person_outline



search
  • Contos
  • Postado em

A fé. A triste história de um vampiro Cap.1 de 14

Como não consegui colocar este conto todo de uma vez, então resolvi colocar capitulo por capitulo, sendo 14 no total.
Este conto já está postado por completo no meu perfil, os 14 capítulos.

Capitulo um

     Ergue-se uma mão, saindo de um tumulo no cemitério da cidade grande. São quase amanhecer e um corpo consegue sair do tumulo e areia que o cobria. Segundos atrás:
     -Está tudo escuro, estou cego? Uma batida: - Estou sem folego! Outra batida: - Estou num lugar fechado! E começa a bater desesperadamente.
     -Não sei se eu tinha folego, mas o ar me veio depois que consegui erguer a mão. Um homem sai coberto de areia, cambaleando ele cai sentado.
     -Quando eu me ergui, minha memoria voltou, ou parte dela, eu fiquei tonto. Olha-se no espelho que tem pregado ao lado do possível seu nome na escritura do tumulo.
     -Não me vejo. Olhou para o lado: - Reside aqui, Cachie, 2016, este sou eu!
     O sol nasce Cachie olha para o horizonte e sente sua mão queimar: - Que droga, o sol está me queimando! Tem um deposito ao lado ele desesperado tenta abrir, sua pele queimando
     -Tá fechado! Ele segura o cadeado e o puxa, em seguida de novo, desta vez o cadeado quebra e ele abre o portão e entra, após abrir a porta, que não estava trancada.
     Tinha uma janela aberta e ele a fecha senta e com as mãos na cabeça reflete: - Estas coisas só acontecem com vampiros, até onde sei, não sou um, me tornei? E conclui:
     -Claro que sim!
yfy.jpeg
     O submundo se uniu ao mundo real, a ficção se fez real, depois de tempos sendo oculta, ou seja, seres mágicos se misturaram com a realidade natural.
     -Faz 100 anos que está inclusão ocorreu, será que ainda estou em 2016? Acredito que sim, pois a mutação, a transformação de um mordido se faz em horas.
     Um confronto mundial fez as pessoas veem humanos e submundanos de uma mesma forma. Ainda existem confrontos, mas a luta foi ganha por aqueles que veem todos os seres com igualdade.
     Dá a hora de trabalho e um funcionário do cemitério surge, vê o cadeado quebrado, estranha, entra e vê Cachie ali:
     -O que você está fazendo aqui? Cachie nem o ouve e pula em seu pescoço.
     -O que estou fazendo? Estou sem controle.
     Um corpo no chão e as horas passando, quando anoitece Cachie vai para sua casa entra pela janela em seu quarto:
     -Está tudo no mesmo lugar. Pegou um relógio digital e olhou a data, 2016.
     -Cachie!? Diz uma mulher ao entrar:
     -O que você está fazendo aqui? Cachie pergunta e a mulher com aparente olhar de surpresa responde:
     -Sua mãe me disse para pegar o que eu quiser.
     -Já que eu estou morto! Num é?!
     Ela gaguejou um “é” e correu para cozinha Cachie foi atrás e se depararam com a mãe dele, que diz com medo e surpresa no olhar:
     -Querido você está vivo. Cachie responde:
     -Não, só posso sair à noite e você sabe o que é isto! Ela pergunta:
     -Você se lembra de tudo que aconteceu?
     -Não, vou sentar e lhes ouvir!
     -Podemos te abraçar? Diz à mulher que na verdade é a namorada dele e continua: - Sabe que somos, éramos namorados?!
     -Não pode, não sei se condigo me controlar, então sejam rápidas na história que vão contar! Ela se senta ainda abalada ao vê-lo e a namorada também, todos se sentam ao redor da mesa de cozinha.
     -Maldito Carlos. Ela pensa e Cachie consegue ler sua mente de alguma forma e pergunta:
     -O que o Carlos tem haver com está história? Ela se surpreende:
     -Como? Ele diz:
     -Não importa, comece a contar, e cheguem onde eu me tornei num ser que nós sabemos que nós odiamos, ou estou errado? A namorada dele pensa, mas sem ele ouví-la:
     -Não podemos contar tudo, Será que ela vai abrir a boca e acabar falando demais?
     Eles são uma família de humanos caçadores de monstros, era para isto que Cachie se lembra de que se esforçava a ser o melhor. Já havia caçado bruxas e lobisomens, ele não se lembra de ter caçado vampiros, mas era de seu gosto um dia matar um. Parece que a magia se voltou contra o feiticeiro:
     -Vamos comece!
     A mãe dele começou a falar, iniciando o resumo que o levaria a uma resposta.

Veja em seguida o capitulo dois.
Pin It
Atualizado em: Qua 24 Mai 2017
  • Nenhum comentário encontrado

Curtir no Facebook

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222