person_outline



search
  • Ficção
  • Postado em

Psychosocial

PALAVRAS MINHAS Não espero que ninguém goste dessa história de início,pois a fiz com o intuito de ganhar o ódio de muitos,quero mesmo ouvir as suas criticas, pois é assim que eu penso e sempre vou pensar. Há “cenas” muito fortes aqui,que colocaram qualquer um em um manicômio,se esta pessoa não tiver a sua mente aberta,ou apta para os meus jogos mentais. Se você tem uma religião que segue ao Deus Jeová,não prossiga com a sua leitura, pois tudo será exposto aqui,desde como as pessoas agem aqueles que são contra ele,as mortes. Se você se diz livre das correntes e do véu ignorância,continuo dizendo não leia,pois pode acabar louco ou preso em sua própria mente. Agora chega de tanto suspense,esta é uma das minhas histórias favoritas,pois nela expus a todos os meus pensamentos mais sombrios,e assustadores. Sim é mais um romance,mas não daqueles onde você espera um lindo felizes para sempre,com risos e o céu alegre. É um romance,que vai além da mera ilusão,e mostra a realidade sobre muitas e muitas coisas,amor bonito,amor forte, amor doentio. Boa leitura e não diga que não lhe avisei... PRÓLOGO É um dia nublado,e os ventos estão cada vez mais fortes e furiosos,fazendo com que as janelas,de uma velha casa,se abram e se fechem. E enquanto a natureza se revolta,uma garota de longos cabelos negros,e pele pálida corre pelos lados da moradia,com o seu vestido branco,todo manchado de sangue. "Estão mortos!Meus pais estão mortos! Nunca liguei para Larry Coltown nem para os seus crimes!Mas os meus pais!?Deus! porquê eles!?" Pensa a garotinha,com os olhos verdes cada vez mais arregalados,encostando-se na parede do prédio,enquanto coloca a sua mão na boca,tapando-a. Tão preocupada com os seus problemas, que foca a sua atenção nisso,e não vê quando a silhueta de um homem de cabelos longos,usando um enorme casaco,se aproxima dela com a mão estendida em sua direção. -Corelle está tudo bem!? Pergunta o tal homem,tocando o braço da garotinha e lhe dando um breve susto,apesar da sua notável beleza.Com a expressão séria em seu rosto pálido,que estava coberto pelos seus longos cabelos negros ondulados,com os olhos castanho preocupados. -Não tio Larry!O assassino que tem o mesmo nome do seu,matou os meus pais!E eu não e ntendo porquê! Responde a garotinha,passando as suas mãos pelo vestido,enquanto lágrimas escorrem pelo seu rosto.E as cenas dos seus pais mortos, surgem na sua mente. Fazendo-a reviver o momento,onde ela atravessou a porta, e encontrou seus pais pálidos e jogados ao chão. Sem os olhos e a língua,banhados em sangue,como se fossem dois bonecos vivos,mergulhados em tinta. Colocados um do lado do outro, como se fossem dois brinquedos. "Mamãe!Papai!" Pensa a menininha,alternando o olhar entre os cadáveres,enquanto corre até eles,atravessando aquela poça de sangue,sem temer aos mortos, pois a dor era maior que qualquer coisa.
Pin It
Atualizado em: Dom 24 Abr 2016
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222