person_outline



search
  • Poesias
  • Postado em

Amor distante - ato II

Um amor que não pertence a esse mundo
Um amor que nada deste mundo pode apagá-lo
Um amor que pertence ao céu
Um amor que a mão de um homem não alcança
Somente o coração alcança

Um amor que ignora o corpo
Um amor que consome a alma
Em apenas um instante de olhar
E que a tudo compensa

Um amor que a distância só faz aumentar
Um amor tão profundo e verdadeiro...
Que mesmo em caminhos tão diferentes
Ainda assim o amor se faz maior

E nos momentos em que os destinos se cruzam
Uma intensa explosão de luz acontece
Eis os segundos de um momento
Que se transformam numa eternidade silenciosa e profunda

Como se os olhos falassem a língua dos anjos
Como se turbilhões lavassem a alma
E como se os corações se amassem a toda velocidade
Eis a medida do verdadeiro amor

Do amor que até pode pertencer ao céu
Mas que está legitimamente condenado
A vagar para além da imensidão azul
Rumo aos confins de um universo sem fim

Eis o amor que de repente explode no peito
Eis o amor que de repente encontra seu par
Eis a saga dos amores

Que se encontram, se perdem e que... se reencontram
Que se amam, que se perdem e que... se amam mais ainda

O amor tem dessas coisas

Ora vai ora vem
Ora vem e não vai mais

E quando vier e não mais for
Já não haverá mais dor, nem calor...

Somente a paz diante da loucura
De um orgasmo intensamente espiritual.
Pin It
Atualizado em: Qua 3 Mai 2017
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222