person_outline



search

A tragédia que eu amei - Quarto Capitulo: A infeliz ideia.

Um sorriso no mesmo momento estampa na cara de Rubinho, ele grita: Obrigado, muito obrigado meu DEUS!
- Dante e Claudio sem saber o que estava se passando na cabeça dele questionam:
- Você enlouqueceu, bateu com cabeça aonde.
Rubinho sorrindo fala: - É muito simples o problema da minha adorável filha Sofia vai melhorar, pois agora vou ter dinheiro para pagar os melhores médicos.
Sem ação Dante questiona: - O que isso tem haver com toda esta porra que aconteceu, você esta usando drogas.
 Rubinho diz: Muito simples pensam temos dois milhões nesta mala, podemos ficar com toda a grana e se acharmos o outro foragido damos um fim nele.
Claudio gostou da ideia e diz: Mas, temos que primeiro dar um fim neste fugitivo, neste período de tempo escondemos o dinheiro.
Dante começa a sorrir: - Acho que vocês estão assistindo muitos filmes policiais.
Primeiro onde vamos esconder este dinheiro todo, o que iremos falar para o delegado, que o outro bandido fugiu com o dinheiro.
Neste momento todos ficam pensativos.
Rubinho enfurecido e querendo dar um jeito na sua situação diz:
- Dante podemos sempre dar um jeito, arranjamos um lugar seguro.
Dante fica sorrindo e diz: mesmo que conseguirmos este lugar seguro vocês esqueceram que temos um idiota ali no banco de trás que ouviu tudo.
Claudio e Rubinho assustados abrem a porta do carro e arrancam Carlos com toda a força e coloca ele na parede, Rubinho nervoso começa a socar Carlos no estomago.
Carlos assustado começa a pedir pelo amor de DEUS para ele parar. Nesta hora Claudio e Dante seguram Rubinho.
Dando voltas e sem saber o que fazer Dante decide:
- Vamos parar com este sonho, iremos voltar à realidade bora para a delegacia.
Rubinho em fúria e descontrolado tira a chave do contato e diz: Vocês não sairão daqui até ouvir meu plano.
Claudio começa a se preocupar com Rubinho que demonstra ao mesmo tempo tristeza e preocupação. Mas, Claudio tinha interesse em ter em suas mãos aquele dinheiro e já fazia planos.
Claudio toma a frente da situação e diz vamos levantar a ficha desse imbecil este lixo que trouxemos conosco.
Rubinho começa a notar que Carlos fala delicado e começa a zombar e tirar onda dizendo:
- Camaradas, prestam atenção além de estar no nosso caminho este cara e viado, boiola, frutinha. Dando risada da uma cuspida na cara de Carlos.
Dante neste momento começa a ficar; triste por ver Carlos envolvido naquela situação. Então levanta e pede para ele falar seu nome e o que faz.
Carlos assustado e com dores começa a se apresentar:
Meu nome é Carlos Soares tenho 45 anos moro no bairro da Gloria.
Rubinho começa a ficar nervoso e novamente ameaça a bater no Carlos, mas Dante não deixa e afasta Rubinho.
Dante: Pode continuar Carlos.
Carlos com medo diz: Bom sou gerente de uma exportadora de alimentos congelados, sou formado em psicologia e presto serviços comunitários.
Neste exato momento Claudio interrompe e diz:
Gente esquece este imbecil e limpo e tem nome não podemos nem tentar incriminar, e além do mais existem filmagens nas ruas e nos celulares das pessoas.
Dante concorda plenamente. Bom Rubinho seus planos são amadores, e mesmo que desse certo, eu não faria parte dessa sujeira.
Carlos desesperado fala: bom já que vocês precisam do dinheiro posso dizer que não sei de nada.
Dante fala cala sua boca, como iremos resolver isso, temos que depor e você também.
Mas a inquietação tomava conta de Rubinho, naquele momento ele só pensava em uma coisa melhorar as condições de saúde de sua filha Sofia.
O desespero e a loucura tomava conta desta trágica confusão em que todos se meterem. Carlos com muita dor pede para o policial Dante se poderia levar ele embora ou em um médico ou farmácia.
Dante vê nos olhos de Carlos desespero e tristeza e tenta ajudar, mas Rubinho novamente fica furioso e agride Carlos com um soco no nariz.
­Claudio mais uma vez, toma a frente da situação e decide por um fim na história:
-Chega de loucuras vamos dispensar este babaca do Carlos em uma rua deserta. Rubinho diz: - Não vai ser tão fácil assim, e se este imbecil abrir a boca e nos denunciar.
Claudio deixa claro que se isso acontecer vão atrás de Carlos e acaba com a vida dele e da família.
Dante como um homem bom, tenta consolar Carlos dizendo:
- Fica tranquilo: tudo vai dar certo, este pesadelo esta para acabar.
Carlos nota no olhar de Dante uma solidariedade e uma bondade, se sente confortável com as palavras, começa a lembrar de que apesar de estar machucado, nunca ninguém se preocupou com ele desta maneira. Um bonito sorriso parte de ambas as partes.
Claudio então tira uma com a cara de Dante:
-Nossa vamos embora, porque já se faz por tarde, antes que as bonecas trocam telefone:
Rubinho com muita raiva no coração e com a cabeça a mil, mesmo assim da risada e diz:
-Vamos esta bicha só atrapalhou a minha vida.
Todos entram no carro, mais uma vez, Rubinho tenta agredir Carlos, mas Dante segura a mão de Rubinho e diz:
-Para! Você já passou dos limites, ele não tem culpa dos seus problemas, sei que precisa de dinheiro, mas não pode achar que ele é o culpado desta situação.
Dante passa para o banco de trás e coloca o dedo na cara de Carlos e começa apertar o pescoço dizendo: Se caso alguém souber ou duvidar que estávamos com má intenção para utilizar este dinheiro eu encontro você nem que seja no inferno e acabo com a sua vida.
Pin It
Atualizado em: Qui 19 Out 2017
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222