person_outline



search
  • Contos
  • Postado em

A fé. A triste história de um vampiro Cap. 14 de 14 (Final)

Capirulo quatorze (Final)

     Em pé na porta da igreja esta uma pessoa, um homem que se aproxima e Carlais o identifica:
     -Padre! Então ele diz:
     -Venha minha filha. Disse como um pai, para todos seus fieis e concluiu: - Vou te ensinar a ser uma boa mulher lobo! Então Carlais caiu nas mãos do homem a quem antes estava caçando e com ele aprenderia, teria um caminho, novo.
     Uma velha, senhora, lia para sua neta e fechou o livro:
     -Esta foi minha história com seu vô!
     -Meu avô era mal? Perguntou a neta que ouviu em seguida:
     -Ele não abandonou sua mãe, apenas ele não sabia, nem eu sabia que estava gravida na época. Porque achou que ele era mal?
     -Ele a deixou com um filho na barriga e saiu para uma outra felicidade.
     -Ele era um homem bom!
     -Então não era mal?! A garotinha quis saber de novo e a senhora respondeu:
     -Não! Olhou para as estrelas lá fora e sorriu.
     -Mãe foi feliz sem um pai, eu tenho um pai!
     -Você tem sim! A velha senhora disse a abraçou e a fez um pouco de cocegas e depois respondeu: - Sim, acredito que ela é feliz, tem um bom marido. Mas teve a ausência do pai e isto não a impediu de crescer e ser uma boa mulher.
     -Mãe é filha de um vampiro com uma mulher loba?
     Carlais maio que desabafava para sua querida neta e teve que explicar:
     -Não, seu avô não era vampiro quando eu engravidei e nem eu era uma mulher loba.
     -Já sei por isto minha mãe é normal!
     -É os efeitos do ferimento que o lobisomem me fez não chegou a atingir a ela e ela nasceu como humana, igual a você! Carlais disse dessa vez cobrindo a neta para que ela dormisse bem. Foi então que viu que ela estava com o colar que Cachie a deu e disse para que ela tirasse para não a incomodar no sono. E a ajudou a tirar. O olhou bem, trazendo lhe lembranças e o guardou num portas joias que esta sobre a escrivaninha. Lembrou-se dos pais de Cachie, da mãe que a deu a joia em nome do filho. Lembrou que eles morreram numa casa em chamas, ninguém soube o que provocou o incêndio. Também se lembrou de sua mãe que morreu de morte natural. Já seu pai ela só o conheceu em fotos, morreu quando ela ainda era bebê, morreu caçando como um grande caçador da época, ela tinha esta descendência.
     Quando saiu de seus pensamentos olhou para neta que já dormiu, a cobriu direito e ela a olhou sorrindo, estava fingindo que tinha dormido e perguntou outra pergunta:
     -Você pensa em vovô?
     -Sim, talvez se ele soubesse que eu estava gravida teria me escolhido. Deu uma pausa e concluiu: - Espero que ele tenha aproveitado a felicidade.
     Dessa vez a neta dormiu mesmo e ela a cobriu direito, depois foi fechar a janela. Sentiu o vento e disse para si:
     -Cheguei até a ter fé que um dia ele voltaria para nós! E fechou a janela, olhou para o dedo ao fechar, esta usando o anel que é de família e o tirou e colocou na portas joias da neta, depois foi até a porta deu uma nova olhada para neta, apagou a luz e por fim soltou o trinco da porta a deixando parcialmente aberta.
     Lá fora, a passos de distancia sobre uma casa vizinha estava um homem, com sua super audição escutou tudo e a viu apagar a luz e sair e disse:
     -Eu vivi feliz com Carlos até ele morrer a dois anos e fiquei na solidão, então resolvi voltar! Ele morreu primeiro!
     A lua brilhava, mas não era cheia, as nuvens estavam espeças.  Após voltar ele a procurou por um tempo e a encontrou. No telhado da casa ninguém o notou. A brisa trazida pelo veto fazia um singelo friozinho da noite. As estrelas estavam se mostrando, com seu brilho encantador.
     Cachie respirou fundo:
     -Eu tenho uma filha e uma neta!
     Olhos abertos e os fechou deixando cair lágrimas.

Este foi o fim deste conto, deixe seu comentário.
Pin It
Atualizado em: Qui 25 Mai 2017
  • Nenhum comentário encontrado

Autores.com.br
Curitiba - PR
Fone: (41) 3342-5554
WhatsApp whatsapp (41) 99115-5222