person_outline



search

poesia

  • Você está perto de mim!

    Coloco uma cama no quintal
    E olho o infinito durante a noite
    Vejo a lua, planetas, estrelas...
    Cada estrela mais linda
    E mais cintilante que a outra
    Fico feliz quando olho para o lado
    Você está perto de mim!
  • Você habita em mim

    Há pessoas que nos marcam;
    Há pessoas que nos ferem;
    E também há você.
  • voce pode ate me ver

    Você pode ate me ver chorar
    em alguns dias sorrir
    mais jamais vera
    eu desistir

    Você pode me ver a reclamar
    em silencio ficar
    mais nunca vera
    eu parar de lutar

    você pode me ver triste
    pelos canto ficar
    porém jamais verá
    eu um dia para de te amar
  • Você Tem.

    Mas você tem.
    Tem que ir
    Tem que viver
    Tem outra opção?...
    Diga-me você.
    Você tem.
    Tem um coração
    Bombeando sangue
    Coração não serve para sentir nenhum tipo de emoção
    É a verdade, não se zangue.
    Você tem.
    Tem que ir naquela festa
    Você nunca sai
    Se quer ou não, não interessa.
    Você tem.
    Tem cortes nos pulsos
    Tão idiota, tão adolescente
    Acha o mundo injusto
    Você tem.
    Tem tudo o que quiser
    Pare com essa cara feia
    Faça o que a sociedade requer
    Você tem.
    Tem uma corda no pescoço
    Foi tão de repente, tão sem motivo
    Sempre estava com o sorriso no rosto
    Você não tem
    Não tem mais vida
    O que aconteceu?
    No mínimo
    Alguém lhe entristeceu
    Coisa de adolescente
    Só não sabe direito
    O que sente...
  • Você, não

           O dia era 11/03/2019, acabei de ler o primeiro texto que escrevi sobre o nosso amor, no caso sobre o meu amor! Já se passaram quatro meses desde da nossa decisão e nesse pouco tempo eu me dediquei a minha pessoa e eu comecei a fazer coisas que eu nunca imaginei que faria. Eu estou feliz, muito feliz...sem você. 
           Sabia que eu não sinto mais aquele sentimento puro e gostoso por você? Eu não sinto falta quando você não fala comigo e eu até inicie umas séries novas, dá pra acreditar? E nessas series eu percebi o quão precisamos pensar em nós mesmos e deixar o mundo um pouco de lado, a nossa felicidade depende só de nós mesmos. Você, não! Eu não sinto absolutamente mais nada. 

     

  • VOLÁTIL

    Nunca pude desfazer as malas abertas da minha cabeça,

    pois viajo dentro de mim mesmo munido das ampulhetas

    sem a areia crua do tempo e do estreito que o movimenta.

    Desloco-me de pulso em pulso — de silêncios em silêncios,


    entre as estradas do pensamento. Sigo aqui e ali, sedento.

    Vou lá e acolá, rabugento. Estou na caça do verso intenso

    escondido nas sombras da rede. Farejo o rastro do medo,

    na pegada desse confronto elétrico: amperes e incêndios.


    Ouço o vento dizer-me, a sós, feito um segredo de estado:

    — O poema é artefato de éter… Não tente pôr um cadeado.

  • Voltas e Voltas

    O mundo gira, gira. E você também
    O mundo gira, gira. E você também
    Acompanha o passo
    Acompanha o passo

    Não importa o tamanho do passo
    Você tem que ver é aonde quer chegar. Agora

    Olha a lua gira, gira. Olha a lua olha
    Ela se esconde e o sol aparece
    Você tem que se esconder de vez em quando
    Mas procure aparecer e se sentirá melhor

    Olha o sol clareia, clareia seu caminho. Então caminhe
    Caminhe. Não pare e fale: Estou aqui
  • Vossa Santidade

    Vossa Santidade,
    Vou trazer o seu café
    Sua férula, seu terço,
    Sua fé

    Seu pudor manipulado
    Seu mistério sem mistério
    Seu conceito certo/errado
    Seu império

    Apareça nas sacadas
    Com sua crença pervertida
    Cure todas as feridas
    Com suas mãos, benta e cagadas

    Depois volte ao seu trono
    Se puder pegue no sono
    E não toque mais em nada
  • Vozes

    Se eu não criar

    De algum jeito vai desaguar

    Porque posso chorar.
  • Vozes Da Alma

    O bem e o mal, à coragem e o medo,
    sentireis em teu efêmero viver. 
    O gosto amargo e o azedo,
    e o doce,d'alegria,que desperta o prazer. 

    Inesperadamente, como o verso,
    à lembrança, 
    veio no ocaso lhe trazer.
    O tempo que ainda era criança,
    e havias inocência em teu ser. 

    Melancolia não sentias, ouvistes,
    hoje, graças à ela, estás vivendo...
    Nas catedrais os dias tristes,
    lentos, há findares, como um círio derretendo. 

    E de novo solitário com os versos,
    numa noite,sem os astros,na atra solidão...
    Em lágrimas os olhos viu imersos,
    e acelerado,palpitar,eu senti teu coração.
  • What’s sanity?

    What’s sanity?
     It’s supposed to be a good thing but, quando meu coração acelera e eu não consigo controlar meu corpo, parece que que meu peito quer sair para fora, ao mesmo tempo que eu pareço não conseguir sair do lugar.
     Enquanto a vontade de escrever eu tenho, ao passar da cabeça para mão tudo parece uma confusão e dessa vontade me desprendo.
     Ansiedade talvez? Será que é isso que as pessoas reclamam? Mas que estranho, é momentâneo, enquanto elas não dormem, o meu efeito é o contrário, aperto, adjunto com cansaço, onde eu sempre espero, que amanhã já não lembre mais disso 💭
  • ZONA DO SILÊNCIO

    Tudo muito bem aqui no mundo dos mortos,

    onde quase todos passam — exceto as horas

    que se atrapalham sem ponteiros ou relógios

    quando marcam a implacável tirania dos ossos.


    Não temos dia e noite, tampouco ocaso e aurora;

    o tempo também morreu feito o que há em volta.

    O cinza é dominante sobre os escombros tortos

    das ruas sem alamedas e das almas sem corpos.


    O sol vermelho sanguíneo ultrapassa o céu ocre.

    Vejo os becos e as cédulas sujas que se enrolam

    — conduzem a poeira por entre as ventas expostas

    e não há quem saiba mais o que realmente importa.


    Ouço muletas e próteses que se escoram no poste.

    Há gemidos invisíveis que não têm sul. Nem norte.

Autores.com.br
Curitiba - PR

webmaster@number1.com.br

whatsapp  WhatsApp  (41) 99115-5222