person_outline



search
  • Ensaios
  • Postado em

SE SOUBERES COMO TE APRISIONAM, SABERÁS COMO SE LIBERTAR- PARTE 4-FINAL

Breve comentário sobre pontos cruciais da fé cristã
CONTINUAÇÃO DA PARTE 3 DESSE TEXTO-PARTE FINAL
(para melhor compreensão desse texto, se faz necessário a leitura das partes 1,2 e 3 publicadas nesse mesmo site)
   Esses são os 4 pilares invisíveis que se vier a ruir um deles, todos os demais cairão juntos também.
   Todas as citações que fiz podem ser pesquisados dentro e fora da internet. Há livros escritos centenas de anos antes da internet surgir, que comprovam a mesma coisa. Aliás, as pesquisas sérias que existem na internet foram baseadas em tais livros. Sugiro que pesquisem sobre a história do cristianismo, a história da igreja, a história dos hebreus, a história dos povos semitas, história grega e romana, judaísmo, mitraismo, zoroastrismo e vedismo, e confiram o que escrevi aqui. Ninguém é obrigado a concordar, agora negar que estar escrito é outra coisa!  É comum que qualquer pessoa nascida ou vivendo em fé cristã que venha ler ou pesquisar as fontes que citei apresentem relutância imediata assim que se deparar com a desconstrução de certas fantasias. É normal. Depois dessa relutância, a pessoa pode parar de ler e não seguir com essas “pesquisas do diabo” ou seguir pesquisando. Vai ficar confuso, revoltado, frustrado para depois ser tomando por um sentimento de paz duradora mediante ao conhecimento dos fatos como eles são. Os que por acaso descobrem que não estão sendo monitorados e já partem para trazer prejuízos aos outros, eram apenas vândalos disfarçados de bons cristãos.
   Outra característica comum e errônea de quem estar entrando em um processo de desconstrução religiosa é ir perguntar exatamente ao seu líder religioso, majestoso e supremo dono de toda verdade absoluta se tais fontes são verdadeiras. O que você acha que ele vai dizer? Te repreender, é claro! Mandar você pagar penitencias e fazer jejuns e orações sem fim. Acha que alguém com uma fonte de renda lucrativa e permanente ou também aprisionado no medo seria capaz de concordar com tais pontos de vista que citei? Claro que não! Ou vai ter medo do inferno ou vai ter medo de perder o lucro. Um cego não pode guiar outro cego. Quando quiseres perguntar, converse também com pessoas não ligadas ao sistema, e apenas ouça sem contra atacar, depois pense em cada palavra dita e fique apenas com o que lhe for útil. Se você acreditava totalmente em um seguimento e agora passa a acreditar totalmente em outro, você é apenas um tolo. Todo conhecimento é feito de construção e desconstrução permanente. Somente os tolos religiosos tem a verdade suprema, absoluta e imutável em tudo. Para uma pessoa sadia toda verdade é questionável e sujeita a reavaliações e não veem problemas em assumir que estavam errados e reassumirem outra posição mediante novas evidencias.
   A segunda característica comum a quem estar saindo de uma prisão intelectual é a vontade de debater. Decora dois textos novos, aprende duas referências históricas e acham que sabem tudo, então saem por ai “cutucando cobra com vara curta”. Vai apanhar feio e criar inimizades! Não é algo muito inteligente a ser feito. Você vai passar ridículo, criar inimigos e não vai chegar a lugar nenhum. Você será um incômodo e escárnio a todos ao seu redor, sem falar que alguns poderão te “vencer” por manipular os fatos mediante um público ignorante e outros irão te “vencer” pela eloquência, gritando aos berros palavras sem sentidos, e posso dizer sem sombra de dúvida que como você certamente estará sozinho nesse debate, ainda que você venha ter razão em tudo, a “alcateia” irá dizer o contrário por ai, irão dizer que você perdeu feio, que foi humilhado, que você é profeta de baal e que só o senhor é deus e tal. O melhor a ser feito em faze de desconstrução religiosa é ouvir muito e falar pouco. Medir forças com quem não se dedica a leitura, a pesquisa e ao diálogo aberto não adianta nada! A fúria dos deuses podem não serem reais, mas a fúria de um cristão derrotado pela razão e a lógica é imensurável e eterna. Ele vai te perseguir até o “dia do juízo” desejando ter ver arder no fogo do inferno naquele dia, ou infernizando seus dias aqui agora manipulando fatos ao seu respeito e inventando todo tipo de fofoca possível. Nunca vi gente tão desprezível e desonesta quanto um religioso derrotado em debate ou desmascarado em público. Eles são literalmente o “cão em pessoa” quando se sentem ultrajados em sua linha de pensamento. O melhor a fazer é não enfrentar ninguém com o intuito de derrota-lo. Quando achar um debate cujas pessoas queiram trocar experiências ou opinião tudo bem, caso contrário fuja deles! Lembre-se da teoria do pombo enxadrista toda vez que se ver tentado a debater com ignorantes. Aquilo que um ser um indivíduo religioso mais deseja é ser endeusado, idolatrado e adorado assim como é o seu deus. Querem sempre estar certo mesmo estando errado. Não tente dizer o contrário de forma direta, vai ter briga na certa. A não ser que você seja desse tipo e também goste de baixarias. Ai é só por um disco da xuxa e fazer a dança dos “baixinhos” enquanto os insultos e ofensas “comem no centro” e o desejo de conhecimento foi substituído pelo desejo de subjugar o outro.
  Um texto como esse é apenas uma gota de agua num oceano de informações àqueles que um dia foram escravizados por uma linha de raciocínio doentia e querem ser libertos. Quem sabe também seja o pontapé inicial aos que desejam se libertar e ainda não tinha se deparado com nada igual. Todos tem a primeira vez em tudo.
   Você não precisa ser uma pessoa nefasta, devassa ou pervertida quando descobrir que certos princípios da fé cristã não passa de ilusões. A moralidade, a justiça e a bondade de um homem não depende de deus nenhum, mas o deus desse seguidor será exatamente o retrato falado do ser que o adora. Algumas sociedades evoluíram exatamente quando conseguiram separar o estado da igreja, quando deixaram de impor à força um crença que serve apenas para enriquecer uns poucos privilegiados.
  O senso de justiça, responsabilidade e cooperativismo cresce no homem quando esse percebe que será responsável por tudo que fizer ou deixar de fazer. Uma sociedade sem bodes expiatórios para pôr nossas culpas, ou sem um paraíso como fonte de incentivo a fazermos o bem, irá produzir pessoas mais física e emocionalmente saudáveis.
   Quando entendermos que os deuses tem de tudo, são completos, que não precisam de nossa devoção, adoração ou dinheiro para existir, poderemos desviar tal atenção e recursos financeiros para o bem de nosso semelhantes no combate as mazelas que assolam a humanidade.
   Façam o bem por que é bom, não por que tem medo dos que te vigiam
   Saúde a todos!
Texto escrito em 28/5/17
 *Antônio F. Bispo é Bacharel em Teologia, Estudante de Religião em Filosofia e Capelão Ev. Sem vínculo com denominações religiosas desde 2013.
Pin It
Atualizado em: Seg 29 Mai 2017
  • Nenhum comentário encontrado

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222