person_outline



search
  • Poesias
  • Postado em

caro amigo

caro amigo,
faz tempo que não venho te contar,
sobre meu relógio que não para de quebrar
sinto que a culpa é minha , mas logo ira acabar.

meu caro amigo,
nao estou a te atormentar
sinto muito se de minhas palavras a poesia faltar.
fecho meus olhos e deixo à alma com letras a falar

olá caro amigo,
ontem as nuvens vinheram a me espreitar
a noite me seguiu com asas negras pesadas ao passar
e o relógio que em meio peito carrego começou a tiquetaquear

amigo,
a cada tic uma lagrima cai e cada tac um tormento vem
ontem senti o relógio uma vez parar
e não eram pilhas, eram horas demais a trabalhar

caro,
o preço por o relógio voltar a trabalhar
as lagrimas que caem a não molhar
e o sorrisos que eu crio para pessoas enganar

adeus caro amigo ,
hoje levarei meu relógio ao conserto
irei reforça-lo com ferro e tranca-lo
assim eu jamais irei usa-lo outra vez.
Pin It
Atualizado em: Seg 7 Ago 2017
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222