando com o estilo de vida, eu continuava sentado, esperando pelo dia que eu pudesse ter coragem de fazer a mesma coisa. Eu pensei que não faria nunca. Mas eu fiz, e quero te contar sobre os motivos que me fizeram me desvencilhar do meu trabalho.

A vida passa, meu amigo. E é só por causa disso. Não vai valer a pena no final. Me vi dentro de uma maratona para ganhar dinheiro, subir de cargo e bater campanhas. Previ minha vida inteira aos 25 anos de idade, e sinceramente, foi chato demais! Não dá pra eu me matar de trabalhar agora porque eu deveria me preocupar com a educação de filhos que eu nem tive ainda. Não dá para desperdiçar uma vida inteira, porque eu deveria pensar na aposentaria. Além de corrermos o risco de nem chegarmos lá, essa estabilidade poderá ter acabado, e também mesmo que ainda exista e cheguemos lá, de que valerá a estabilidade se a vitalidade já se foi? Talvez eu olhe para trás e veja que fiz um péssimo negócio. Não dá mais para trocar experiências de vida por bens materiais e acúmulos de contas. Se não for para se aventurar, não fará sentido essa vida. É estranho, controverso e talvez esse texto não servirá para você, como uma peça de roupa que não entra, não veste bem, e não fará o menor sentido usar. Não use! Vivemos um tempo acelerado que me parece de propósito, para que não tenhamos tempo para pensar e notar o que importa. Importar, trazer pra dentro. O trânsito está cada vez mais acelerado, as pessoas estão cada vez com mais pressa e perdemos o respeito pelos outros. O excesso de futuro tem nos deixado doentes. Se a gente soubesse ao pé da letra que vamos morrer um dia, a gente faria tudo diferente. Mas nós não sabemos disso – não é? Eu quero desacelerar, ir com calma. Embora isso não quer dizer que perderei o sangue nos olhos e minha necessidade do já. A verdade é que eu tenho tanta coisa para fazer que não posso perder mais 1 dia da minha vida fazendo algo que não me representa mais. Cresci e não estou mais cabendo dentro desse sistema maluco de passar cartão, ficar preso por mais de 9 horas e tirar míseros 30 dias de descanso dentro de 1 ano inteiro. O salário é bom, mas não paga a conta. O mundo é demasiadamente grande para ficarmos num só lugar, fazermos sempre a mesma coisa e não nos atrevermos a arriscar por temer o que é novo.

Há 7 anos atrás eu entrei nesse trabalho e interrompi diversos planos na minha vida, fiz faculdade de administração - da qual nunca tive vontade - porque eu precisava ser promovido na minha empresa. Não vou dizer que me arrependo. Esse trabalho me trouxe privilégios, me abriu portas e me apresentou um universo totalmente diferente do que eu vivia, e eu quis fazer parte dele. Com isso adquiri conhecimentos diversos e conheci pessoas encantadoras que vou levar pra sempre. Já fui destaque regional, já me vi nas primeiras posições em nível nacional, tive promoções rápidas e acabei indo mais longe que eu poderia prever anos atrás enquanto eu amarrava meu jaleco escrito “posso ajudar? ”. Mas antes de tudo isso, como eu mesmo disse, deixei muita coisa pra trás. O plano A, que estava esquecido, ressurgiu com força, me fazendo repensar minha vida inteira, trazendo à tona meus sonhos e planos que eu cultivava desde criança - e que sim, acabaram sendo mais inteligentes que minhas escolhas atuais porque sempre tiveram mais verdade e coragem -, o que me colocou frente a frente a mim. E o que era pra ser um encontro doloroso e desastroso, foi de um leve estranhamento para uma compreensão acolhedora quando me olhei e disse pra mim mesmo: “Ei! Aí está você! Por onde andou esse tempo todo? Eu estava com saudade”. E antes que eu caísse em lágrimas, essa mesma voz conhecida e esquecida continuou: “É isso que você quer? Então vambora!!!”, e pronto. Foi o apoio que eu precisava.

Quero compartilhar isso com você e deixar meu rastro como outros já fizeram, e dizer que eu não conheço você, não sei sobre as contas que você tem para pagar, sobre seus sonhos deixados no caminho, sobre os filhos que você tem que sustentar, e não estou dizendo para tomar decisões precipitadas que podem ferrar com tua vida. Quero apenas que aproveite ela. Olhe para você, seu redor, seu corpo que fala constantemente se suas escolhas estão te levando para o caminho certo. Você pode sim conversar com todo tipo de gente e colher as mais diversas opiniões, faz parte do processo e eu fiz o mesmo. Mas a grama do vizinho é sempre mais verde e as experiências dos outros não são como as suas. Ninguém poderá te ajudar porque ninguém sabe mais de você que você mesmo, acredite. A decisão é única e exclusivamente sua. Não temos certeza do futuro e o controle do mundo é uma ilusão. Mas nossas escolhas e decisões é a gente que dá, como cartas que jogamos para o universo e esperamos que prospere. Temos muito tempo para errar e fazer de novo, não há desculpas no jogo. Perdi amigos próximos que se soubessem que sua estadia aqui teria uma jornada tão curta, talvez teriam feito escolhas diferentes. Mas de onde estão, devem rir da nossa cara quando nos pegam aflitos, deixando a vida passar em troca de esmolas e rodeados de medos e conflitos bobos. A vida está acontecendo agora. Esse é o momento. E você?! Tem feito o que?! Quais histórias vai contar quando chegar lá?! Aposte nas suas ideias e faça suas escolhas. Essas mesmas que estão aí. E você vai ficar muito, muito contente por tê-las feito. Porque a vida passa, meu amigo! E é só por causa disso!
Pin It
Atualizado em: Qua 1 Set 2021

Deixe seu comentário
É preciso estar "logado".

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222